Jornalista paralisam atividades por falta de pagamento e Jornal A Tarde suspende 60 profissionais

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Vista aérea da sede do Jornal A Tarde, em Salvador. Veículo de comunicação suspende jornalistas, em represália por protestos por direitos trabalhistas.
Vista aérea da sede do Jornal A Tarde, em Salvador. Veículo de comunicação suspende jornalistas, em represália por protestos por direitos trabalhistas.
Vista aérea da sede do Jornal A Tarde, em Salvador. Veículo de comunicação suspende jornalistas, em represália por protestos por direitos trabalhistas.
Vista aérea da sede do Jornal A Tarde, em Salvador. Veículo de comunicação suspende jornalistas, em represália por protestos por direitos trabalhistas.

Em nota — envidada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Bahia (SINJORBA) ao Jornal Grande Bahia (JGB), nesta quarta-feira (28/02/2018) — a entidade revela que os funcionários do Jornal A Tarde estão sem receber “salários de janeiro de 2018, 13º salários de 2016 e 2017, 32 meses de FGTS e quatro meses de tíquete refeição” e que, em decorrência deste quadro, cerca de 60 jornalistas resolveram paralisar as atividades. Em represália, o veículo de comunicação, um dos mais antigos do Nordeste, determinou a suspensão de 60 profissionais e ameaçou demiti-los por justa causa.

Com a finalidade de superar o impasse, o sindicato promete ingressar na Justiça do Trabalho com a finalidade de regularizar a remuneração financeira dos profissionais e conter o ímpeto punitivo da diretoria do jornal.

Confira a nota ‘Jornal A Tarde (Salvador-BA) dá suspensão a 60 jornalistas’

O centenário Jornal A Tarde determinou hoje a suspensão de 60 jornalistas que não receberam salários de janeiro, 13º salários de 2016 e 2017, 32 meses de FGTS e quatro meses de tíquete refeição. Os profissionais paralisaram as atividades aguardando a resposta da empresa sobre o salário.

Há quase três anos os atrasos salariais se repetem, assim como diversos episódios de assédio com a demissão de inúmeros colegas sem que estes recebessem as verbas homologatórias e fossem obrigados a recorrer à Justiça para tentar receber os valores.

O Sindicato dos Jornalistas da Bahia entrou com ações civis públicas pleiteando indenizações e ganhou as duas ações em primeira instância. Diante do atual quadro, o Sinjorba vai comunicar a situação vexatória dos jornalistas de A Tarde e do Massa ao Juízo de Conciliação de Segunda Instância que administra o setor de acordo global do qual A Tarde é signatário para pagamento de processos trabalhistas no Tribunal Regional do Trabalho para que sejam adotadas às medidas cabíveis.

Marjorie da Silva Moura, presidente do Sinjorba

Salvador, 28 de fevereiro de 2018.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10093 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).