FAFEN é o novo cenário de disputa entre governador Rui Costa e o prefeito ACM, diz deputado Afonso Florence

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Afonso Florence: Somos contra a hibernação das fábricas. O governo Temer, seus deputados e aliados, como ACM Neto, mais uma vez perseguem a Bahia.
Afonso Florence: Somos contra a hibernação das fábricas. O governo Temer, seus deputados e aliados, como ACM Neto, mais uma vez perseguem a Bahia.
Afonso Florence: Somos contra a hibernação das fábricas. O governo Temer, seus deputados e aliados, como ACM Neto, mais uma vez perseguem a Bahia.
Afonso Florence: Somos contra a hibernação das fábricas. O governo Temer, seus deputados e aliados, como ACM Neto, mais uma vez perseguem a Bahia.

Ocorreu nesta terça-feira à noite (27/03/2018), reunião na Câmara dos deputados (Plenário 14) convocada pelo líder do governo no Congresso, o deputado sergipano André Moura  (PSC-SE), sobre o fechamento da Fábrica de Fertilizantes (FAFEN), em Brasília (DF), com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, o governador de Sergipe, Jackson Barreto, e o vice-governador da Bahia, João Leão, senadores e deputados e as federações das indústrias dos dois estados.

O presidente da Petrobras apresentou a justificativa do fechamento da fábrica. O deputado André Moura e o deputado baiano Aleluia (DEM) apresentaram a proposta de que o fechamento, chamado pela Petrobras de hibernação, se dê aos 120 dias e não aos 90 anunciados pela presidente da Petrobras.

A senador Lídice da Mata (PSB) e o deputado  Afonso Florence (PT-BA) foram os primeiros a se pronunciar contra a “hibernação” da Fafen. “Somos contra a hibernação das fábricas. O governo Temer, seus deputados e  aliados, como ACM Neto, mais uma vez perseguem a Bahia. No prazo de 120 dias, que começa a contar a partir do dia 30 de junho, pretendem fechar as fábricas, ou seja, depois das eleições”, afirma Afonso Florence.

 Segundo Lidice, o governador Rui Costa está empenhado para garantir 700 empregos na fábrica de Camaçari. A hibernação afeta diretamente a vida de 675 trabalhadores e 15 empresas, só na Bahia, a Petrobras aponta a operação deficitária das unidades. “O que o que mais incide na Fafen é o preço do gás, que é de responsabilidade da Petrobras, que cobra um preço exorbitante, acrescenta Lidice”.

Ficou definido que serão criadas comissões formadas por representantes dos governos de Sergipe e da Bahia, do setor privado para que sejam encontradas alternativas à hibernação.

“Vamos construir a solução de gestão e vamos fazer uma grande mobilização contra mais esta aliança de Temer e ACM Neto contra a Bahia”, finalizou Florence.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113912 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]