Educação inclusiva amplia para 2 mil o número de alunos com deficiência nas escolas municipais de Feira de Santana

Secretária Jayana Ribeiro durante seminário ‘Todas as escolas são para todos’, em Feira de Santana.
Secretária Jayana Ribeiro durante seminário ‘Todas as escolas são para todos’, em Feira de Santana.
Secretária Jayana Ribeiro durante seminário ‘Todas as escolas são para todos’, em Feira de Santana.
Secretária Jayana Ribeiro durante seminário ‘Todas as escolas são para todos’, em Feira de Santana.

De 2013 para 2017, a rede municipal de ensino, em Feira de Santana, ampliou de 400 para 2 mil o número de alunos com deficiência atendidos nas escolas. A informação é da secretária de Educação do Município, Jayana Ribeiro. O processo de ampliação da Educação Inclusiva contempla, atualmente, 52 escolas municipais com Salas de Recursos Multifuncionais.

Jayana apresentou essas informações durante o seminário ‘Todas as escolas são para todos’, realizado pelo Ministério Público da Bahia em parceria com a própria Secretaria Municipal de Educação, no Dia Internacional da Síndrome de Down, 21 de março.

O objetivo do encontro foi discutir a Educação Inclusiva com gestores e coordenadores pedagógicos das escolas públicas municipais e estaduais.

A secretária disse que além da inclusão de centenas de novos alunos com deficiência incluídos nas escolas municipais, a Prefeitura criou o Centro Interprofissional de Atendimento Educacional Professora Marliete Santana Bastos (InterEduc), que oferece atendimento especializado funcional, psicológico e psicopedagógico a estudantes e professores.

É necessário possibilitar o diálogo sobre inclusão

A abertura das discussões foi ministrada pela promotora de justiça de Feira de Santana, Idelzuith Freitas de Oliveira Nunes. “É necessário possibilitar o diálogo sobre inclusão, promover debates sobre a temática”, acredita.

Quatro pilares são importantes para a inclusão

“A escola é para todos, sem nenhum tipo de distinção”, reforçou Cíntia Guanaes, promotora de justiça representante do Grupo de Atuação Especial na Defesa da Educação. “A Lei Brasileira de Inclusão destaca quatro pilares para a educação inclusiva: acesso, permanência, participação e aprendizagem, que são importantes para a garantia deste processo educativo”, explica.

Especialista destacou o trabalho dos professores nas salas de recurso

O encerramento das palestras ficou por conta da professora especialista em Educação Especial, Edna Santana, que debateu com os gestores e coordenadores sobre o trabalho dos professores nas salas de recurso e também nas regulares. “É importante que tenhamos em mente que as Salas de Recursos colaboram para diminuir as barreiras que o aluno possui para que possa assimilar cada vez melhor os conteúdos dados na sala de aula regular”, ressalta Edna.

Alunos da APAE fazem apresentação

A abertura do evento contou com uma apresentação cultural dos alunos que fazem atendimento especializado na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Feira de Santana.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111021 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]