Deputado estadual José Cerqueira Neto rebate críticas sobre período de conclusão e andamento das obras da Lagoa Grande, em Feira de Santana

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Deputado José Cerqueira Neto (Zé Neto) inspeciona obras da Lagoa Grande, em Feira de Santana.
Deputado José Cerqueira Neto (Zé Neto) inspeciona obras da Lagoa Grande, em Feira de Santana.
Deputado José Cerqueira Neto (Zé Neto) inspeciona obras da Lagoa Grande, em Feira de Santana.
Deputado José Cerqueira Neto (Zé Neto) inspeciona obras da Lagoa Grande, em Feira de Santana.
Obras realizadas na Lagoa Grande, em Feira de Santana
Obras realizadas na Lagoa Grande, em Feira de Santana

A obra da Lagoa Grande, realizada pelo Governo do Estado, é a maior intervenção urbana já feita em toda história de Feira de Santana. Em decorrência da sua proporção, ela carece de uma demanda de tempo muito acima do que se previu inicialmente. Inclusive, a previsão inicial é que fosse gasto um investimento total de R$ 68 milhões, e hoje, seguramente, já estão sendo gastos quase R$ 80 milhões, porque só nos últimos três anos, o Governo do Estado já aportou quase R$ 9 milhões a mais, para fazer intervenções que foram necessárias, informa deputado José Cerqueira Neto (Zé Neto, PT).

A ordem de serviço da obra foi dada no fim do ano de 2007 e ela foi dividida em etapas para serem cumpridas. A primeira delas, a parte social, foi iniciada em dezembro de 2008. Esta etapa durou em torno de quatro anos e, durante este período, foi construído um Conjunto Habitacional para cadastrar cada família. “Inicialmente, pensávamos em 690 famílias. Mas, ao final, foram 848, sendo que dessas, 626 foram para o Conjunto e as demais foram indenizadas”, esclarece o deputado estadual Zé Neto, líder do Governo na Assembleia Legislativa da Bahia.

A segunda parte da intervenção na Lagoa Grande, prevista no cronograma, foi a ampliação do espelho d’água. Além disso, como explica Zé Neto, foram feitas outras intervenções que não estavam previstas no projeto inicial e não estavam na órbita do Estado como, por exemplo, a obra de drenagem de água de chuva, de minação e intervenções dos canais em 10 ruas do entorno, dentre elas ruas que sempre tiveram dificuldades grandes. Depois das últimas intervenções dos canais, Feira de Santana esteve inundada, mas no entorno da Lagoa não houve nenhum problema.

“Essa é uma demanda do município, que ‘cruzou os braços’, mesmo sabendo que a obra possui algumas etapas. A primeira etapa ficou pronta, mas não foi fácil o Governo Municipal assumir com transporte, limpeza, postos de saúde e muito mais. E a segunda etapa foi tão quanto dificultosa, pois, mais uma vez, deixamos tudo pronto, com grama arrumada e com quiosque pronto. Só faltava a iluminação. Mas, o Município não recebeu, demorou de liberar a parte da Coelba para que pudéssemos avançar e, enfim, temos agora duas licitações feitas para serviços complementares da Lagoa, uma de assistência e manutenção, realizadas pela Empresa MJF; e outra com o objetivo de colocar grades e canais de drenagem dessas ruas, que é a Metro Engenharia, que realiza uma licitação da ordem de quase R$ 3,6 mi. Lá existem problemas de décadas, e nós estamos tentando resolver demandas que não são nossas”, disse Zé Neto.

Além disso, a parte de esgotamento sanitário não foi possível de ser finalizada, pois foram encontradas pedras no caminho, o que custa quatro ou cinco vezes a mais do que fazer a obra em uma área normal, com argila ou solo menos compacto. “Portanto, as obras da Lagoa Grande estão andando. Agora em abril, inclusive, nós entregaremos duas iluminações, sendo que no projeto inicial só tinha iluminação alta, que engloba mais a parte lateral da Lagoa, mas também faremos uma iluminação baixa, que vai ser mais propícia para pista de Cooper, ciclismo, com o gradeamento de toda a Lagoa e com amplos canais que serão entregues até maio. Outra licitação será feita para encerrar a parte de esgotamento sanitário da obra, que, aliás, enfrenta algumas dificuldades, pois alguns moradores ligaram a rede sanitária antes de se encerrar a obra da própria rede”, explica Zé Neto.

 Dessa forma, como destaca o deputado, “é preciso começar a valorizar mais o que nós conquistamos com o Governo e com essa obra, que eu repito: é a maior obra urbana, ambiental, de preservação, de humanização, de criação de um espaço de lazer, identidade e de reflexão sobre a nossa história. Com esse complexo de intervenções, que de um lado não foram encerradas no prazo que prevíamos, nós ampliamos a dimensão dela e, para mim, é surpreendente o impacto que ela tem trazido para a cidade, até mesmo no ponto de vista climático. O esforço do Governador Rui Costa é chegar até o meio do ano com mais uma licitação, para resolver a parte de pedras que foram encontradas. E vamos que vamos, para fazer essa última licitação e buscar entregar, até o final do ano, se não tivermos nenhuma surpresa no curso desta caminhada, a obra da Lagoa Grande concluída, para que Feira de Santana tenha mais orgulho desse grande cartão postal e desse grande resgate que nós fizemos com essa recuperação, que vai à contramão do que aconteceu com as lagoas de Feira nos últimos 20 anos, que, aliás, foram dizimadas. Agora, inclusive, o próprio município só caminha no sentido de fazer algum serviço em outras lagoas porque viu o impacto positivo da nossa intervenção na Lagoa Grande”, finalizou Zé Neto.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123279 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.