SINTEPE lança campanha salarial com apresentação de estudo sobre remuneração média dos servidores

Cartaz da Campanha Salarial Educacional 2018.
Cartaz da Campanha Salarial Educacional 2018.
Cartaz da Campanha Salarial Educacional 2018.
Cartaz da Campanha Salarial Educacional 2018.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) lançou no dia 1º de fevereiro de 2018 sua Campanha Salarial Educacional 2018 com a temática ‘Piso e Carreira. Vale a Luta’. A Campanha traz em seus argumentos a importância da atualização do piso salarial com repercussão na carreira do magistério.

“O Sintepe idealizou a Campanha com a representação de pais, mães, estudantes e trabalhadores e trabalhadoras em educação, todos juntos pela valorização do Piso do Magistério com repercussão durante toda a Carreira. Acreditamos que essa bandeira de lutas será uma alavanca para melhorarmos a qualidade da educação em nosso Estado”, disse Fernando Melo, presidente do Sintepe em entrevista coletiva de imprensa.

O Sintepe realizou um estudo com base em dados do Portal da Transparência do Estado de Pernambuco em cima da remuneração de média de servidores efetivos, durante o quatriênio de 2014 a 2017, de cinco secretarias de Estado: Educação, Saúde, Defesa Social, Fazenda, Planejamento e Gestão. O Sintepe considerou “remuneração média” como um valor médio entre todas as remunerações de um quadro funcional de uma Secretaria, desde a mais alta até a mais baixa. “A análise permite avaliar a política salarial direcionada aos servidores públicos e quais são as prioridades da gestão”, analisa Melo.

O estudo do Sintepe demonstrou que entre 2014 e 2017 a remuneração média dos trabalhadores em educação (professores, funcionários e analistas) subiu em um percentual de apenas 8,6%, acima somente da média dos trabalhadores da Saúde, que evoluíram apenas 7%. O salário médio da educação, segundo o estudo, ficou em R$ 3.125,00. Na outra ponta do relatório, a evolução dos salários dos servidores da Secretaria de Planejamento e Gestão, por exemplo, cresceu em 49% nesses quatro anos. Os servidores da Fazenda, além de lograr uma evolução das remunerações em 33,5%, detêm a maior média salarial do Estado, em cerca de R$ 27.768,00.

Em seu estudo apresentado, o Sintepe também criticou o alto número de contratos temporários na educação. Para o Sindicato, o número de contratos temporários em sala de aula atingiu uma média alta, de 37% do total de servidores da Educação.  Em 2017, de um total de 43.568 servidores, 16.001 eram temporários e outros 282 eram comissionados.

O Sindicato convocou a categoria para uma assembleia geral, no dia 22 de fevereiro, às 9 horas, no auditório do Bloco G da Universidade Católica de Pernambuco. Na oportunidade, serão avaliados os rumos da mobilização da categoria. “Consideramos que 2018, pelas suas características eleitorais, impõe um limite para o reajuste de seis meses antes do pleito. Isso exige uma concentração de esforços na defesa dos interesses da categoria e na luta pelo cumprimento da pauta de reivindicações entregue ao Governo no dia 22 de dezembro de 2017”, analisou o presidente do Sintepe, Fernando Melo.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112801 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]