Maragogipe comemora edição 2018 do carnaval de máscaras

Cena carnaval de Maragogipe.
Cena carnaval de Maragogipe.
Cena carnaval de Maragogipe.
Cena carnaval de Maragogipe.

Mascarados desfilam ao som de machinhas. Foliões se divertem usando as fantasias mais variadas. O Carnaval na sua essência. Assim é a folia em Maragogipe, município a 133 km de Salvador. Com o tema Super-herói da Folia, a festa em 2018, que acontece de 10 a 13 de fevereiro de 2018, mantem a tradição dos antigos bailes, ao som de “Mamãe eu quero”, “O teu cabelo não nega”, “Allah-lá-ô” e “Cabeleira do Zezé”.

Reconhecido e registrado pelo Instituto do Patrimônio Artístico Cultural do Estado (IPAC), em 2009, como “Patrimônio Imaterial da Bahia”, na festa, as machinhas tem também o som das centenárias orquestras e charagas maragojipanas. A manifestação tem em sua composição uma diversidade de cores, gestos e práticas ímpares que transformam o evento, em um festejo diferenciado, remontando o verdadeiro carnaval de cunho popular. “O Carnaval de Maragojipe traz a essência das festas carnavalescas, tendo inspiração festas similares que ocorriam na Europa no século XIX. É uma das referências culturais mais expressivas e populares do Estado da Bahia, com forte predominância de fantasias de figuras folclóricas, como os antigos carnavais, com fortes influências das culturas africana e indígena, retrato do caldeirão cultural que é a cidade de Maragogipe”, disse Francisco Gomes, secretário de turismo do local.

A brincadeira de máscaras e fantasias são o símbolo principal do Carnaval de Maragojipe, que tem sua raiz nos entrudos europeus, muito comparados ao Carnaval de Veneza, mas com a animação e alegria característicos do povo baiano. Através dessas fantasias, diversos turistas participam ativamente do festejo, interagindo com a população local, pintados ou não, muitas vezes até desfilando na tradicional passarela dos mascarados, disputando o concurso de máscaras que acontece durante todo o carnaval.

Maragogipe

Incialmente habitada pelos índios da tribo Maragós, foi palco importante na independência brasileira. Inicialmente, muitos se estabeleceram no local para a extração de madeiras, plantação de mandioca e de cana-de-açúcar, construção de engenhos e casas de farinha. Tornou-se independente em 8 de maio de 1850. Possui seis distritos que são Maragogipe, Coqueiros, Guaí, Guapira, Nagé e São Roque do Paraguaçu.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109885 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]