Espetáculo teatral Compadre de Ogum celebra cinco anos no Espaço Cultural da Barroquinha, em Salvador

Cena do espetáculo 'Compadre de Ogum'.
Cena do espetáculo 'Compadre de Ogum'.
Cena do espetáculo 'Compadre de Ogum'.
Cena do espetáculo ‘Compadre de Ogum’.

A peça ‘Compadre de Ogum’, que tem adaptação e direção de Edvard Passos, celebra cinco anos fazendo o que de melhor se pode fazer quando se vive de teatro: entrar em cena. Por isso, nos próximos sábados, dias 20, 27 de janeiro e 3 de fevereiro de 2018, às 18 horas, no Espaço Cultural da Barroquinha, em Salvador, ‘Compadre de Ogum’ faz temporada onde a entrada custa apenas um quilo de alimento não perecível, que será doado ao Núcleo de Assistência à Criança com Câncer (Nacci).

Para completar a celebração, a peça contará com as participações especiais dos Filhos de Ghandy e do Cortejo Afro, que como revela o diretor Edvard Passos, estavam presentes na concepção inicial do espetáculo. “A participação do Gandhy e do Cortejo é uma vontade antiga. Quando o projeto de Compadre de Ogum nasceu em 2013, as duas entidades carnavalescas já estavam conosco dando suporte e respaldo. Ou seja, Compadre de Ogum sempre nutriu esse namoro com o Gandhy e o Cortejo. É um retorno às origens e a realização de um sonho”, diz ele.

A cantora Matilde Charles também faz uma participação especial. “Mathilde Charles traz elegância e sofisticação à peça. É um toque de fino trato, um carinho, um amor, uma presença de Oxum, um aprimoramento que estou tendo o grande prazer e a responsabilidade de inserir no ‘Compadre de Ogum’. O canto e a presença de Mathilde, por si só, contaminam e despertam em todos os artistas o que há de melhor em cada um”, enfatiza Edvard.  Além das apresentações, serão realizados dois colóquios na Fundação Casa de Jorge Amado, sobre a obra do grande autor baiano. Os colóquios acontecem nos dias 17 e 24 de janeiro, às 16 horas, com entrada franca.

Sobre os colóquios

Dia 17 de janeiro, às 16 horas, com entrada franca, na Fundação Casa de Jorge Amado – Palestra do diretor Edvard Passos que terá como tema o artigo ‘Compadre de Ogum: o papel da cidade de Salvador e da Igreja Primeira de Santana na construção da poética do espetáculo’. Com capacidade para 60 pessoas e duração 1:30 hora, o colóquio tem como público-alvo encenadores, estudantes de teatro, arquitetura e urbanismo, dramaturgos e estudiosos da obra de Jorge Amado.

Dia 24 de janeiro, às 16 horas, com entrada franca, na Fundação Casa de Jorge Amado Colóquio sobre a obra ‘Os Pastores da Noite’, com participação do diretor Edvard Passos, da diretora da Fundação Casa de Jorge Amado, Angela Fraga, e de dois escritores convidados. O público presente será incentivado a interagir com os participantes. Com capacidade para 60 pessoas e duração 1:30 hora, o colóquio tem como público-alvo estudantes de literatura, acadêmicos e estudiosos da obra amadiana.

Sobre Compadre de Ogum

Adaptado da obra de Jorge Amado, dirigido Edvard Passos, indicado a seis Prêmios Braskem em 2015 e vencedor na categoria Melhor Direção, o espetáculo ‘Compadre de Ogum’ narra a história do biscateiro Massu das Sete Portas, um homem negro que, com a ajuda de amigos, organiza o batizado na igreja de seu filhinho ‘galego’. Até aí seria pouca novidade se o padrinho da criança não fosse Ogum, que anuncia o batizado dentro da igreja católica. Convivência de credos, diversidade étnica em Salvador e o valor da amizade verdadeira são elementos que permeiam a divertida trama.

Sucesso internacional, o espetáculo foi debatido em eventos de peso como a Quadrienal de Praga, a Conferência Anual Federação Internacional de Pesquisa em Teatro, em Hyderabad, na Índia e na Conferência Dramatic Architectures, na cidade de Porto, em Portugal. ‘Compadre de Ogum’ foi pensado para a ocupação de espaços não convencionais e a peculiaridade de ter sido montado para ser realizado fora da caixa cênica – a primeira encenação foi feita na Igreja de Santana no Rio Vermelho – chamou a atenção da crítica especializada e de pesquisadores.

‘Compadre de Ogum’ nasceu para homenagear Salvador e coloca em cena 14 atores. “O elenco é um tesouro dessa montagem. Pedras preciosas garimpadas com todo empenho”, completa ele. diz Edvard Passos. “O teatro que eu faço é um teatro de atores. Quando escolho um elenco levo em consideração a qualidade da resposta em cena. A adequação do perfil”. Nesses cinco anos, gostaria de dedicar o trabalho ao elenco e destacar os cinco atores que fizeram todas as apresentações de 2014 até hoje: Zé Carlos Junior, Danilo Cairo, Everton Machado, Leandro Villa e Leomaria Novaes. Estamos todos muito felizes com nosso reencontro, com o retorno de Diogo Lopes Filho ao elenco e com a chegada de novos integrantes, como Anderson Capacete, talentosíssimo percussionista, homem de confiança de Carlinhos Brown, que vai experimentar também o lugar de ator em Compadre de Ogum”. Quero destacar também a garra de Simone Carrera, diretora de produção, que é figura fundamental na renovação e no crescimento dessa trabalho tão Amado”, declara Edvard Passos.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108850 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]