Professores de Teofilândia recebem doações para realizar bazar; doações podem ser feitas na sede MOC em Feira de Santana

Movimento de Organização Comunitária (MOC) promove bazar solidário.

Movimento de Organização Comunitária (MOC) promove bazar solidário.

Os professores da rede de ensino municipal de Teofilândia, no Território do Sisal na Bahia, vivem uma situação difícil e complicada devido os atrasos nos pagamentos de seus salários. Acordo firmado, sobre a data de pagamento, pela prefeitura municipal foi descumprido, além de cortes das vantagens e direitos dos docentes, feitos nos últimos meses de salários, garantidas por lei.

Os/as docentes de forma oficial e legal, entraram em greve no último dia 20 de outubro por conta dessas arbitrariedades e injustiças com seus direitos. E permanecem na tentativa de diálogos para resolver esse problema, que afeta gravemente à educação local, porém a greve está sendo considerada ilegal pela gestão pública, que está descontando  também esses dias. Para a professora Ana Rocha todas as manifestações e tentativas de diálogos da greve estão dentro da lei, porém a situação só piora, pois os professores estão sendo reduzidos para classe A, com cortes das vantagens em seus salários.

Diante dessa situação, até mesmo desumana, os professores/as que estão passando necessidades, organizam campanhas para receberem doações de alimentos e doações também de produtos para fazerem bazar e arrecadar recursos e meios de se manterem com suas famílias, enquanto essa conjuntura não se resolve de forma digna e justa. O Bazar está sendo realizado todo sábado na feira livre municipal e todos os dias na sede da APLB.

O Movimento de Organização Comunitária (MOC) está apoiando essa causa dos professores/as e abre as portas para receber as doações para serem enviadas para os professores/as de Teofilândia, pois o MOC acredita que para ter Educação do Campo Contextualizada, na qual a intuição trabalha na linha de suas ações, os educadores/as precisam receber seus direitos dignamente garantidos.

“O gestor demonstrou falta de compromisso com a educação de qualidade que se faz mola mestra do país, pois um povo bem educado tem prioridade e respeito com seu município. Vale ressaltar que o gestor municipal desrespeitou de forma violenta a Lei Federal 11.494/ 2007 (Lei do FUNDEB). E ainda houve um descumprimento ao trabalho dos profissionais (professores) que fazem a educação de qualidade e emancipadora deste município”. Vera Lúcia do Nascimento/Coordenadora do Núcleo Sindical de Teofilândia-Ba. “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”. Paulo Freire

Redes sociais do JGB

Compartilhe e Comente

Publicidade

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Redação

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]