Navegando nas ondas do Mar Sagrado. 23 de Novembro, aniversário da Barquinha da Madrinha Chica Gabriel

Francisca Campos do Nascimento, Madrinha Chica Gabriel

Francisca Campos do Nascimento, Madrinha Chica Gabriel

Pela sagrada noite amazônica de 23 de Novembro de 2017, a Vila Ivonete (Rio Branco – Acre) está em festa. Comemora-se 26 anos de existência do Centro Espírita Obras de Caridade Príncipe Espadarte, a Barquinha da Madrinha Chica Gabriel, igreja ayahuasqueira da linha espiritual do Mestre Daniel Pereira de Mattos, o Frei Daniel.

Neste ano festeja-se também os 60 anos de chegada de Dona Chica à Missão do seu querido Mestre.

Foi assim: atormentada por tumores que lhe cobriam o corpo dos pés à cabeça, Francisca Campos do Nascimento estava como que “desenganada” pelos médicos”. Os medicamentos já não surtiam efeitos.

Seu marido, Francisco Gabriel do Nascimento (03.07.1914 – 02.03.2017) a levou para uma consulta com o Mestre Daniel. Era uma manhã de domingo, 20 de maio de 1957 e, caminhando pelo estreito varadouro a caminho da Vila Ivonete, Dona Chica elevou o pensamento, rogando por sua cura. Prometeu que se ficasse boa continuaria naquela casa, naquela igreja, até o dia que Deus permitisse.

Francisco Gabriel do Nascimento (03.07.1914 – 02.03.2017)

Francisco Gabriel do Nascimento (03.07.1914 – 02.03.2017)

O encontro com o Mestre

Mestre Daniel os recebeu, e perguntou para dona Chica Gabriel:

— A senhora acredita em São Francisco das Chagas?

Ele repetiu esta pergunta três vezes. Por três vezes ela respondeu afirmativamente:

— Eu creio!

— Olhe Dona Chiquinha, assim como a senhora acredita que existe São Francisco das Chagas, pode acreditar que a senhora vai ficar boa.

Mandou que ela entrasse naquela humilde igrejinha de taipa, e que sentasse no banquinho de pau roliço. Chamou o irmão José Joaquim e o autorizou a fazer uma busca espiritual para descobrir a causa dos seus males.

A sua doença era um mal secreto que lhe fizeram quando estava no terceiro dia de resguardo após uma gestação. Mestre Daniel lhe disse que ficaria curada, mas não seria logo, demoraria um tempo.

Diagnosticada a doença espiritual, começou o tratamento. Mestre Daniel rezou e pediu a outros irmãos que rezassem nela, ensinou remédio caseiro, banho de ervas e lhe deu o Daime nos primeiros meses como medicamento.

O Mestre a convidou para ser trabalhadora na sua Missão. Dona Chica prontamente aceitou. Mestre Daniel pediu a Rainha do Mar que concedesse a Dona Chica contato com seres espirituais, afirmando que sua linha era a “linha do mar”. Um dia, um ser curador se apresentou diante dela em uma miração (visão), encantado na forma de um peixe espada — o Príncipe Espadarte. São os mistérios e maravilhas desta encantadora Doutrina.

Mestre Daniel Pereira de Mattos, o Frei Daniel

Mestre Daniel Pereira de Mattos, o Frei Daniel

O Príncipe Espadarte

Como trabalhadora do Centro Espírita “Casa de Jesus – Fonte de Luz” (a Barquinha), Dona Chica Gabriel recebeu a sua primeira entidade espiritual em 01 de novembro de 1957, dia de Todos os Santos. O Príncipe Espadarte foi chamado pelo Mestre Daniel para prestar atendimento a uma mulher que chegara quase morta em sua casa.

Desse dia em diante, o aparelho de Dona Chica serviu para o Príncipe Espadarte dar início às consultas e aos passes espirituais durante os trabalhos de Obras de Caridade.

A Irmã de Caridade Chica Gabriel não tinha dia nem hora para prestar qualquer serviço que estivesse ao seu alcance. Nos mistérios do Céu, da Terra e do Mar passou a atender no Gongá (Gabinete) como aparelho do Soldado Guerreiro Príncipe Dom Simeão, o Doutrinador dos pagãos.

Após 34 anos trabalhando na Casa Espírita fundada pelo Mestre Daniel, prestando obras de caridade ao lado do Fundador, dos presidentes Antônio Geraldo da Silva, Manuel Hipólito de Araújo e de toda a irmandade, Dona Chica Gabriel recebeu instrução para iniciar uma nova etapa da sua caminhada espiritual.

A Barquinha

A Barquinha

O Centro Espírita Obras de Caridade Príncipe Espadarte

Cumpriu uma penitência e foi autorizada a fundar o seu próprio Centro. Assim, no dia 23 de novembro de 1991, fundou o Centro Espírita Obras de Caridade Príncipe Espadarte, nas dependências de sua humilde casa.

Foi o Padrinho Chico Gabriel — ao lado do filho mais velho Antônio — quem edificou a humilde casinha onde os trabalhos deste Centro Espírita se iniciaram. Casa de Jesus e da Virgem da Conceição, consagrada ao Senhor São Francisco das Chagas.

Nos mistérios da Santa Doutrina, Madrinha Chica presta Obras de Caridade, no atendimento de pessoas que chegam à procura de ajuda, de conforto, incorporando o Soldado Guerreiro da Paz (Mistério do Astral), o Príncipe Dom Simeão (Mistério da Terra), e o Príncipe Espadarte (Mistério do Mar) — entidade que na sua missão espiritual se converteu em seu guia chefe, e designa oficialmente o nome desta Casa: Centro Espírita Obras de Caridade Príncipe Espadarte

Incansável na sua missão espiritual, o Centro Espírita dirigido por ela, Madrinha Chica Gabriel, tem um calendário litúrgico quase diário: são mais de 280 dias por ano que se abre o Culto Santo (atos litúrgicos) e se trabalha na Santa Luz.

Ela costuma dizer que o seu Mestre, Daniel Pereira de Mattos, não descansava: toda noite pegava o violão e abria o Culto Santo. Dessa maneira, esta caritativa senhora busca alcançar as promessas de Cristo: “onde dois ou mais estiverem reunidos em Meu nome lá Eu estarei”.

Esta Igreja de Daime concentra uma laboriosa e ordeira irmandade, que desenvolve atividades materiais e espirituais em benefício da comunidade, sejam adultos ou crianças.

O Centro Espírita Príncipe Espadarte é parceiro de instituições como a Fundação cultural Garibaldi Brasil, da Prefeitura Municipal de Rio Branco, Capital do Acre, na promoção de ações sociais no campo da cultura, educação e arte. Como exemplo, realizou-se em outubro deste ano a Oficina de Confecção de Caxixi — um exitoso projeto artístico-cultural.

Atividades culturais na Barquinha

Atividades culturais na Barquinha

Os salmos entoados, as preces rezadas, as rogativas feitas neste Ponto de Luz — a Barquinha da Madrinha Chica — ilumina as noites rio-branquenses e irradia a sua luz para toda a humanidade.

Nas noites de suas concorridas festas, os cantos, a música, a dança alegra as noites amazônicas, que se enchem de magia — marinheiros navegando nas ondas do Mar Sagrado — no encantado Bailado da Barquinha.

E hoje, na sagrada noite de 23 de Novembro, é momento de alegria, de festejos, por mais um aniversário desta Casa de jesus e da Virgem da Conceição.

A Paz de Deus seja conosco!

***********************

(O Centro Espírita Obras de Caridade Príncipe Espadarte está situado na Rua da Paz, nº 134, Bairro Nova Estação, em Rio Branco – Acre).

Duas Sereias. Duas Rainhas: Chica Gabriel e Ciça Maringoni na Casa de Yemanjá (Salvador - Bahia)

Duas Sereias. Duas Rainhas: Chica Gabriel e Ciça Maringoni na Casa de Yemanjá (Salvador – Bahia)

Cecília Maringoni, Madrinha Chica e Juarez Bomfim

Cecília Maringoni, Madrinha Chica e Juarez Bomfim

Assista a Entrevista da Madrinha Chica Gabriel:

https://www.youtube.com/watch?v=MGHUV_anrSU&app=desktop

 

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Juarez Duarte Bomfim

Baiano de Salvador, Juarez Duarte Bomfim é sociólogo e mestre em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), doutor em Geografia Humana pela Universidade de Salamanca, Espanha; e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Tem trabalhos publicados no campo da Sociologia, Ciência Política, Teoria das Organizações e Geografia Humana. Diversas outras publicações também sobre religiosidade e espiritualidade. Suas aventuras poético-literárias são divulgadas no Blog abrigado no Jornal Grande Bahia. E-mail para contato: [email protected]