Ex-secretário estadual Robinson Almeida qualifica prefeito ACM Neto de “grileiro urbano”

Robinson Almeida: Ao invés de se portar como grileiro urbano, o prefeito deveria cumprir suas obrigações e prestar os serviços públicos de saúde e educação à população soteropolitana que reside nas áreas do limite e está abandonada pela prefeitura de Salvador.
Robinson Almeida: Ao invés de se portar como grileiro urbano, o prefeito deveria cumprir suas obrigações e prestar os serviços públicos de saúde e educação à população soteropolitana que reside nas áreas do limite e está abandonada pela prefeitura de Salvador.
Robinson Almeida: Ao invés de se portar como grileiro urbano, o prefeito deveria cumprir suas obrigações e prestar os serviços públicos de saúde e educação à população soteropolitana que reside nas áreas do limite e está abandonada pela prefeitura de Salvador.
Robinson Almeida: Ao invés de se portar como grileiro urbano, o prefeito deveria cumprir suas obrigações e prestar os serviços públicos de saúde e educação à população soteropolitana que reside nas áreas do limite e está abandonada pela prefeitura de Salvador.

Em nota encaminhada nesta quarta-feira (04/10/2017) ao Jornal Grande Bahia (JGB), o ex-secretário estadual de Comunicação da Bahia Robinson Almeida criticou severamente o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM), em decorrência da ilegítima apropriação de áreas urbanas do mancípio de Lauro de Freitas, pela prefeitura de Salvador. Em decorrência da infame prática, Robinson Almeida qualificou ACM Neto de “grileiro urbano”.

— A população de Lauro de Freitas está em pé de guerra contra a atitude do prefeito ACM Neto de querer grilar terras do município. Recentemente, Neto aprovou na Câmara Municipal a incorporação ao município de Salvador áreas das localidades dos bairros de Itinga, Areia Branca e Barro Duro, pertencentes à Lauro de Freitas. — Comentou Robinson Almeida.

— Hoje, numa concorrida audiência pública na Assembleia Legislativa, os técnicos da SEI e do IBGE apresentaram o parecer dando razão a Lauro de Freitas nessa disputa de limites territoriais entre os dois municípios. Com essa posição, uma importante derrota se prenuncia pra ACM Neto. — Informou Robinson Almeida.

— Ao invés de se portar como grileiro urbano, o prefeito deveria cumprir suas obrigações e prestar os serviços públicos de saúde e educação à população soteropolitana que reside nas áreas do limite e está abandonada pela prefeitura de Salvador. — Criticou Robinson Almeida.

Sobre Carlos Augusto 9455 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).