Deputado Valmir Assunção repudia violência no campo: “Brasil precisa reagir, pessoas estão morrendo”

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Deputado Valmir Assunção repudia violência no campo.
Deputado Valmir Assunção repudia violência no campo.
Deputado Valmir Assunção repudia violência no campo.
Deputado Valmir Assunção repudia violência no campo.

O aumento da violência no campo no Brasil expõe diretamente cerca de 93,8 mil famílias, o que deixou o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) perplexo nesta terça-feira (03/10/2017). Atualmente, a região Norte do país é o foco dos debates sobre a exploração de terras, com a Amazônia tendo 977 áreas com conflitos.

“Esse aumento é devido ao fim das políticas agrárias e das decisões desse governo golpista de Michel Temer, que teve o apoio dos ruralistas para golpear a Constituição. Dados divulgados essa semana apontam que nesse ano pelo menos 47 pessoas morreram somente nessas regiões, conforme aponta o Atlas de Conflitos da Amazônia, apresentado pela CPT [Comissão Pastoral da Terra]”, salienta Assunção com informações de nove Estados da Amazônia Legal. “Em 2016 foram no total 48 mortes, e neste ano neste período já temos 47. Tudo isso para saquear os bens naturais e manter os latifúndios nessas localidades”.

De acordo com Valmir, o governo federal deve reagir e ampliar as investigações e preparar operações para conter o avanço da violência no campo, principalmente nessas áreas de conflitos. O parlamentar acredita que as grandes corporações capitalistas deixaram um prejuízo ecológico enorme, e um rastro de violência contra os habitantes. Segundo os dados da CPT, esse é um dos piores momentos vividos pelos povos da Amazônia.

“Os povos deste país estão sendo massacrados e oprimidos pelo capital que expulsa as populações tradicionais de seus territórios, proibindo-as de usar a terra e as águas para sua subsistência”, frisa o petista.

De acordo com os dados divulgados pelo CPT, o Estado que possui mais conflitos de terra é o Maranhão, que chega a 197 casos. Já em relação ao número de famílias afetadas, o Pará é o Estado com maior número, cerca de 20.498 famílias, e tem uma atenção maior à localidade de Anapu – a cidade em que a missionária Dorothy Stang foi assassinada. O CPT informa que não há falta de terras nessas regiões. O documento divulgado aponta que na Amazônia Legal, as terras devolutas somam o montante de 114.897.607 hectares, o equivalente a 13,5% das terras brasileiras.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 121932 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.