Arany Santana se torna a primeira mulher a assumir a Secretaria de Cultura da Bahia; confira perfil da gestora, educadora, atriz e ativista

A gestora, educadora, atriz e ativista Arany Santana foi empossada em cerimônia com o governador Rui Costa.
A gestora, educadora, atriz e ativista Arany Santana foi empossada em cerimônia com o governador Rui Costa.
A gestora, educadora, atriz e ativista Arany Santana foi empossada em cerimônia com o governador Rui Costa.
A gestora, educadora, atriz e ativista Arany Santana foi empossada em cerimônia com o governador Rui Costa.
Jorge Portugal e Arany Santana.
Jorge Portugal e Arany Santana.

Autoridades, gestores, artistas, agentes culturais e militantes estiveram entre as centenas de pessoas presentes na tarde desta segunda-feira (02/10/2017), no Salão de Atos da Governadoria, para dar as boas vindas à nova Secretária de Cultura da Bahia, Arany Santana. Recebida com calorosos aplausos, a primeira mulher a assumir a pasta tomou posse do cargo em cerimônia celebrada pelo Governador do Estado, Rui Costa.

“Continuamos escrevendo história, com a primeira mulher a assumir a Secretaria de Cultura da Bahia. E uma mulher negra. Eu tenho certeza que Arany, com a sua sensibilidade, alma, coração e ligação com o povo, terá muita energia pra gente continuar trabalhando e edificando os pilares da nossa cultura, que é algo estruturante na vida humana e, sobretudo, para os baianos”, declarou Rui.

Arany assume a pasta após Jorge Portugal ter entregue o cargo na última quinta-feira (28). O ex-secretário participou da cerimônia para abraçar e desejar sucesso à nova gestora.

A secretária de cultura na oportunidade reiterou o seu compromisso com a comunidade do setor e em contemplar e assegurar a cidadania cultural através da agregação de nomes das mais diversas linguagens, atividades e vertentes. “É preciso fazer saber como a Secult é importante e o quanto ela faz. Minha expectativa é de poder garantir os direitos culturais da mesma forma que garantir os direitos humanos fundamentais. Ampliar as parcerias entre os vários órgãos. Reconhecer e valorizar as diversidades, as diferenças, as convergências e as confluências da cultura da Bahia”, afirmou Arany.

Ex-diretora do Centro de Culturas Populares e Identitárias (2011-2017), unidade da SecultBA, Arany Santana possui um histórico atrelado à cultura e militância étnica que resiste há anos. Ela é ex-diretora do Ilê Aiyê, mais antigo movimento negro do Brasil; e co-fundadora do Movimento Negro Contra a Discriminação Racial (hoje Movimento Negro Unificado). Como educadora, tem uma trajetória voltada para a alfabetização de adultos iletrados, a arte-educação e o ensino de cultura africana. Também atriz, participou de filmes como A Idade da Terra, de Glauber Rocha, O Jardim das Folhas Sagradas, de Póla Ribeiro, e Capitães da Areia, de Cecília Amado. Na gestão pública, foi a primeira secretária municipal da Reparação, no ano de 2003, e esteve à frente da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza do Estado da Bahia, em 2010.

Ex-secretários da pasta prestigiam a posse de Arany Santana na Secult

A posse da nova secretária de Cultura do Estado, Arany Santana, foi prestigiada por antigos titulares da pasta. Além de Jorge Portugal, a quem Arany substitui, também estiveram presentes os ex-secretários Márcio Meirelles e Albino Rubim, ambos da gestão de Jaques Wagner. Os três foram unânimes ao destacarem as qualidades da nova gestora e ressaltaram sua capacidade de trabalho e seu papel na luta pela cultura baiana e, especialmente pela identidade afro-baiana.

“Conheço Arany há muito tempo e confio no seu trabalho. O Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI) foi criado na minha gestão e, na época, a convidei para assumir a direção. Além de ser uma pessoa adorável, desenvolve um trabalho fantástico. Ela tem a vantagem de se relacionar muito bem com as pessoas e conhecer bem a secretaria”, afirmou Albino Rubim.

Mesmo achando que a nova secretária terá pouco tempo para colocar seus projetos em prática, Márcio Meirelles destaca que as características de Arany vão ajudá-la muito na sua gestão. “Trata-se de uma mulher competente, corajosa e guerreira. O próprio fato de ela ter aceito assumir a secretaria já foi muito importante”, disse o ex-secretário e diretor teatral.

“Saiu um negro e entrou uma negra. É uma prova de que a Bahia está demonstrando que reconhece a importância do povo negro na sua cultura.”, afirmou o ex-secretário Jorge Portugal, também enfatizando a trajetória de luta e sucesso da nova secretária de Cultura do Estado.

Perfil da secretária

Primeira mulher a assumir a pasta da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, a relação com a cultura e a educação começou cedo na vida de Arany Santana. Natural de Amargosa – BA, seu pai foi marceneiro e músico da filarmônica da cidade, e sua mãe, costureira, fazia as roupas dos ternos de reis. Arany e sua família migraram para Salvador após o golpe militar de 1964, quando ficaram visados em sua cidade natal devido às reuniões de artistas e intelectuais que aconteciam em sua casa.

Cidadã soteropolitana por mérito e reconhecimento, cursou o ensino médio no Colégio Central e foi ativa na revolução estudantil que acontecia na cidade. Saiu do movimento estudantil e se formou em Letras no ano de 1974, indo ensinar em Castro Alves, no interior da Bahia. Como educadora, seu foco sempre esteve na alfabetização de adultos iletrados, além de ensinar cultura africana e atuar como arte-educadora.

Filha dos ventos, sob a proteção de Iansã, é especialista em Língua e Cultura Kikóongo e em História da África e possui um histórico atrelado à cultura e militância étnica que resiste há anos. No ano de 1974, junto a amigos que conheceu na sua adolescência no bairro de São Caetano, Arany participa da história da fundação do Ilê Aiyê, o movimento negro mais antigo do Brasil, e onde permaneceu diretora durante muitos anos. Em 1978 ajudou a fundar o Movimento Negro Contra a Discriminação Racial (hoje Movimento Negro Unificado), teve o prazer de lavrar a ata de fundação junto a nomes como Abdias do Nascimento e Lélia Gonzalez.

“Nunca deixei de militar, de ir para o enfrentamento. Fizemos tantas coisas quando não se tinha acesso a tantas facilidades como se tem hoje. E a cultura realmente foi a salvação de tudo isso, a cultura sempre esteve em primeiro lugar na minha vida”, reflete a secretária.

Como atriz, Arany estudou na Escola de Teatro da UFBA, ainda aluna participou de diversas peças de teatro e do filme “A Idade da Terra”, do cineasta Glauber Rocha, com quem fez a sua estreia no cinema. Também tem no currículo filmes como Capitães da Areia, de Cecília Amado, Pau Brasil, de Fernando Belens, Jardim das Folhas Sagradas, de Pola Ribeiro, e A Guerra de Canudos, de Sérgio Rezende.

O reconhecimento da trajetória de Arany na militância, cultura, artes e educação a levou para os caminhos da gestão pública. No ano de 2003, foi convidada pela prefeitura de Salvador para assumir a nova Secretaria Municipal da Reparação, papel que exerceu durante 01 ano. No ano de 2010, esteve à frente da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza do Estado da Bahia. Entre os anos de 2011 e 2017, foi diretora do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), dando vez e voz às manifestações tradicionais e culturas de todo o estado, além de implantar um importante trabalho de dinamização do Pelourinho. Também esteve conselheira de cultura do Estado da Bahia no período de 2014-2017. Em 02 de outubro de 2017, toma posse da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, a pedido do governador Rui Costa, com o propósito de dar continuidade ao trabalho de democratização da cultura por todo o estado.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108739 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]