Vereador Cadmiel Pereira defende legalização do Uber em Feira de Santana

Cadmiel Pereira: quero aqui ressaltar que não sou contra o progresso, mas o Uber precisa passar por um processo de implantação.

Cadmiel Pereira: quero aqui ressaltar que não sou contra o progresso, mas o Uber precisa passar por um processo de implantação.

Durante pronunciamento, no tempo do grande expediente da sessão ordinária desta segunda-feira (04/09/2017), na Câmara Municipal de Vereadores, o edil Cadmiel Pereira (PSC) afirmou que não é contra a chegada do Uber em Feira de Santana, mas que a nova modalidade de transporte se instale de forma legal, respeitando as existentes.

“Percebo que a sociedade vai evoluindo e que as cidades estão crescendo também quando se trata de mobilidade urbana e o transporte em massa vem ajudando elas. Porém, nosso tráfego ainda têm muitos carros, apesar de outras alternativas como trens e metrôs. Mesmo com toda essa evolução é preciso respeitar quem já faz o transporte há anos, a exemplo dos taxistas. Mesmo com todo o crescimento da tecnologia e o progresso, não podemos permitir a destruição do que já está concretizado”, avaliou Cadmiel.

O edil observou que mesmo com vida dinâmica, já instalada em Feira de Santana, não pode-se perder alguns critérios para a vida em sociedade. “Temos o Uber querendo se instalar em Feira de qualquer maneira e não podemos permitir. Os taxistas, por exemplo, antes de atuar na cidade têm os carros vistoriados e eles cadastrados, ou seja, qualquer problema que acontecer temos como identificar o motorista, pois sabemos quem ele é. Mas, com o Uber não está sendo assim. Não sabemos quem são e de onde vieram. Não se conhece”, pontuou.

 E continuou a tratar sobre a modalidade de transporte. “Quero aqui ressaltar que não sou contra o progresso, mas o Uber precisa passar por um processo de implantação. Temos que promover audiências públicas, conversar com sindicatos e associações que representam esta categoria, bem como com seus representantes. Feira não deve ficar de fora do progresso que vem acontecendo no mundo, mas a forma de instalação precisa ser apresentada à sociedade”, disse.

Cadmiel sugeriu mais que o secretário Municipal de Transporte ouça as demandas dos trabalhadores deste setor. “Acredito que eles têm muito a contribuir, mas também temos que cumprir o que diz nossa legislação. Precisamos ainda ouvir, entender e conversar com os interessados para que possamos avançar”, sugeriu.

Matéria

Ainda no uso da tribuna, Cadmiel criticou a forma como uma matéria que trata sobre o Centro de Referência à Mulher foi divulgada no BA TV. Segundo ele, a veiculação não apresentou dados específicos da pesquisa e colocou em xeque a conduta de homens evangélicos.

“A matéria afirmou que 70% das mulheres violentadas são evangélicas. Como foi feita essa pesquisa? Onde? Quem ouviu? Se 70% das mulheres violentadas são evangélicas, subentende-se que foram violentadas por homens evangélicos, pois a maioria delas é casada também com homens evangélicos. Então, homens evangélicos são agressores? ”, questionou Cadmiel.

E continuou a criticar. “A matéria pendeu para o lado religioso e isso não deve acontecer. Há anos que lutamos pela liberdade religiosa, pelo direito de ir e vir dos evangélicos. Fui procurado por muitos evangélicos por conta da veiculação desta matéria, que trouxe uma condição de guerra religiosa. Entendo que o agressor da mulher deve ser penalizado, seja ele católico, evangélico, umbandista ou qualquer outra religião, mas nunca pesar uma responsabilidade sobre o evangélico”, findou.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]debahia.com.br