Secretaria de Cultura da Bahia emite Nota de Pesar em memória do cineasta Guido Araújo

Professor, diretor e cineasta baiano Guido Araújo morreu aos 83 anos.

Professor, diretor e cineasta baiano Guido Araújo morreu aos 83 anos.

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia emitiu nesta quarta-feira (27/09/2017) nota de pesar Nota de Pesar em memória do professor, diretor e cineasta baiano Guido Araújo.

Confira o teor da nota

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) e a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) transmitem seu profundo pesar pela morte do professor, diretor e cineasta baiano Guido Araújo, que morreu nesta quarta-feira (27/09/2017), aos 83 anos, no Hospital Português em Salvador, onde estava internado. Ele sofria de Mal de Parkinson.

Guido, que nos anos 1950 participava das sessões de cineclube promovidas por Walter da Silveira, ao longo de sua trajetória se tornou um ícone para toda uma geração de cineastas baianos. “A morte de Guido me entristece pela sua trajetória e proximidade que tínhamos. Pela sua coragem de tornar uma jornada baiana de curta-metragem uma jornada internacional de cinema. Por ter resistido o tempo todo pelo bem e pelo desenvolvimento da sétima arte. Deixa para mim uma saudade muito grande, uma saudade que reveste os homens raros que, por lutarem a vida inteira, são imprescindíveis”, declarou o secretário de Cultura da Bahia, Jorge Portugal.

Guido Araújo foi o idealizador da Jornada Internacional de Cinema da Bahia, que teve 39 edições realizadas e se tornou um dos acontecimentos cinematográficos mais importantes do país. “O grande predicado de Guido era reunir todas as bitolas dos períodos em que ele atuou, desde o Super 8 até 35 mm, sem deixar de absorver todas as produções da época em que o cinema se transformou em audiovisual, com o advento do vídeo. Juntava tudo em um só pacote, o que dava uma aura extremamente democrática e inclusiva, porque colocava no mesmo espaço veteranos e iniciantes”, considera Bertrand Duarte, ator e diretor da Diretoria de Audiovisual (Dimas) da Funceb, lamentando a perda.

Guido dirigiu filmes engajados no interior da Bahia como Maragogipinho, Feira da Banana, A Morte das Velas do Recôncavo, Lambada em Porto Seguro, Raso da Catarina e Festa de São João no Interior da Bahia. Nascido no Recôncavo, na cidade de Castro Alves, Guido radicou-se em Salvador, onde também foi professor da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Sua trajetória foi registrada pela série O Senhor das Jornadas, de Jorge Alfredo, que teve sessão de lançamento no Cine Itaú Glauber no primeiro semestre deste ano e exibida em seguida pela TVE Bahia. A série recebeu recursos da Ancine (70%) e da TVE Bahia (30%).

“Era visível como ele se animou com o projeto. Na viagem ao Rio de Janeiro ele está inteiro nas filmagens, deu a volta, após anos sem a Jornada. Com uma bengala, com a qual eu fiz menção a Carlitos, a quem ele muito admirava, ele caminhava pelos lugares onde filmou, como se a bengala fosse um amuleto. Eu tinha muitos planos, a série começava a receber convites, eu sonhava em poder ir com o senhor da Jornada por aí”, expressou seu pesar o cineasta Jorge Alfredo.

Na manhã desta quinta-feira, 28 de setembro, às 10h, acontece a cremação do corpo no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas.

A Fundação Cultural do Estado da Bahia, entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, expressa seu pesar profundo à família, amigos e à toda a comunidade.

Publicidade

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]