As quatro estruturas mais antigas da Rússia

A Igreja de Choana, na República de Karatchaiev-Tcherkássia, é bastante modesta em comparação com os outros edifícios antigos na Rússia. Tem apenas 13 metros de comprimento e dentro não há pinturas ou decorações opulentas.
A Igreja de Choana, na República de Karatchaiev-Tcherkássia, é bastante modesta em comparação com os outros edifícios antigos na Rússia. Tem apenas 13 metros de comprimento e dentro não há pinturas ou decorações opulentas.
Stonehenge russo, estruturas feitas de enormes círculos de pedras com aberturas misteriosas nas laterais podem ser encontradas em Kuban, no Cáucaso, na Sibéria e perto de Solovki (um antigo campo de trabalho forçado a 1.500 km ao norte de Moscou). Esses monumentos megalíticos chamados dólmens se assemelham ao britânico Stonehenge.
Stonehenge russo, estruturas feitas de enormes círculos de pedras com aberturas misteriosas nas laterais podem ser encontradas em Kuban, no Cáucaso, na Sibéria e perto de Solovki (um antigo campo de trabalho forçado a 1.500 km ao norte de Moscou). Esses monumentos megalíticos chamados dólmens se assemelham ao britânico Stonehenge.

‘Stonehenge’ russo — Estruturas feitas de enormes círculos de pedras com aberturas misteriosas nas laterais podem ser encontradas em Kuban, no Cáucaso, na Sibéria e perto de Solovki (um antigo campo de trabalho forçado a 1.500 km ao norte de Moscou). Esses monumentos megalíticos chamados dólmens se assemelham ao britânico Stonehenge.

Há várias teorias sobre sua existência e para que servem os estranhos orifícios. A única coisa que os cientistas concordam é sobre a idade: eles foram erguidos por toda a Rússia nos séculos 3 e 2 a.C., e só no Cáucaso do Norte existem quase 2.300 deles.

Acredita-se que as estruturas tenha sido palco de cultos antigos ou usadas como criptas. Muitos dos dólmens foram escavados, e, além, de restos humanos, foram encontrados vários pertences de diferentes épocas. Segundo os pesquisadores, as pessoas acreditavam que os itens seriam úteis na vida após a morte.

Em um dólmen descoberto no território de Krasnodarsk (1.300 km de Moscou), por exemplo, havia 72 restos humanos e um disco de pedra com símbolos astrais. Hoje, esse sarcófago de cinco toneladas é exibido no Museu Histórico do Estado, em Moscou.

Reza uma lenda local que os dólmens eram habitados por anões que montavam coelho como as pessoas andam de cavalo. Atualmente, os visitantes costumam explorar as pedras e tentam escalar as aberturas circulares.

A Igreja da Ordem Teutônica — Esta igreja luterana foi construída no século 13 em uma área deserta como um santuário para os Cavaleiros Teutônicos e hoje é o edifício mais antigo da região de Kaliningrado. Foi construído para defesa contra qualquer cerco, e é por isso que se assemelha mais a uma fortaleza ou um pequeno castelo.

Suas muralhas impenetráveis ​​a preservaram das desventuras de tempo e conflitos. Assistiu ao Reino da Prússia chegar e partir, sobreviveu à Segunda Guerra Mundial, mas não conseguiu resistir à União Soviética. No século 20, a Igreja da Ordem Teutônica sofreu o mesmo destino que muitos outros edifícios religiosos invadidos pela União Soviética: foi destruída tijolo a tijolo.

Em 1985, o edifício se tornou posse da Igreja Ortodoxa Russa. Depois de totalmente restaurado, agora é usado como igreja.

O templo bizantino ‘encontrado no mar’ —  A Igreja De São João Batista, no centro de Kertch, foi construída antes do Grande Cisma que dividiu o cristianismo em ortodoxia e catolicismo. Se o símbolo grego que se vê em uma das colunas da igreja for verídico, o edifício remonta a 757 a.C.

Existem duas lendas sobre a aparência do santuário. Uma, a mais romântica, diz que a igreja foi encontrada no mar. Esta lenda é apoiada pelo fato de que, antigamente, o santuário estava ao pé do mar e havia gravuras de conchas em seus muros e abóbadas.

Segundo outra história popular, o santuário foi construído sobre o lugar de outra igreja antiga, que foi abençoada por um dos doze apóstolos de Cristo, André, que pregava perto do mar Negro. O pátio da igreja tem um painel de pedra com uma pegada que pertencia, acreditam os fiéis, a André ou João Batista.

A igreja cuja biblioteca desapareceu — A Igreja de Choana, na República de Karatchaiev-Tcherkássia, é bastante modesta em comparação com os outros edifícios antigos na Rússia. Tem apenas 13 metros de comprimento e dentro não há pinturas ou decorações opulentas.

Sob a camada de gesso antigo, há um estrato de escrita grega, árabe, georgiana, armênia e russa de vários séculos, bem como símbolos astrológicos do Cáucaso do Norte (o santuário foi erguido no século 10 na antiga Alânia).

Até o século 18, a igreja tinha uma antiga biblioteca, que misteriosamente desapareceu. Mais tarde, o santuário se tornou um mosteiro masculino.

A área em torno da Igreja de Choana tem muitas sepulturas – motivo pelo qual o santuário foi provavelmente posicionado ali.

*Com informações do Gazeta Russa.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112836 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]