ALBA: deputado José de Arimateia promove audiência pública pelo Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência; “milhões de pessoas em nosso país que precisam ser ouvidas”, diz parlamentar

Audiência pública pelo Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência é promovida pelo deputado José de Arimateia.Audiência pública pelo Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência é promovida pelo deputado José de Arimateia.
Audiência pública pelo Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência é promovida pelo deputado José de Arimateia.

Audiência pública pelo Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência é promovida pelo deputado José de Arimateia.

Para marcar o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, celebrado nesta quinta-feira (21/09/2017), o presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde e Institutos de Pesquisas Afins na Bahia, deputado estadual José de Arimateia (PRB-BA), promoveu até o início da tarde de quarta-feira (20), uma Audiência Pública acerca do tema. O Brasil possui atualmente mais de 45 milhões de pessoas com deficiência, equivalente a um quarto da população brasileira.

Em seu pronunciamento, o proponente da Audiência, realizou uma explanação sobre os desafios da inclusão social na Bahia, questionou aos especialistas presentes, sobre os avanços fundamentais, especialmente, na melhoria da acessibilidade urbana e de comunicação e a adequação no transporte público para atender as demandas dos portadores de deficiência.

“Jamais deixaria de incluir esse assunto na pauta da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde. São milhões de pessoas em nosso país que precisam ser ouvidas, para uma melhor assistência, e consequentemente qualidade de vida. Conto com a sensibilidade do Poder Público para mais trabalho em prol dessa parcela da população”, disse Arimateia.

O parlamentar, além de promover Audiências Públicas sobre a temática, é o responsável por criar o Projeto de Lei 20.338/2013, que dispõe sobre a exibição de sessões de cinema para deficientes visuais e auditivos nas salas cinematográficas do Estado de Bahia, como também foi relator do Projeto de Lei 19.494/2011, que classifica a visão monocular como deficiência visual.

Durante o evento, a coordenadora de Atenção ao Diabetes do Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia (Cedeba), unidade da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), em Salvador, Graça Velanes, participou da Audiência, representando a diretora geral do Cedeba, Reine Chaves. Ela, através de uma ampla apresentação, afirmou que a cada 20 segundos um diabético é amputado no mundo. “Estamos sempre buscando parcerias internacionais para oferecer qualidade de vida para essa parcela da população. Hoje temos 203 mil pessoas na Bahia com diabetes e mais de 13 mil em Salvador convivendo com a doença”, disse Graça, ressaltando que 60% não sabem prevenir a enfermidade.

A diretora de Gestão do Cuidado da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), Liliane Mascarenhas, esteve presente na cerimônia, representando o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas Boas. Na oportunidade ela parabenizou o deputado Arimateia, por também ilustrar na Audiência, a Rede Doenças Crônicas Não Transmissíveis na Bahia e Rede da Pessoa Com Deficiência, a última criada no ano de 2012. Em seu discurso ela garantiu que o Governo do Estado tem trabalhado para a ampliação das policlínicas com o maior objetivo de cuidar dos pacientes com as enfermidades mensuradas. “Vale ressaltar que a temática da inclusão social vai além da saúde, porque envolve também questões ligadas a educação, o transporte, enfrentamento as barreiras atitudinais e arquitetônicas”, opinou.

Compuseram a mesa da Audiência Pública, a diretora do Centro de Prevenção e Reabilitação da Pessoa com Deficiência (CEPRED), Normélia Quinto dos Santos, a coordenadora do Centro de Apoio Operacional aos Direitos Humanos (CAODH) e promotora do Ministério Público, Márcia Regina Ribeiro Teixeira, o professor e especialista em Atividade Física Adaptada, Deninho Guimarães.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).