Grupo Econômico controlador da COELBA incorpora ELEKTRO Holding; Com R$ 14 bilhões em ativos, Neoenergia consolida posição de maior empresa privada do setor elétrico do Brasil

José Ignacio Sánchez Galán.
Jose Ignacio Sanchez Galan.

O Grupo Iberdrola, empresa que controla a subsidiária (subholding) Neoenergia, — depois de ter recebido a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANELL) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) — incorporou a ELEKTRO Holding.

Com a aquisição, o Grupo  Iberdrola, acionista majoritário da Neoenergia, passa a controlar a maior empresa privada do setor elétrico do país. A companhia conta com ativos de R$ 14 bilhões o equivalente a 3,65 bilhões de euros.

A sociedade resultante aglutina, na Neoenergia, ativos de distribuição, transporte, geração e comercialização de eletricidade da Neoenergia e da Elektro.

A Neoenergia é a controladora acionária da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (COELBA).

Composição do capital

Com a incorporação da Elektro, a Neoenergia conta com a seguinte composição acionária: 52,45% são controlados pela Iberdrola; 38,21% são da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (PREVI); e 9,35% são controlados pelo Banco do Brasil.

O acordo estipulado entre os sócios inclui o compromisso do Grupo Iberdrola de lançar a empresa na bolsa.

Estrutura da operação

A transação foi efetuada sob a fórmula conhecida como incorporação: a Neoenergia executará uma ampliação de capital que será subscrita em sua totalidade pela Iberdrola. O aumento de participação da companhia com sede em Bilbao em dita empresa terá como contraprestação os ativos da Elektro.

Os proprietários da Neoenergia subscreveram um novo pacto de acionistas que fixa, entre outros, os seguintes aspectos: a aprovação de determinadas matérias reservadas por maiorias reforçadas; a existência de limitações para transmissão de ações da sociedade; o direito da Iberdrola de nomear a maioria dos membros do Conselho de Administração da empresa resultante e a obrigação, por parte da empresa espanhola, de canalizar todos seus investimentos no Brasil através desta nova sociedade.

Primeira empresa elétrica do Brasil

A operação dá lugar à maior empresa elétrica do Brasil e a um líder na América Latina em número de clientes, com 13,4 milhões, aos quais se distribuíram 54.000 GWh em 2016. Prestará serviço num território com uma população superior a 34 milhões de pessoas, se comparado com os 18 milhões de população da área de influência da Iberdrola na Espanha.

A área de concessão, no Brasil, compreende 13 estados, com 836.000 quilômetros quadrados de área, face aos 190.000 quilômetros quadrados da Iberdrola na Espanha, enquanto a rede de distribuição se estende ao longo de 585.000 quilômetros – 268.000 quilômetros no caso da Espanha.

A empresa resultante, fundamentalmente regulada, também está presente no negócio da geração eólica – sua filial Força Eólica do Brasil se dedica ao desenvolvimento e operação de parques eólicos no país – e hidráulica, com uma capacidade atribuível de 2.080 megawatts (MW) operacionais e 1.460 MW em desenvolvimento, assim como no negócio da geração termoelétrica, com 530 MW operacionais.

A nova Neoenergia tem uma base de ativos regulados de, aproximadamente, 14 bilhões de reais (3,65 bilhões de euros).

Caso se adicionem os valores correspondentes ao exercício de 2016 da Elektro e da Neoenergia, a empresa teria gerado rendimentos de cerca de 30 bilhões de reais (7,9 bilhões de euros). O lucro bruto de exploração (EBTIDA) teria sido de, aproximadamente, 3,6 bilhões de reais (934 milhões de euros).

Presidente comenta

Após a culminação desta operação, o presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, reiterou “o compromisso da Iberdrola com o Brasil, a primeira economia da América Latina”, um país onde a empresa está operando há 20 anos. Além disso, destacou que “a empresa confia plenamente no futuro do Brasil” e que “boa prova disso” são seus planos de crescimento a médio e longo prazo nesse país.

“Em todos esses anos, a Iberdrola investiu mais de 52,5 bilhões de reais (13,6 bilhões de euros)”, ressaltou Galán. Posteriormente acrescentou: “Neste momento estamos executando obras e investimentos nos setores das redes, geração regulada e energias renováveis, e continuaremos investindo no Brasil. Apenas no ano passado a Iberdrola adjudicou contratos de fornecimento de bens e serviços em um valor de 5 bilhões de reais (1,27 bilhões de euros) a mais de 8.000 fornecedores brasileiros”.

Aspectos relevantes

  • O presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, reiterou “o compromisso da Iberdrola para com o Brasil, a primeira economia da América Latina”, um país onde a empresa está operando há já 20 anos e em que investiu mais de 52,5 bilhões de reais
  • A nova empresa prestará serviço a um território com uma população superior a 34 milhões de pessoas e contará com 13,4 milhões de pontos de fornecimento
  • A área de concessão da empresa ocupará uma superfície de 836.000 quilômetros quadrados e sua rede de distribuição se estenderá ao longo de 585.000 quilômetros
  • Conta com uma base de ativos regulados de, aproximadamente, 14 bilhões de reais (3,65 bilhões de euros)
  • O valor agregado de rendimentos das empresas integradas durante o exercício de 2016 ronda os 30 bilhões de reais (7,9 bilhões de euros), com um EBTIDA de cerca de 3,6 bilhões de reais (934 milhões de euros)

Perfil das Empresas

Grupo Iberdrola

A IBERDROLA é o primeiro grupo energético espanhol, uma das cinco maiores companhias elétricas do mundo e líder mundial em Energia eólica. Uma posição que foi alcançada através de um projeto industrial a longo prazo, sólido, rentável e criador de valor, que se apoia numa estratégia de crescimento sustentável e no esforço de uma equipa multicultural de mais de 33.000 pessoas em 40 países, e com 30 milhões de clientes, que estão a trabalhar com o objetivo de oferecer a energia mais limpa do planeta.

Após mais de 150 anos de progresso, a Empresa estabeleceu as bases do seu crescimento futuro. Estamos preparados para desempenhar um papel protagonista no novo cenário energético internacional, que enfrenta o desafio de garantir um abastecimento seguro, competitivo e sustentável, onde as tecnologias limpas serão decisivas para lutar contra a alteração climática e reduzir a dependência dos combustíveis fósseis.

Neoenergia

Maior grupo privado do setor elétrico do Brasil em número de clientes, a Neoenergia tem 10,8 milhões de unidades consumidoras atendidas por suas três distribuidoras: Coelba (BA), Celpe (PE) e Cosern (RN). Presente em 11 estados brasileiros, o grupo atua em Geração, Transmissão, Distribuição e Comercialização de energia. Na área de Geração, entre ativos em operação ou em construção, tem capacidade instalada de 3.800 megawatts (MW).  A transmissão se dá por 642 quilômetros de linhas e 12 subestações. No mercado livre de energia são 920 MW comercializados por mês.

Com forte atuação no segmento de fontes renováveis, a Neoenergia possui 16 parques eólicos em parceria com a Iberdrola, e inaugurou em 2015 a sua segunda usina solar em Fernando de Noronha (PE). A fonte solar é responsável por 10% do consumo energético da ilha, onde a Neoenergia desenvolve outras ações de Eficiência Energética e Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), como as redes inteligentes (smart grid).

É o 36º maior grupo empresarial do Brasil, de acordo com o anuário Melhores e Maiores 2017 da revista Exame, e uma das dez melhores empresas do país para começar a carreira, segundo o Guia Você S.A. de junho de 2016.

O grupo foi criado em 1997, com a compra das distribuidoras Coelba e Cosern. É uma sociedade composta por ações de capital aberto, não listada em Bolsa de Valores. Seus acionistas são Previ (49%), Iberdrola (39%) e Banco do Brasil (12%).​

Elektro Holding

Com a aquisição da Elektro Holding S.A., a empresa passa a ser subholding de negócios do Grupo Iberdrola com domicílio social no Brasil, que controla a distribuidora Elektro Redes S.A., a Elektro Comercializadora de Energia e a Elektro Renováveis do Brasil S.A.

A Elektro é a oitava maior distribuidora de energia elétrica do País e a terceira do Estado de São Paulo, com 12,3% de participação no mercado, segundo dados da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee). A concessionária distribui energia elétrica para uma população de mais de 6,0 milhões de pessoas, em 223 municípios paulistas e em cinco cidades sul-mato-grossenses.

A Elektro Renováveis do Brasil é controladora da Enerbrasil, proprietária do Parque Eólico de Rio do Fogo, de 49,3 MW, em operação desde 2006 em Rio do Fogo – RN. Também possui 50% de participação na Joint Venture Força Eólica do Brasil, junto à Neoenergia (que detém os outros 50%), para o desenvolvimento de parques eólicos no país. A Força Eólica do Brasil já construiu 10 parques eólicos no nordeste do Brasil que somam 288 MW e está iniciando a construção de mais seis parques nos estados do Rio Grande do Norte e Paraíba, totalizando assim 462 MW.

Sobre Carlos Augusto 9717 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).