Debate sobre ‘A Revolução Russa de 1917: legados e lições’ reuniu pesquisadores na UFRB, em Cachoeira; pesquisador Nilson Weisheimer comentou sobre 100 Anos da Revolução Russa

Palestra na UFRB debate 100 anos da Revolução RussaPalestra na UFRB debate 100 anos da Revolução Russa.
Palestra na UFRB debate 100 anos da Revolução Russa

Palestra na UFRB debate 100 anos da Revolução Russa.

A primeira edição do ‘Ciclo de Debates: 100 anos da Revolução Russa’ abordou o tema ‘A Revolução Russa de 1917: legados e lições’. O evento ocorreu na quarta-feira (09/08/2017), no Auditório do Centro de Artes Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em Cachoeira.

Participaram do debate, pesquisadores, estudantes, políticos, formadores de opinião e membros da comunidade. A atividade foi transmitida ao vivo pela TV UFRB, através do canal na internet (https://www.youtube.com/user/ufrb).

O debate contou com a mediação do professor Dr. Nilson Weisheimer e palestras de Antônio Eduardo Alves (UFRB), abordando o tema ‘A política bolchevique na Revolução Russa’ Fábio Batista Perreira (CEPAG); com o tema ‘A Revolução Russa no Ensino de História’; Mary Garcia Castro (FLACSO), com o tema ‘Alexandra Kollontai: Feminismo e Revolução de 1917’; e Jorge Nóvoa (UFBA), com o tema ‘Desdobramentos críticos da Revolução de 1917’.

Abertura

Ao dar início ao debate, o professor Nilson Weisheimer destacou que a Revolução Russa de 1917 é um marco na história da humanidade e o fato de ser a primeira vez que um debate aberto à comunidade, com o tema socialismo, ocorre no CAHL.

Na sequência, c informou que avanços econômico, científico, cultural e social ocorreram durante a Revolução Russa, permitido a mudança do modo de produção feudal para o socialismo. Ele afirmou que a Revolução registrou, também, limitações, que têm sido objeto de diferentes críticas sobretudo no que se refere ao controle estatal, a simbiose equivocada entre partido e estado e a “estagnação do desenvolvimento da rica teoria do materialismo histórico dialético, com bloqueio da democracia participativa”.

O professor convidou as pessoas a fazerem uma reflexão crítica sobre o momento histórico da Revolução Russa e o processo civilizatório da humanidade.

Perfil do coordenador e mediador do debate

Nilson Weisheimer é doutor em Sociologia pela UFRGS, Pós-Doutor em Sociologia pela USP, professor adjunto da UFRB; professor permanente do programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais: Cultura, Desigualdade e Desenvolvimento (PPGCS/UFRB); líder dos grupos de pesquisas Núcleo de Estudos em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural (NEAF/UFRB) e Observatório Social da Juventude (OSJ/UFRB). Vencedor so Prêmio capes de Teses em Sociologia – 2010.

Confira vídeo

Leia +

Debate sobre ‘A Revolução Russa de 1917: legados e lições’ reuniu pesquisadores na UFRB, em Cachoeira; pesquisador Nilson Weisheimer comentou sobre 100 Anos da Revolução Russa

Professor Antônio Eduardo Alves palestra sobre o tema ‘A política bolchevique na Revolução Russa’; evento marca 100 Anos da Revolução Russa e ocorreu na UFRB, em Cachoeira

Professor Fábio Batista Perreira palestra sobre o tema ‘A Revolução Russa no Ensino de História’; evento marca 100 Anos da Revolução Russa e ocorreu na UFRB, em Cachoeira

Pesquisadora Mary Garcia Castro palestra sobre o tema ‘Alexandra Kollontai: Feminismo e Revolução de 1917’; evento marca 100 Anos da Revolução Russa e ocorreu na UFRB, em Cachoeira

Pesquisador Jorge Nóvoa palestra sobre o tema ‘Desdobramentos críticos da Revolução de 1917’; evento marca 100 Anos da Revolução Russa e ocorreu na UFRB, em Cachoeira

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Nilson Weisheimer
Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS – 2009), Pós-Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP – 2015), professor adjunto da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS/UFRB), líder dos Grupos de Pesquisa do CNPq: Núcleo de Estudos em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural (NEAF/UFRB) e Observatório Social da Juventude (OSJ/UFRB), e vencedor do Prêmio CAPES de Teses em Sociologia 2010.