A Bahia perde Jatahy Fonseca | Por Baltazar Miranda Saraiva

Desembargador aposentado Edmilson Jatahy Fonseca, vida dedicada a magistratura e ao serviço público, magistrado foi imortalizado em memorial na cidade natal, Santo Estevão.
Desembargador aposentado Edmilson Jatahy Fonseca, vida dedicada a magistratura e ao serviço público, magistrado foi imortalizado em memorial na cidade natal, Santo Estevão.
Desembargador aposentado Edmilson Jatahy Fonseca, vida dedicada a magistratura e ao serviço público, magistrado foi imortalizado em memorial na cidade natal, Santo Estevão.
Desembargador aposentado Edmilson Jatahy Fonseca, vida dedicada a magistratura e ao serviço público, magistrado foi imortalizado em memorial na cidade natal, Santo Estevão.

Durante toda a vida vamos assistindo e sentindo a perda de familiares e entes queridos. Enquanto temos vida, não percebemos que a realidade a que temos acesso são os nossos amigos e familiares, que dão sentido à nossa existência, pois despertam em nós o sentimento do amor. Daí a certeza de que as pessoas que amamos não morrem, porque, para nós, o amor é mais forte do que a morte.

Quando um parente ou um amigo parte deixa a herança de sua criação, que é um legado para que a vida continue. Recordar sua vida é a prova de que ela teve sentido, e que ele continuará em nossas mentes e em nossos corações.

Mesmo as nossas lágrimas, quando chega a partida, são choradas no silêncio do nosso ser, pois o silêncio sempre fica onde se ama, a demonstrar que, bem mais forte do que a morte é a vida, continuada nos que ficam.

O ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, Desembargador Edmílson Jatahy Fonseca, faleceu na manhã desta segunda-feira (28 de agosto) no Hospital Aliança, aos 84 anos de idade. Como se sabe, a morte é algo que nem quem vai, nem quem fica, estão preparados para entendê-la, Pois ora estamos entre todos, ora distantes para sempre de todos.

Jatahy Fonseca sempre estará entre nós. Pai do desembargador Edmílson Jatahy Fonseca Júnior e do magistrado federal César Cintra Jatahy Fonseca, ambos darão continuidade à fecunda obra deixada pelo genitor, que, nascido em Santo Estêvão, neste Estado, ingressou na magistratura no ano de 1965, com atuação sempre destacada pela juridicidade e independência. Foi promovido a desembargador em 1982, pelo critério de merecimento.

Fonseca foi corregedor-geral do TJBA, vice-presidente e corregedor do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Chegou a presidente desta Corte por escolha de seus pares, para comandá-la no biênio 1.998/2.000. O legado de sua administração foi um marco na história desta Corte, tendo o ilustre morto deixado uma importante obra no desenvolvimento do nosso judiciário, a exemplo da construção da atual sede deste TJBA, monumento imorredouro de sua criatividade e persistência. Aposentado em 2003, permaneceu como referência para os seus colegas de magistratura, deixando um grande exemplo a ser seguido.

Sabemos que desta vida nada podemos levar. Entretanto, muitos conseguem deixar algo bastante valioso, pois deixam sementes que podem germinar. Plantar essas sementes, nas areias do tempo, é a prova de que o que fica da vida não é o ponto de partida nem o ponto de chegada, mas sim as sementes, plantadas ao longo do caminho.

Segundo Píndaro, “Na morte o sol poente abre para o homem o portal da quietude e da paz, como quando, ao se pôr todos os dias, lhe proporciona repouso na vida terrena. Liberto ao morrer de todo cuidado e angústia, o Homem mergulha na última franja de terra, passando a um mundo eternamente áureo, abaixo do horizonte”.

Em Tessalonicenses 4 está escrito: “Não desejamos, no entanto, irmãos, que sejais ignorantes em relação aos que já dormem no Senhor, para que não vos entristeçais como os outros que não possuem a esperança. Porquanto, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, da mesma maneira devemos crer que Deus, por intermédio de Jesus, trará juntamente com Ele os que nele faleceram”. Enquanto isso não vem, aqueles que se foram continuarão vivendo em nós.

A morte desse extraordinário magistrado, desembargador e ex-presidente deste Tribunal de Justiça da Bahia é apenas um profundo sono, sem sonhos, é claro, porque, a partir de agora, nós é que vamos sonhar com ele.

*Baltazar Miranda Saraiva é desembargador, membro da Comissão de Igualdade do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ/BA) e Vice-Presidente Social, Cultural e Esportivo da Associação Nacional dos Magistrados Estaduais (ANAMAGES).

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108297 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]