Deputado Robinson Almeida diz que ACM Neto é parte da “trinca do Golpe na Bahia” e que foi à Brasília tentar conter possível delação de Geddel Vieira Lima

Memes da aliança entre Geddel Vieira Lima e ACM Neto circulam nas redes sociais. Discurso de Robinson Almeida faz referência a aliança entre PMDB e Democratas, na Bahia.
Memes da aliança entre Geddel Vieira Lima e ACM Neto circulam nas redes sociais. Discurso de Robinson Almeida faz referência a aliança entre PMDB e Democratas, na Bahia.
Memes da aliança entre Geddel Vieira Lima e ACM Neto circulam nas redes sociais. Discurso de Robinson Almeida faz referência a aliança entre PMDB e Democratas, na Bahia.
Memes da aliança entre Geddel Vieira Lima e ACM Neto circulam nas redes sociais. Discurso de Robinson Almeida faz referência a aliança entre PMDB e Democratas, na Bahia.

Em discurso proferido nesta quarta-feira (05/07/2017) no plenário da Câmara dos Deputados, Robinson Almeida (PT/BA) afirmou que o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) é parte da trinca que deu apoio, na Bahia, ao Golpe Parlamentar de 2016, golpe em que foi usurpado o mandato popular da presidente Dilma Rousseff (PT/RS).

Segundo Robinson Almeida, fazem parte da trinca do golpe, o Democratas, de ACM Neto; o PSDB, de Antônio Imbassahy, ministro do governo Temer; e o PMDB, de Geddel Vieira Lima, ex-ministro do Governo Temer e preso no transcurso das investigações do Caso Lava Jato.

Com a prisão de Geddel Vieira Lima (PMDB/BA) pela PF, ACM Neto se deslocou para Brasília na terça-feira (04), segundo Robinson Almeida, com a finalidade de mensurar os impactos provocados na gestão municipal e objetivando conter possível delação do aliado Geddel.

O vive-prefeito de Salvador, Bruno Reis, é do PMDB e foi indicado por Geddel Vieira Lima para compor a chapa liderada por ACM Neto.

Prisão

Geddel Vieira Lima foi preso pela Polícia Federal (PF) na segunda-feira (03), por ordem do juiz da 10ª Vara Federal de Brasília Vallisney Oliveira. A prisão foi decorrente das investigações realizadas nas Operações Sépsis, Greenfield e Cui Bono?, no âmbito do Caso Lava Jato.

Confira vídeo

Sobre Carlos Augusto 9464 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).