Riscos e conquistas dos vigilantes são destaque em sessão solene na Câmara Municipal de Feira de Santana

Sessão solene do Dia do Vigilante no plenário da Câmara Municipal de Feira de Santana.
Sessão solene do Dia do Vigilante no plenário da Câmara Municipal de Feira de Santana.
Sessão solene do Dia do Vigilante no plenário da Câmara Municipal de Feira de Santana.
Sessão solene do Dia do Vigilante no plenário da Câmara Municipal de Feira de Santana.

“Nossa categoria ainda é invisível”. A afirmação foi feita pelo presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes, José Boaventura Santos, em palestra na sessão solene comemorativa do Dia do Vigilante, realizada pela Câmara Municipal de Feira de Santana, na noite desta terça-feira (20/06/2017). Além da sessão, os vigilantes ganharam um presente: o prefeito José Ronaldo sancionou, na tribuna, a lei que garante a contratação de profissionais armados por instituições bancárias e cooperativas de crédito para atuarem 24 horas, inclusive aos domingos e feriados.

Apesar dos riscos da profissão, “que está presente em todas as fases da vida das pessoas e não é percebida”, José Boaventura disse que houve avanços ao longo do tempo e citou as leis municipais que contemplam a categoria, seja criando novos postos de trabalho, seja garantindo mais segurança para os clientes de bancos, por exemplo. “Conseguimos, junto com os bancários, que os bancos instalassem divisórias nos caixas, para evitar que pessoas que sacassem grandes somas fossem assaltadas quando saíssem”, contou.

O palestrante lembrou que por volta de 1999, 2000, tentaram substituir os vigilantes por câmeras, mas não deu certo, pelo diferencial que os vigilantes representam para a sociedade. José Boaventura destacou ainda o estado de pressão em que eles trabalham e o fato de estarem em constante capacitação. “Estamos entre as raríssimas profissões que a cada dois anos tem que provar que somos pessoas honestas”, ressaltou. Caso o vigilante não pode tenha qualquer pendência judicial ou policial é afastado da função.

Durante a sessão, o vice-presidente do Sindicato dos Vigilantes de Feira de Santana, Juracy Mendes da Conceição, falou sobre a história da entidade e do perfil do profissional da área. Ele citou o empenho do vereador Luiz Augusto de Jesus pela valorização da categoria. “Temos quatro leis de sua autoria”, frisou. Foi também o vereador o autor do projeto para a realização da sessão comemorativa da data, que contou ainda com a presença do presidente do Sindicato da categoria, Wilson Pereira dos Santos.

Na saudação aos convidados, Luís Augusto de Jesus lembrou que as atividades de segurança privada tiveram origem nos Estados Unidos, em 1850 e surgiram no Brasil em 1960, devido ao aumento de assaltos a instituições financeiras. Ele destacou a atuação do sindicato, criado em 2013. “O curso de formação de vigilantes segue rigorosamente recomendações da Polícia Federal”, destacou o vereador, que também abordou os riscos da profissão. “Eles estão expostos para que as pessoas sintam-se seguras”, afirmou.

A sessão que lotou o plenário e a galeria da Casa da Cidadania foi presidida pelo vereador Isaías dos Santos, 3º vice-presidente do Legislativo, que compôs a Mesa de Honra ao lado do prefeito José Ronaldo, o palestrante e os dirigentes do Sindicato de Vigilantes de Feira de Santana. O encerramento da solenidade foi em alto estilo com a execução do Hino a Feira de Santana pela cantora CéliahZaiin, seguida de uma recepção em clima das festas juninas.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115009 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.