Feira de Santana: Edvaldo Lima disse não aceitar ser ofendido em redes sociais

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Edvaldo Lima: não estou aqui para ninar ninguém, estou aqui para trabalhar e conviver com respeito.
Edvaldo Lima: não estou aqui para ninar ninguém, estou aqui para trabalhar e conviver com respeito.
Edvaldo Lima: não estou aqui para ninar ninguém, estou aqui para trabalhar e conviver com respeito.
Edvaldo Lima: não estou aqui para ninar ninguém, estou aqui para trabalhar e conviver com respeito.

Durante pronunciamento, na sessão ordinária desta segunda-feira (17/04/2017), o vereador Edvaldo Lima (PP) informou que irá dar entrada em processo judicial contra pessoas que chamaram os edis de vagabundos em redes sociais, em virtude da não realização de sessão ordinária na última quarta-feira (12).

“Os artigos 139 e 140 do Código Penal tratam da injúria e difamação. Sinceramente, fiquei muito ofendido em ser chamado de vagabundo por algumas pessoas nas redes sociais e vou processá-las. A imprensa teceu comentários sobre a não realização da sessão ordinária, respeito e acho que tem mesmo que comentar, mas não posso aceitar que os edis desta Casa sejam chamados de vagabundos como aconteceu nas redes sociais”, disse Edvaldo.

O edil falou mais que quando há ações positivas da Casa não são lembradas e elogiadas nas redes e na imprensa. “Nós não reajustamos nossos proventos, reduzimos o recesso parlamentar, não temos 13º salário e fazemos muitas outras boas ações e não somos elogiados. Não são produzidas matérias positivas, só matérias ruins são publicadas a respeito desta Casa”, pontuou.

Edvaldo Lima ainda explicou que na última quarta-feira (12), quando não houve sessão ordinária por falta de quórum, chegou cedo à Câmara, mas estava em seu gabinete. “Cheguei às 07:50h e fui ao meu gabinete. O líder do Governo sabia que eu estava na Casa porque me viu chegar, afinal todos os dias chegamos cedo. Mas, infelizmente quando cheguei ao plenário não estava mais em tempo de abrir a sessão. Quero dizer também que o líder governista não deveria ter a postura que teve. Acredito que ele foi infeliz em suas entrevistas. Não somos vagabundos e não devemos ficar calados”, concluiu.

Em aparte o líder do Governo na Casa, vereador José Carneiro Rocha (PSDB), disse respeitar o discurso do colega, mas frisou que não ofendeu nenhum deles em suas entrevistas. “Não estou aqui para ninar ninguém, estou aqui para trabalhar e conviver com respeito. Porém, foi a imprensa quem me procurou, eu não pedi a ninguém para ser entrevistado”, justificou.

Também em aparte o vereador Luiz Augusto de Jesus, Lulinha (DEM) disse que muitos gostam de prejudicar os vereadores e que a Câmara de Feira é referência para muitas cidades. “Muitos queriam estar em nosso lugar, mas o povo não quis. Nossa Casa é referência, pois sempre aprova suas contas sem ressalva”, lembrou.

No mesmo tempo a edil Cíntia Machado (PMB) garantiu que não gosta de polemizar, mas informou que dará entrada em processo judicial contra as pessoas que lhe ofenderam nas redes sociais e imprensa, em virtude da sua ausência na sessão ordinária da última quarta-feira (12). “E não quero dinheiro não. O que for proveniente da ação será doado para instituições e se puder converter em ações sociais será ainda melhor”, disse.

De volta com a palavra Edvaldo Lima reafirmou sua tristeza em ser chamado de vagabundo. “Sou um pai de família, respeito a todos e exijo respeito também. E, para encerrar, quero parabenizar o Poder Executivo que contemplou o bairro Tomba no pacote de obras”, findou.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123162 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.