Em decorrência do sumiço do monumento em homenagem ao vaqueiro, cidadãos realizam inusitado protesto em Feira de Santana

Cidadãos protestam contra sumiço da Estátua do Vaqueiro.
Cidadãos protestam contra sumiço da Estátua do Vaqueiro.
Cidadãos protestam contra sumiço da Estátua do Vaqueiro.
Cidadãos protestam contra sumiço da Estátua do Vaqueiro.

Em outubro de 1998 foi inaugurada pelo governador César Borges o prolongamento da Avenida Getúlio Vargas, trecho denominado Rua Dr. Olímpio Vital. No local, foi erguido um monumento em homenagem ao vaqueiro. A base do monumento é recoberta em granito cinza, enquanto na parte superior foi disposta uma estátua em tamanho natural, representativa do vaqueiro nordestino. Com o laço na mão, a estátua tinha cor predominantemente dourada. Ocorre que há alguns anos a estátua desapareceu, fato que gerou críticas na comunidade.

Após anos de sumiço, restando apenas a base do monumento, cidadãos de Feira de Santana resolveram realizar, nesta terça-feira (25/04/2017), inusitado protesto, pousado para fotografias, e publicando nas redes sociais, como se fossem a estátua do vaqueiro.

Para acrescentar algo pitoresco, os falsos vaqueiros usaram indumentárias exóticas, sem qualquer referência ao vaqueiro, cujo vestuário, predominantemente em couro natural, foi incorporado como elemento da cultura popular do Nordeste.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9606 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).