VII Caminhada da Rainha Nzinga ocorre em Salvador

Cartaz anuncia VII Caminhada da Rainha Nzinga.

Cartaz anuncia VII Caminhada da Rainha Nzinga.

A VII Caminhada da Rainha Nzinga acontece neste sábado, dia 25 de março de 2017, a partir das 9h, saindo do Centro Social Urbano e indo até o Largo das Baianas, em Amaralina, em Salvador. Cerca de 150 alunos do Núcleo de Extensão da Escola de Dança da Funceb irão participar do cortejo, como convidados a fazer parte da Ala de abertura. A caminhada deste ano tem como tema Nzingas Tropicalista em alusão ao movimento cultural também revolucionário que completa 50 anos.

Tereza Oliveira, professora no Núcleo do Nordeste de Amaralina, informa que adereços e contextualização da temática foram trabalhadas em paralelo com a dança em oficina, intitulada Conhecendo a nossa história. “A confecção das coroas das rainhas foi feita pelas crianças e seus pais”, acrescenta.

No ano passado, com o tema Eco Mulher – a mulher preservando o ecossistema, a Caminhada reuniu cerca de 700 pessoas, membros de projetos sociais e culturais, que formaram diversas alas temáticas, além de personalidades e moradores do Nordeste. Muitos participantes utilizaram pintura facial e corporal, numa menção ao costume de Nzinga, que muitas vezes adotou esta estratégia como símbolo de luta e resistência frente aos colonizadores portugueses.

Guerreira

Angola Nzinga, guerreira, estrategista política e militar, que foi uma líder carismática, passou a vida combatendo e morreu sem nunca ter sido capturada. “Quem é Nzinga? Quem foi esta rainha? São questões apresentadas para estes jovens que freqüentam a Escola de Dança da Funceb no Centro Social urbano. Outros temas também abordados no CSU estão relacionados ao direito das crianças negras e à saúde das mulheres negras com um trabalho relacionado com dança, arte, cultura e educação.

“Trabalhamos a contextualização para que as crianças saibam que uma mulher negra, em 1800, conseguiu lutar contra a escravidão imposta por reis poderosos e brancos, portugueses. Estas mulheres tomam parte da história”, afirma Tereza Oliveira, dançarina e mestre em educação no núcleo do Nordeste de Amaralina. A também especialista em arte-educação diz que a ideia é construir o sentimento de pertencimento à comunidade, a partir destes personagens que fizeram história, mas que não constam nos livros escolares.

Fanfarras e aplausos

O cortejo conta com bandas percussivas e de fanfarra, além do som de berimbaus e de grupos de capoeira. A Caminhada, uma iniciativa coordenada pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (Justiça Social), sai de Amaralina, segue pela Avenida Manoel Dias e arranca aplausos de quem se posiciona para assistir a passagem. O encerramento no Largo das Baianas, em Amaralina é marcado pela integração de todos participantes.

Fundada em 1984, a Escola de Dança faz parte do Centro de Formação em Artes (CFA), da Fundação Cultural do estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Agenda

Quando: 25.05 (sábado), 9h

Onde: Centro Social Urbano (CSU), em direção ao fim de linha de Nordeste de Amaralina

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]