Vereador apela à líder sindical por fim da greve no setor da educação do Município de Feira de Santana

Vereador Luiz Augusto de Jesus (Lulinha) pede à líder sindical que finde com movimento grevista.

Vereador Luiz Augusto de Jesus (Lulinha) pede à líder sindical que finde com movimento grevista.

No uso da tribuna, no grande expediente da sessão ordinária desta segunda-feira (27/03/2017), na Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador Luiz Augusto de Jesus, Lulinha (DEM), pediu à presidente da APLB de Feira de Santana, Marlede Oliveira, que se sensibilize e ponha fim à greve dos professores da Rede Municipal de Ensino.

“Não pode haver dois pesos e duas medidas. Quando houve problema com os professores da Rede Estadual Marlede não se manifestou, não convocou greve. Quando os professores param os únicos prejudicados são as crianças, os alunos que permanecem nas salas de aula até o final de janeiro como aconteceu ano passado”, lembrou.

Para finalizar Lulinha pediu que a presidente acabe com o movimento grevista. “Já tiveram alguns acordos feitos com a secretária Jayana e outros precisam ter o estudo do secretário da Fazenda antes de qualquer decisão. Marlede já disse que os professores da Rede Particular não ganham um terço do que ganham os da Rede Municipal, ou seja, reconhece que o Município paga bem. Portanto, peço à Marlede que acabe com a greve e volte às aulas”, findou.

Lulinha critica presidente da APLB

O vereador Luiz Augusto de Jesus – Lulinha (DEM), em seu discurso na manhã desta segunda-feira (27), na Câmara Municipal de Feira de Santana, criticou o fato de que, ao estar sintonizado em um programa de rádio, ouviu a professora e presidente da APLB, Marlede Oliveira, colocando a população contra os vereadores. Segundo ele, Marlede afirmou que foram os vereadores que agrediram os professores ao chamar a Polícia Militar.

Lulinha destacou que a Casa só chamou a Polícia após a bagunça começar e as constantes tentativas de se derrubar o vidro que separa o plenário das galerias. Lulinha criticou ainda a infiltração de pessoas que não são categoria, que participaram e incitaram a violência.  “Esta Casa só chamou a polícia após a baderna começar. Alguns estavam dando murros na vidraça e o presidente em exercício, o vereador Ewerton Carneiro – Tom (PEN), tomou a decisão de chamar a Polícia Militar para zelar pelo patrimônio público”, disse.

Para Lulinha, é justo os professores se manifestarem contra algo que achem que estão lhe prejudicando, mas tentar depredar o patrimônio público é baderna. “Com a polícia aqui fizeram o que fizeram, imagine se não estivesse”, completou.

O vereador ainda lembrou um áudio que está sendo repassado pelas redes sociais da professora Marlede dando entrevista a um programa de rádio, na época da gestão do prefeito Tarcízio Pimenta, em que ela diz que as escolas privadas não pagam um terço do que a Rede Pública Municipal e Estadual pagam à categoria. “Ela disse ainda que nas escolas em que os professores recebem menos, ensinam e os alunos aprendem, e nas escolas da Rede Municipal os professores são bem remunerados e os alunos não aprendem”, completou.

Para o vereador, a culpa de o ensino ter baixa qualidade não é do prefeito José Ronaldo de Carvalho e nem mesmo da secretária Municipal de Educação, Jayana Ribeiro. “Não são eles que estão em sala de aula ensinando. Não se pode jogar a culpa em cima deles por conta dos índices da educação de Feira de Santana serem tão baixos. Se a Prefeitura paga bem, porque a greve para prejudicar os alunos?”, questionou.

De acordo ainda com o vereador, não há motivos para  greve, já que o prefeito tem entregado escolas bem equipadas com merenda escolar e uniforme, além de ter oferecido aumento aos professores, que não aceitaram. “São quase 150 escolas reformadas e dezenas construídas. Esta greve não é justa. Não se pode penalizar os pais e os alunos”, pontuou.

O edil ainda cobrou da professora que deixe de birra política e volte às aulas para atender a demanda das escolas do Município, assim como ela fez com a greve dos professores do Governo do Estado, quando houve conversações e ela encerrou a greve.

Em aparte, o vereador Cadmiel Pereira (PSC) parabenizou a secretária Jayana, que é concursada e técnica, que na opinião dele tem colocado a educação de Feira de Santana em um patamar tão alto que o governador Rui Costa, quando esteve na cidade, foi conhecer as escolas do Município e a atuação da pasta.

Concluindo sua fala, Lulinha voltou a solicitar da professora Marlede, também em nome da Comissão de Educação da Câmara, que deixe de birra e faça com que os professores voltem à sala de aula.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]