Nações Unidas pedem avanço do tratamento de águas residuais no mundo

Comunidade em Conakry (Guiné) recebe água limpa para ajudar no combate ao ebola.
Comunidade em Conakry (Guiné) recebe água limpa para ajudar no combate ao ebola.
Comunidade em Conakry (Guiné) recebe água limpa para ajudar no combate ao ebola.

Relatório divulgado nesta quarta-feira (22/03/2017) pela ONU afirma que grande proporção de água residual ainda é liberada no meio ambiente sem ser coletada ou tratada. Isso ocorre principalmente em países de baixa renda, que, em média, tratam apenas 8% das águas residuais domésticas e industriais, em comparação com 70% nos países de alta renda. O documento, coordenado por programa da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), foi divulgado na ocasião do Dia Mundial da Água, lembrado em 22 de março.Na ocasião do Dia Mundial da Água, as Nações Unidas divulgaram nesta quarta-feira (22) novo relatório que defende o reaproveitamento das águas residuais como forma de preservar o meio ambiente e combater a escassez de recursos hídricos.

O Relatório Mundial das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, cujo tema é “Águas residuais: o recurso inexplorado”, foi lançado oficialmente nesta quarta-feira (22) em Durban, na África do Sul.

No Brasil, o lançamento acontece no Ministério do Meio Ambiente, como parte do Seminário de Celebração do Dia Mundial da Água – Águas do Brasil: 20 anos de Direito das Águas, organizado pela Agência Nacional de Águas (ANA). O evento ocorre nesta quarta-feira (22) a partir das 16h30, no Auditório Ipê Amarelo do Ministério do Meio Ambiente.

Elaborado pela UN Water (ONU Água, em tradução livre), entidade formada por agências da ONU e coordenado pelo Programa Mundial das Nações Unidas para Avaliação dos Recursos Hídricos — liderado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) —, o relatório afirma que as águas residuais, uma vez tratadas, poderiam ser fontes importantes para satisfazer a crescente demanda por água doce e outras matérias-primas.

“As águas residuais são um recurso valioso em um mundo no qual a água é finita e a demanda é crescente”, disse Guy Ryder, presidente do UN Water e diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

“Todos podem fazer a sua parte para alcançar a meta do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável para reduzir pela metade a proporção de águas residuais não tratadas e aumentar a reutilização de água potável até 2030.”

De acordo com Ryder, tudo gira em torno de gerir e reutilizar cuidadosamente a água que passa por casas, fábricas, fazendas e cidades. “Vamos todos reduzir e reutilizar com segurança as águas residuais para que este recurso precioso atenda às necessidades de populações cada vez maiores em um ecossistema frágil”, disse.

Para a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, o relatório mostra que uma melhor gestão das águas residuais está atrelada tanto à redução da poluição na fonte quanto à remoção de contaminantes dos fluxos de águas residuais, à reutilização da água reciclada e à recuperação de subprodutos úteis. “Aumentar a aceitação social acerca do uso de águas residuais é essencial para avançarmos”, argumentou Bokova no prefácio do relatório.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112875 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]