Ex-presidente Lula: somos pai, mãe, irmão, tio e sobrinho da Transposição do rio São Francisco

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula participaram de grande festa junto com 100 mil pessoas em Monteiro (PB) para inauguração popular da Transposição do rio São Francisco.
Ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula participaram de grande festa junto com 100 mil pessoas em Monteiro (PB) para inauguração popular da Transposição do rio São Francisco.
Ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula participaram de grande festa junto com 100 mil pessoas em Monteiro (PB) para inauguração popular da Transposição do rio São Francisco.
Ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula participaram de grande festa junto com 100 mil pessoas em Monteiro (PB) para inauguração popular da Transposição do rio São Francisco.
Cerca de 50 mil pessoas foram às ruas ver Lula em Monteiro.
Cerca de 50 mil pessoas foram às ruas ver Lula em Monteiro.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu, durante uma emocionante visita a Monteiro, no interior da Paraíba, neste domingo (19/03/2017), que os brasileiros não desanimem. A cidade de cerca de 30 mil habitantes é uma das beneficiadas pela Transposição do Rio Francisco.

A visita do ex-presidente e da comitiva mudou o cenário da cidade do sertão nordestino. As estradas, hotéis e pousadas da região ficaram completamente lotadas.

Durante a fala para um público estimado em 100 mil pessoas, Lula disse ter orgulho de ter iniciado o projeto do “Velho Chico”.

“Tenho muito orgulho de ter tido a coragem de iniciar esse projeto. Se eles têm vergonha, nós não temos. Dilma e eu, nós temos orgulho de dizer: somos pai, mãe, irmão, primo, tio e sobrinho da Transposição das águas do São Francisco”, afirmou.

Apesar do sucesso das obras da Transposição, Lula reforçou que o problema da seca no Nordeste ainda não está resolvido. “O fato da água estar aqui não significa que o problema está resolvido, porque está cheio de gente morrendo de seca na beira do São Francisco e do açude. Agora é preciso levar para a adutora, tratar a água e levar para a torneira. Esse projeto tem compromisso com 290 comunidades para que a água possa chegar para ele plantar o mínimo necessário”.

No palco, ele voltou a defender o povo nordestino e relembrou os ataques que vem sofrendo ao longo dos últimos anos.

“Vocês sabem o que eles estão tentando fazer comigo. Eu só queria avisar pra eles, se eles quiserem brigar comigo, eles vão brigar comigo nas ruas desse País, para que o povo possa ser o senhor da razão nessa disputa. Eu estou a espera de um empresário me denunciar, que eles digam se tem um real na minha conta porque, se tiver, eu não preciso nem me defender”.

“Eu aprendi a andar de cabeça erguida, de pescoço esticado, venci os preconceitos. Se querem me prejudicar, criem vergonha e não prejudiquem 204 milhões de pessoas”, completou o ex-presidente.

Lula em Monteiro

Sobre uma possível candidatura à Presidência da República em 2018, Lula disse: “nem sei se estarei vivo para ser candidato em 2018”. E, em seguida, completou: “eu sei que o que eles querem é impedir que eu seja candidato. E tá muito longe para decidir candidato”.

No entanto, o ex-presidente enviou um recado para aqueles que tentam impedir uma possível candidatura. “Eles pedem a Deus para eu não ser candidato, porque se eu for é para ganhar as eleições. Não prejudiquem o povo brasileiro. Não prejudiquem a aposentadoria do povo, não mexam na legislação trabalhista”.

Ao final da fala para o povo sertanejo, Lula brincou e disse sair da região “frustrado”, pois não conseguiu mergulhar nas águas do rio São Francisco.

Lula começou a fala com um agradecimento e relembra a infância dura no sertão, quando a mãe o levou, juntamente com os irmãos, para São Paulo.

“Sair de onde saí, chegar onde cheguei e virar presidente do Brasil é só com a mão de Deus e a mão do povo brasileiro que isso pode acontecer”, ao lembrar os conselhos do ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, que orientou Lula sobre a Transnordestina e a Transposição do São Francisco.

“Quando eu virei presidente, eu comecei a pensar por que não fazer a Transposição? Naquele tempo era difícil pensar isso. É verdade que Dom Pedro II disse que daria a última jóia da coroa para fazer a Transposição e não fez a Transposição. Depois dele, todos os presidentes até 2003 de alguma forma prometeram, e essa promessa não saiu do papel”, lembrou.

O ex-presidente, que estava acompanhado de diversos ex-governadores, ex-ministros, parlamentares e dirigentes do PT, como Rui Falcão, fez um agradecimento especial a algumas pessoas, entre elas Ciro Gomes, Dilma Rousseff e Jaques Wagner.

“Eu quero agradecer a essa companheira (Dilma) que, junto com Ciro e outros companheiros, resolveram colocar o pé no barro para dizer que iríamos fazer essa obra”.

Inclusão dos mais pobres

Como tema recorrente em seus discursos, Lula voltou a defender a inclusão dos mais pobres na economia, os programas de distribuição de renda e o acesso à educação. “Esse País teve um crescimento extraordinário e pela primeira vez esse povo pobre começou a ter esperança. Eu sabia que o povo do nordeste tinha que ter direito a uma coisa elementar, que o povo precisava de água limpa para se tratar”.

O ex-presidente também cobrou que o povo brasileiro não perca as esperanças e criticou as tentativas de desmontes promovidas pelo governo ilegítimo de Michel Temer, como as reformas da Previdência e das leis trabalhistas.

“Eu acho que a esperança é a coisa que mais mobiliza uma sociedade. Não é possível um homem ou uma mulher sobreviver se não tiver esperança”, disse.

“Esse governo que não deveria estar aí não tem noção do que significa a aposentadoria rural para o povo do Nordeste, não tem noção do que representa a pensar e a aposentadoria das mulheres pobres. Eu queria dar um conselho pra eles: que só tem uma solução para resolver o problema da Previdência. Ao invés de tentar cortar os benefícios do pobres, eles têm que saber que de 2004 a 2014 a Previdência e a Seguridade Social foram superavitárias”.

Sobre o caminho de sucesso para as contas da Previdência e da Seguridade Social, Lula deu o caminho: geração de empregos, aumento do salário mínimo e formalização das micro e pequenas empresas.

“Se quiser criar vergonha e resolver o problema da Previdência, só tem um jeito: gerar emprego e aumentar salário. Se eles não sabem fazer, pede um conselho que eu sei como é que faz”, explicou.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 121857 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.