Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso critica proposta de reforma eleitoral com lista fechada e afirma que caixa 2 é crime

Fernando Henrique Cardoso (FHC): o povo vai votar em partidos? Quais? O povo nem sabe os nomes dos partidos. Não são partidos, a maioria. São legendas. E mais: não dá para aprovar nada que tenha cheiro de impunidade, uma lei que tenha como objetivo evitar que a Lava Jato vá adiante. Não pode.
Fernando Henrique Cardoso (FHC): o povo vai votar em partidos? Quais? O povo nem sabe os nomes dos partidos. Não são partidos, a maioria. São legendas. E mais: não dá para aprovar nada que tenha cheiro de impunidade, uma lei que tenha como objetivo evitar que a Lava Jato vá adiante. Não pode.
Fernando Henrique Cardoso (FHC): o povo vai votar em partidos? Quais? O povo nem sabe os nomes dos partidos. Não são partidos, a maioria. São legendas. E mais: não dá para aprovar nada que tenha cheiro de impunidade, uma lei que tenha como objetivo evitar que a Lava Jato vá adiante. Não pode.
Fernando Henrique Cardoso (FHC): o povo vai votar em partidos? Quais? O povo nem sabe os nomes dos partidos. Não são partidos, a maioria. São legendas. E mais: não dá para aprovar nada que tenha cheiro de impunidade, uma lei que tenha como objetivo evitar que a Lava Jato vá adiante. Não pode.

Em vídeo publicado em sua página oficial no Facebook, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) defendeu que a prática de caixa 2 deve ser considerada crime no país. O presidente de honra do PSDB também defendeu o fim das coligações entre partidos nas eleições para o Legislativo e a aprovação da chamada “cláusula de barreira”. Ambas as ações fazem parte da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) apresentada pelos senadores tucanos Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, e Ricardo Ferraço (ES), já aprovada pelo Senado Federal.

“Reforma política viável, hoje, é aprovar o que já está na Câmara. Tem leis importante na Câmara aprovadas pelo Senado, especialmente duas: a primeira é proibir a coligação nas eleições de deputados, de vereadores, porque você vota num e elege outro. Se dois partidos se coligam, você não sabe em quem está votando pelo quórum eleitoral, então é melhor proibir”, ressaltou FHC.

“E em segundo lugar, eu acho que é muito importante também que haja uma lei que diga que um partido que não recebeu x votos em tais números de estados não vai ter representação na Câmara. Não tem vantagens na Câmara, porque não é partido, tentou ser partido”, acrescentou o ex-presidente.

O tucano também fez críticas à possibilidade de voto em lista fechada, na qual os eleitores votam nos partidos políticos – e não nos candidatos – nos pleitos para vereadores e deputados estaduais e federais. “O povo vai votar em partidos? Quais? O povo nem sabe os nomes dos partidos. Não são partidos, a maioria. São legendas. E mais: não dá para aprovar nada que tenha cheiro de impunidade, uma lei que tenha como objetivo evitar que a Lava Jato vá adiante. Não pode”, disse.

“As leis estão aí. Quem errou vai pagar, depende do que fez. Fez corrupção? Ganhou dinheiro porque tirou dinheiro da Petrobras, Eletrobras, de onde quer que seja? Ou por que recebeu dinheiro de uma empresa para fazer uma lei a favor desta empresa? É crime, na verdade, de corrupção. E não declarou? É falsidade ideológica. E caixa 2 também é crime, mas é outro tipo de crime, capitulado no Código Penal. Deixa que a Justiça separe: o que é caixa 2, o que é crime de corrupção”, argumentou Fernando Henrique.

Confira vídeo

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115088 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.