Fazer pirotecnia não é investigar, denuncia ex-presidente Lula

Maior líder popular desde Getúlio Vargas, ex-presidente Lula é vítima de elementos do Estado Fascista. História é repleta de exemplos de como opera o fascismo contra forças populares.
Maior líder popular desde Getúlio Vargas, ex-presidente Lula é vítima de elementos do Estado Fascista. História é repleta de exemplos de como opera o fascismo contra forças populares.
Maior líder popular desde Getúlio Vargas, ex-presidente Lula é vítima de elementos do Estado Fascista. História é repleta de exemplos de como opera o fascismo contra forças populares.
Maior líder popular desde Getúlio Vargas, ex-presidente Lula é vítima de elementos do Estado Fascista. História é repleta de exemplos de como opera o fascismo contra forças populares.

Para o ex-presidente Lula, a pirotecnia atrapalha o trabalho sério de investigação que precisa ser feito. Ele criticou também o acordo entre setores do judiciário e a imprensa e disse que não é inteligente um funcionário público dizer que para condenar alguém ele precisa da ajuda da imprensa: “Não sejam reféns da imprensa”.

Lula disse ainda que o país não vai suportar essa mentira por muito tempo e lembrou que, para fazer o Brasil ser um país respeitado no mundo, ele também soube respeitar.

“Uma pessoa que faz a acusação que está sendo feita contra mim, no fundo no fundo pensa que se ele próprio estivesse no meu lugar, ele faria o que pensa que eu fiz.

Essas pessoas não sabem o que é um ser humano fazer um esforço imenso para ser respeitado no mundo. Eu tinha consciência de que eu não podia errar. A única coisa que eu acredito no mundo é que para as pessoas me respeitarem, eu tenho que ser sério com as pessoas.

Então eu não posso admitir tamanha leviandade. Não posso. Possivelmente, se eles estivessem no meu lugar estariam fazendo o que eles pensam que eu fiz. Eu digo o seguinte, a minha vida foi investigada na campanha de 82, na de 86, na de 89, na de 94, na de 98, na de 2002, na de 2006, na de 2010 com a Dilma, na de 2014 e continuam investigando. No dia em que acharem alguma coisa, por favor, denunciem. Agora, se não acharem, parem. E comecem a fazer coisa séria neste país. Não sejam reféns da imprensa. Vocês têm estabilidade no emprego não é pra serem reféns da imprensa.

Porque é pouco inteligente alguém dizer: `pra eu condenar alguém, eu preciso da imprensa`.

Eu quero saber se você investigou, se você tem prova, se você encontrou uma conta, ou alguma coisa. Se você não fez isso, pare, pense e mude de comportamento. O Brasil não suporta mentira por muito tempo. Isso está prejudicando o país, está prejudicando a imagem do Brasil lá fora, está prejudicando a credibilidade deste país, que tinha muita credibilidade. Eu tive a honra e o prazer de presidir este país quando o país passou a ser um país com perspectiva de ser a quinta economia do mundo, de ser admirado e respeitado dos Estados Unidos à China, da Alemanha à Argentina, ao Chile. Porque eu queria ser respeitado e respeitava todo mundo. Portanto é o seguinte: me respeitem. Me respeitem para que eu possa respeitar vocês.”

Seria Lula dono da Torre Eiffel ou da Muralha da China?

Não foram encontrados crimes, nem provas de crimes para acusar Lula. Mas a máquina de difamação e perseguição judicial contra o ex-presidente, que já dura anos, não pode parar de alimentar manchetes para vender jornal, como hoje na Folha de S. Paulo. São casos assim que mostram que não existe investigação séria sobre Lula, mas muita pirotecnia e perseguição política, que estão causando danos a democracia, a imagem e a economia do Brasil.

“A Lava Jato não conseguiu apresentar qualquer prova sobre suas acusações contra Lula. Na ausência de provas, trabalha-se com especulações de delações. Se a delação já não serve para provar qualquer fato, a especulação de delação é um nada e não merece qualquer comentário”.

Mais uma vez, Lava Jato inventa uma sede que nunca existiu para o Instituto Lula, afirma defesa do ex-presidente

Diante de documento da Operação Lava Jato que cita o Instituto Lula e uma suposta “nova” sede, mais uma vez é importante destacar que desde que foi criado, em 2011, o Instituto Lula funciona em um sobrado adquirido em 1991 pelo antigo Instituto de Pesquisas do Trabalhador.

No mesmo endereço funcionou, por mais de 15 anos, o Instituto Cidadania. Originalmente, era um imóvel residencial, semelhante a tantos outros no bairro Ipiranga, zona sul de São Paulo.

O Instituto Lula jamais teve outra sede ou recebeu qualquer terreno, por isso não tem sentido especular sobre esse tema. Todas as doações recebidas pelo Instituto foram devidamente declaradas e registradas e estão absolutamente dentro da lei.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108751 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]