Escritor Carlos Kruschewsky lança em Feira de Santana ‘O teorema de Arquimedes’

Escritor Carlos Kruchewsky lança crônica ficcional ‘O teorema de Arquimedes’.
Escritor Carlos Kruchewsky lança crônica ficcional ‘O teorema de Arquimedes’.
Escritor Carlos Kruchewsky lança crônica ficcional ‘O teorema de Arquimedes’.
Escritor Carlos Kruchewsky lança crônica ficcional ‘O teorema de Arquimedes’.

Dotado de uma mente brilhante e madura, o escritor Carlos Alberto Kruschewsky relata, ao jornalista e cientista social Carlos Augusto, aspectos da mais recente obra literária ‘O teorema de Arquimedes’. O encontro ocorreu no restaurante Veleiro, no Yacht Clube da Bahia, em Salvador, tendo a Baía de Todos os Santos como cenário e a companhia do dublê de executivo e engenheiro Carlos Alberto Kruschewsky Filho.

A obra ‘O teorema de Arquimedes’ será lançada por Carlos Kruschewsky em Feira de Santana, no Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo, em 10 de novembro de 2016 (quinta-feira), às 19 horas.

A crônica ficcional tem como marco cronológico os eventos do Golpe Civil/Militar de 1964 e utiliza como cenário as cidades de Feira de Santana, Salvador e algumas outros municípios do interior baiano. Personalidades da sociedade feirense são abordadas no livro. A obra é comentada pelo historiador Cândido da Costa Silva.

Encontro e revelações

O encontro entre Carlos Kruschewsky e Carlos Augusto não foi uma entrevista, foi um diálogo sobre a vida e aspectos da estrutura do livro ‘O teorema de Arquimedes’, obra literária que utiliza recursos da realidade histórica e é permeado por personagens reais, alguns feirenses, vinculados ao Golpe Civil/Militar de 1964 e ao movimento de contestação e resistência democrática. Sobre a narrativa histórica são acrescidos personagens e elementos ficcionais. A técnica acrescenta singularidade narrativa à obra, transformando-a em fecundo deleite literário.

O romance

Sobre a obra, Carlos Kruschewsky comenta:

— É um romance que perpassa alguns períodos históricos. O primeiro bloco de 1964 e as consequências que o evento trouxe para o Brasil e, particularmente, para uma parte da população. O livro aborda assuntos de história, teologia, psiquiatria, psicologia, arte e tem até homossexualismo.

Carlos Kruschewsky relata que o personagem principal da obra, Arquimedes, vivencia conflitos sexuais e históricos:

— Arquimedes, é um homossexual frustrado, sofre muito, tem muita angustia resultante da frustração do homossexualismo da idealização dele sexual, então, porque o uso da palavra teorema no título da obra? Por significar exatamente essa dupla mão, entre o ceder e o não ceder ao remoço sexual. Então ele criou para ele esse teorema, essa dificuldade.

Perfil do autor

Carlos Alberto Kruschewsky nasceu em Cipó, município situado no Nordeste da Bahia, é formado em Medicina pela Universidade Federal da Bahia (UFBA, 1953) e em Teologia pela Faculdade de São Bento (2010), é casado com Gildete Ferreira Kruschewsky. O casal teve quatro filhos, Kátia, médica; Carlos Filho, engenheiro e empresário; Tânia, psicóloga e Carla, advogada.

Durante 18 anos, Carlos Kruschewsky dirigiu o hospital Colônia Lopes Rodrigues em Feira de Santana, foi, também, superintendente do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (INAMPS), presidente do Instituto de Assistência e Previdência dos Serviços da Bahia (IAPSEB) e participou da fundação do Hospital Emec, atuando com sócio e diretor comercial.

Além da atuação na medicina, Carlos Kruschewsky é autor dos livros ‘Memorias de Saulo daqui’, ‘O véu suspenso’ e é coautor da obra ‘De Mãos Juntas – Monsenhor Gaspar Sadoc da Natividade’.

Carlos Kruchewsky Filho, Carlos Kruchewsky e Carlos Augusto. Entrevista foi marcada por revelações sobre a obra literária e digressões sobre a vida.
Carlos Kruchewsky Filho, Carlos Kruchewsky e Carlos Augusto. Entrevista foi marcada por revelações sobre a obra literária e digressões sobre a vida.
Sobre Carlos Augusto 9705 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).