Candidata Hillary Clinton domina debate eleitoral nos Estados Unidos

Nervosismo e tensão marcaram o último debate entre Donald Trump e Hillary Clinton.
Nervosismo e tensão marcaram o último debate entre Donald Trump e Hillary Clinton.
Nervosismo e tensão marcaram o último debate entre Donald Trump e Hillary Clinton.
Nervosismo e tensão marcaram o último debate entre Donald Trump e Hillary Clinton.

A 20 dias das eleições para a Presidência dos Estados Unidos, os candidatos republicano Donald Trump e democrata Hillary Clinton voltaram a trocar acusações no terceiro e último debate da corrida eleitoral. Transmitido ao vivo nesta quarta-feira (19/04/2016), a partir de Las Vegas, cidade do estado de Nevada,  para todo o território norte-americano por redes de televisão, de rádio, pela internet e até em salas de cinema, o debate, em determinados momentos, passou longe das propostas políticas de cada um dos partidos e resvalou para ataques pessoais. Hillary chamou Trump de “fantoche” do presidente da Rússia, Vladimir Putin. E Trump se referiu a Hillary como “mulher desagradável”.

Sob pressão para conter a queda nas pesquisas, desde que nove mulheres o acusaram de assédio sexual, e também desde que foi divulgado um vídeo em que faz comentários desrespeitosos às mulheres, Donald Trump procurou, durante o debate, desqualificar as acusações das mulheres. Ele disse que elas são “falsas” e que as mulheres que o acusam provavelmente só desejam a “fama”.

Trump procurou garantir os votos dos eleitores conservadores com a promessa de deportar imigrantes ilegais, apoiar o direito de uso de arma e de nomear juízes da Suprema Corte que possam derrubar propostas que defendam o direito do aborto.

Transferência pacífica de poder

O moderador do debate, Chris Wallace, observou que a transferência pacífica de poder é uma característica da democracia americana. Ele lembrou, porém, que isso depende de o candidato perdedor aceitar a validade dos resultados eleitorais. Wallace perguntou a Trump se ele aceitaria o resultado do pleito mesmo que perdesse as eleições. Trump primeiramente respondeu que a eleição está sendo manipulada contra a sua campanha. Depois, dirigindo-se ao moderador, o candidato republicano afirmou: “Vou mantê-lo em suspense, está bem?”. Nesse momento, Hillary comentou: “Isso é horrível”.

Hillary Clinton disse também que toda vez que Donald Trump pensa que algo não está indo em seu benefício, ele afirma que “essas coisas são manipuladas” .

Ao deixar a resposta em suspense, Trump amplia a crise provocada há uma semana pela sua afirmação de que, se perder, a derrota decorrerá de fraude. Tal afirmação provocou críticas a ele não só no Partido Democrata como de seus próprios colegas do Partido Republicano. Os que discordam de Trump temem que a acusação de fraude possa provocar a não aceitação do resultado eleitoral pelos eleitores republicanos por considerarem o processo ilegítimo.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9307 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).