A onda anti-Temer invade cinemas, teatros e estádios

Cartaz com protesto: Fora Temer! Governo golpista não!
Cartaz com protesto: Fora Temer! Governo golpista não!
Cartaz com protesto: Fora Temer! Governo golpista não!
Cartaz com protesto: Fora Temer! Governo golpista não!

Passado o processo de impeachment de Dilma Rousseff, os protestos contra o seu sucessor, Michel Temer, se intensificaram em todo o país. Não mais restritas às ruas, as manifestações contra o atual governo chegaram a espaços esportivos, culturais e de entretenimento, entre outros.

Dilma, acusada de crime de responsabilidade, perdeu o seu cargo em definitivo no último dia 31. Mas ela já estava afastada da presidência desde maio, período em que também tiveram início os grandes atos contra Temer, à época, interino.  Durante os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, os cartazes, camisetas, cantos e gritos contra a administração federal chamaram a atenção de todo o mundo, levando as autoridades brasileiras a adotar inclusive uma série de restrições a essas manifestações.

De lá pra cá, no entanto, as restrições só aumentaram a indignação do público descontente com o impeachment de Dilma e a efetivação de Temer no cargo. Além das ruas das grandes cidades brasileiras, tomadas com frequência pelos manifestantes, os protestos atingiram diferentes espaços.

Foi o que aconteceu, por exemplo, na estreia em Brasília do filme “Aquarius”, cujo elenco já havia causado polêmica ao se manifestar contra Temer durante o Festival de Cannes, na França.

Com informações da Agência Sputnik.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9140 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).