Para senadora Lídice da Mata, o processo de impeachment é um “golpe parlamentar”

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Para senadora Lídice da Mata, o processo de impeachment é um "golpe parlamentar" que visa à retirada de direitos trabalhistas e a entrega do patrimônio público, como o petróleo da camada pré-sal.
Para senadora Lídice da Mata, o processo de impeachment é um "golpe parlamentar" que visa à retirada de direitos trabalhistas e a entrega do patrimônio público, como o petróleo da camada pré-sal.
Para senadora Lídice da Mata, o processo de impeachment é um "golpe parlamentar" que visa à retirada de direitos trabalhistas e a entrega do patrimônio público, como o petróleo da camada pré-sal.
Para senadora Lídice da Mata, o processo de impeachment é um “golpe parlamentar” que visa à retirada de direitos trabalhistas e a entrega do patrimônio público, como o petróleo da camada pré-sal.

Na resposta à senadora Lídice da Mata (PSB-BA), a presidente afastada, Dilma Rousseff, afirmou que em meio à crise procurou poupar os programas sociais de cortes mais profundos. Ela aproveitou para criticar o presidente interino, Michel Temer, pela apresentação ao Congresso da chamada “PEC do teto”, que determina que os gastos públicos estarão sujeitos apenas à correção inflacionária por 20 anos.

Para Dilma, a proposta, se aprovada, levará na prática a fortes cortes de investimentos em áreas como educação e saúde, devido ao fato de a população ainda ser em grande parte jovem e por atrasos ainda existentes em setores como ciência e tecnologia e no sistema educacional como um todo. A presidente afastada criticou Temer também por, no seu entender, já estar tomando decisões que levarão ao fim do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), à redução de dotações às universidades e a cortes na abrangência do programa Universidade para Todos (Prouni) e no financiamento estudantil (Fies).

Para Lídice, o processo de impeachment é um “golpe parlamentar” que visa à retirada de direitos trabalhistas e a entrega do patrimônio público, como o petróleo da camada pré-sal.

Sobre Carlos Augusto 9656 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).