Newton Hidenori Ishii, o ‘Japonês da Federal’, coloca tornozeleira e volta a trabalhar na PF, revela revista Veja

Newton Hidenori Ishii. Observa-se que um policial federal, condenado criminalmente, cumprindo pena, continua a atuar como policial federal, segundo a revista Veja.
Newton Hidenori Ishii. Observa-se que um policial federal, condenado criminalmente, cumprindo pena, continua a atuar como policial federal, segundo a revista Veja.
Newton Hidenori Ishii. Observa-se que um policial federal, condenado criminalmente, cumprindo pena, continua a atuar como policial federal, segundo a revista Veja.
Newton Hidenori Ishii. Observa-se que um policial federal, condenado criminalmente, cumprindo pena, continua a atuar como policial federal, segundo a revista Veja.

Segundo a revista Veja, o policial federal Newton Ishii, informalmente chamado de Japonês da Federal e tornado célebre por acompanhar presos da Operação Lava Jato, colocou uma tornozeleira eletrônica nesta sexta-feira e foi autorizado a voltar a trabalhar na PF. Ele havia sido preso no dia 7 de junho de 2016 depois de condenado por facilitação ao contrabando a quatro anos, dois meses e 21 dias de prisão.

Ishii ficou detido em uma sala do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE). Agora, volta a trabalhar na Polícia Federal a partir de segunda-feira, cumprindo a pena em regime semiaberto harmonizado, terá de ficar recolhido em casa à noite e durante os fins de semana.

Observa-se que um policial federal, condenado criminalmente, cumprindo pena, continua a atuar como policial federal.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9606 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).