Operação Alba Branca: denúncias de fraudes na merenda levam estudantes a reocupar escola em São Paulo

Alunos de escolas técnicas estaduais protestam em São Paulo.
Alunos de escolas técnicas estaduais protestam em São Paulo.
Alunos de escolas técnicas estaduais protestam em São Paulo.
Alunos de escolas técnicas estaduais protestam em São Paulo.

Durante a madrugada de sábado (30/04/2016), estudantes voltaram a ocupar a Escola Estadual Fernão Dias Paes, em Pinheiros, na zona oeste paulistana. O colégio havia sido um dos primeiros locais tomados pelos jovens durante a mobilização iniciada no fim de 2015 contra a reorganização escolar proposta pelo governo estadual. O prédio ficou sob controle dos secundaristas do dia 10 de novembro até o dia 4 de janeiro deste ano.

O grupo entrou na escola por volta das 2h40 de hoje e pretende permanecer no local por tempo indeterminado. Os estudantes protestam contra a falta de merenda e as denúncias de corrupção nos contratos da alimentação dos alunos da rede estadual. Na tarde da última quinta-feira (28), os secundaristas já haviam ocupado o Centro Paula Souza, autarquia responsável pela administração do ensino técnico no estado.

Os jovens também acusam o governo de São Paulo de ter mantido disfarçadamente o processo de reorganização escolar que foi suspenso após a mobilização do ano passado. “Também tem o fechamento de salas, foram mais de 1,3 mil no estado. Períodos fechados. Aluno que teve de mudar de escola ou de turno. Na [escola] Fernão Dias, dois segundos anos [duas turmas do ensino médio] tiveram que ir para o turno da noite porque não tinha o turno da tarde”, disse a estudante Manuela Day, de 15 anos, ao falar sobre as reivindicações do movimento.

O processo de reorganização que seria implantado pelo governo do estado previa o fechamento de 93 escolas e a transferência de 311 mil alunos para instituições e turnos diferentes. As medidas foram interrompidas após a série de protestos e ocupações.

De manhã, continuavam a chegar mais estudantes para fortalecer a ocupação da escola. Alguns pais e simpatizantes traziam sacolas com alimentos. A expectativa era a de haver uma assembleia para decidir os rumos do movimento. “Agora, tá todo mundo dormindo lá dentro. Estamos com cerca de 80 pessoas. A gente está descansando um pouco para poder conversar, reunir comissões”, disse Manuela, que é aluna da Escola Godofredo Furtado, também na zona oeste.

A Polícia Militar faz ronda constante com viaturas no entorno da escola. Segundo Manuela, durante a madrugada os policiais usaram spray de pimenta para tentar conter a ação dos jovens.

Os estudantes continuam se articulando e, de acordo com Manuela, pode haver novas ocupações em breve. No ano passado, cerca de 200 escolas chegaram a ser tomadas pelos jovens.

Fraudes

Uma força-tarefa da Polícia Civil e do Ministério Público investiga, na Operação Alba Branca, deflagrada no dia 19 de janeiro, um esquema de fraudes na compra de merenda escolar de prefeituras e do governo paulista. Segundo o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), de Ribeirão Preto, as fraudes na contratação da merenda, entre 2013 e 2015, envolvem 20 municípios. Os contratos sob suspeita chegam a R$ 7 milhões, dos quais R$ 700 mil foram, segundo os promotores, destinados ao pagamento de propina e comissões ilícitas.

*Com informação da Agência Brasil.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108765 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]