Deputado Claudio Cajado faz discurso contundente no primeiro dia da sessão do impeachment na Câmara Federal

Claudio Cajado no discurso que fez a favor do impeachment.
Claudio Cajado no discurso que fez a favor do impeachment.
Claudio Cajado no discurso que fez a favor do impeachment.
Claudio Cajado no discurso que fez a favor do impeachment.

O deputado Cláudio Cajado (DEM-BA) criticou o governo federal ao defender o impeachment da presidente Dilma e criticar os crimes praticados pela petista. “Vivemos momentos históricos e o Congresso Nacional não se furtará de dar uma resposta à altura dos anseios da nação”, garantiu.

Cajado, que é Procurador da Câmara dos Deputados, lembrou que o poder constituinte originário determinou que o afastamento do presidente da república seria de competência exclusiva do Congresso Nacional, iniciando a admissibilidade na Câmara e efetuado o julgamento pelo Senado “O constituinte deixou claro o viés político destas decisões”, argumentou. “Ou seja, determina que o poder legislativo, e não judiciário, resolva esta questão”. Cajado disse que ao STF cabe a definição do rito processual, a garantia do direito de defesa e ampla contraditório.

Para Cajado, há tipicidades de sobra para o afastamento da presidente. “Ela ignorou a responsabilidade fiscal e lançou mão de créditos não autorizados pelo Congresso”, salientou. “Esse governo, ao desrespeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal, ofendeu a boa governança”, acrescentou. “E o Advogado Geral da União usou argumento de ‘outros já fizerem’, querendo dizer que crime pretérito justifica crime presente e futuro”, criticou. “Por isso a AGU não conseguiu ganhar nenhuma ação no STF”, afirmou.

Cajado lembrou também a grave crise econômica que abala o país. “São 10 milhões de pessoas desempregadas, inflação fora de controle, recessão e depressão econômica”, apontou. “Agências de classificação de risco rebaixaram a nota do Brasil para nível especulativo, o que afasta investimentos estrangeiros”, lamentou.

O parlamentar baiano questionou: “Porque chegamos a esse ponto? Pelo simples fato que o país foi vilmente traído na campanha de 2014, quando Dilma mentiu dizendo que o país estava bem, mas descobriu-se o maior estelionato eleitoral da história”, destacou.

O deputado disse que, qualquer que seja o resultado do impeachment, “inexoravelmente, será afastada pelo próprio PT, já que Lula vai assumir”, assegurou. Cajado disse que Dilma poderia ter feito uma tentativa de reconciliação após as eleições. “Deveria ter pedido desculpas pelos erros cometidos e nós poderíamos ter trabalhado juntos pela reconstrução do país, como muitos da oposição fizeram, mas ela não teve essa humildade”, criticou. “Ela perdeu, assim, todas as oportunidades de superar as crises moral, ética e política criadas pelo próprio PT”, demonstrou.

O parlamentar disse que o impeachment vai dar ao país a chance de recomeçar. “Juntos vamos criar um ambiente de mudanças e não permitiremos que as vozes das ruas sejam desprezadas. Impeachment já!”, finalizou.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108642 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]