Decisão do desembargador Baltazar Miranda Saraiva determina bloqueio de R$ 15 milhões destinados a projeto da Secult do Estado

Desembargador Baltazar Miranda Saraiva determina bloqueio de R$ 15 milhões destinados a projeto da Secult do Estado.
Desembargador Baltazar Miranda Saraiva determina bloqueio de R$ 15 milhões destinados a projeto da Secult do Estado.
Desembargador Baltazar Miranda Saraiva determina bloqueio de R$ 15 milhões destinados a projeto da Secult do Estado.
Desembargador Baltazar Miranda Saraiva determina bloqueio de R$ 15 milhões destinados a projeto da Secult do Estado.

Reportagem do Correio, publicada na sexta-feira (18/12/2015), por Jairo Costa Junior, relata decisão do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) prolatada pelo desembargador Baltazar Miranda Saraiva determinando o bloqueio de R$ 15 milhões destinados ao projeto Agitação Cultural. O projeto é referente a um edital lançado em setembro de 2015 pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult) com a finalidade de movimentar teatros, museus, bibliotecas e espaços com potencial para abrigar produções artísticas na capital e interior.

A reportagem informa que a decisão judicial ocorreu em resposta a um mandado de segurança impetrado semana passada pelo Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão da Bahia (Sated), obriga ainda a Secult a suspender todos os atos referentes à seleção de propostas, até julgamento final pelo plenário da Corte. O órgão foi notificado sobre o embargo ao edital e terá dez dias para apresentar defesa.

Ação e reação

Segundo a reportagem, a Sated decidiu ingressar judicialmente contra o edital após a Secult desclassificar – segundo o sindicato, numa sucessão de arbitrariedades – 58 propostas que haviam sido pré-selecionadas. Entre as irregularidades citadas na ação, constam falhas no sistema online usado pela Secult para entrega de documentos complementares exigidos no processo seletivo. Ainda de acordo com a Sated, a secretaria embargou, sem qualquer justificativa legal, todos os recursos apresentados pelos autores dos projetos.

Fins e meios

A reportagem relata que “antes de ir à Justiça, os produtores culturais e artistas que tiveram seus projetos desclassificados de maneira irregular tentaram dialogar com a cúpula da Secult, mas não conseguiram ser ouvidos. Não restou outra alternativa”, afirma o presidente do Sated, Fernando Marinho. Diretor de teatro e um dos fundadores da Companhia Baiana de Patifaria, Marinho explica que as  propostas já aprovadas não serão afetadas pelo processo.  “O que a gente quer é garantir o acesso aos recursos do edital para quem foi prejudicado por erros da Secult”, diz.

Tática de guerrilha

A matéria informa que o clima anda tenso entre os dirigentes da Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac) e o deputado Antônio Brito (PTB). Homem forte da Fundação José Silveira, principal prestadora de serviços da Fundac, Brito anda irritado com a diretora do órgão, Regina Affonso de Carvalho, que vem se recusando a atender pedidos do parlamentar. Aos colaboradores mais próximos, a chefe relatou as pressões que disse ter sofrido, sobretudo por meio de denúncias anônimas feitas ao alto escalão do governo.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108296 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]