FAEB: Wilson Cardoso critica processo eletivo, fala em destruição da entidade e “fortes indícios de irregularidades”

Wilson Cardoso: "O João Martins para se perpetuar no poder, destruiu as principais bases sindicais. Quando assumiu a presidência da FAEB, a entidade detinha mais de 158 sindicatos filiados e regulares. Atualmente, restam apenas 86.
Wilson Cardoso: "O João Martins para se perpetuar no poder, destruiu as principais bases sindicais. Quando assumiu a presidência da FAEB, a entidade detinha mais de 158 sindicatos filiados e regulares. Atualmente, restam apenas 86."

Em denso relato postado no domingo (19/07/2015), na rede social WhatsApp, o candidato a presidente da Federação da Agricultura do Estado da Bahia (FAEB), pela chapa ‘Renovar para Avançar – (Chapa 2)’, Wilson Paes Cardoso, informa sobre os diversos aspectos de transgressão  legal, moral, ética que afetam o processo eletivo para escolha da direção da entidade para o triênio 2015 – 2018. Ele também pontua sobre o desejo de reconstruir a entidade, e que pretende implementar uma política de transparência no manuseio dos recursos do sistema Faeb/Senar.

Confira o teor do relato

Destruição da base sindical

– O João Martins, para se perpetuar no poder, destruiu as principais bases sindicais. Quando assumiu a presidência da FAEB, a entidade detinha mais de 158 sindicatos filiados e regulares. Atualmente, restam apenas 86. Dos quais, mais de 20% não tem representatividade nos municípios, e os presidentes não empregam trabalhadores. Muitos são funcionários do sistema Faeb/Senar, e outros são submissos ao presidente por dever favores, a exemplo da contratação de parentes no sistema Faeb/Senar e no Sebrae.

– Não é possível que 80% de presidentes honestos, que sonham por uma agricultura mais produtiva, que desejam uma nova gestão realize papel institucional com democracia, que asseiam por debates, que desejam que sejam desenvolvidos programas com a participação de instituições financeiras a exemplo do BB, BNB, BNDES, e Desenbahia, sejam vencidos.

Processo eletivo

– Teremos eleições na FAEB, depois de 15 anos é a primeira vez que se consegue formar uma chapa para concorrer com aquele que se elegeu pregando que ninguém podia se perpetuar no poder e que ele como um homem honesto e de palavra faria alterações no estatuto retirando a condições de reeleição, fez tudo ao contrário, alterou as normas eleitorais de uma maneira vergonhosa para se perpetuar no poder.  Todo presidente de sindicato que tentasse sugerir  algumas ideias para melhorar o sistema, era logo escanteado e virava uma pessoa não confiável,  e ele e sua turma começava imediatamente desqualificá-los, não permitiu o debate para que os colegas pudessem conhecer melhor as idéias da chapa concorrente, destruiu quase todo sistema sindical, dirigiu a entidade de uma maneira ditatorial, mentiu, criou uma imagem de homem trabalhador, e que no mundo só existe uma pessoa competente  e honesta que era ele.

Traições e falsas acusações

– Brigou com Joaquim Cardoso, Ângelo Mário, Carlos Baiarde, traiu a todos que lhe ajudou. Espalhou que eu foi condenado criminalmente, não teve coragem de denunciar porque não ė verdade, induziu  o presidente do sindicato de Nazaré das Farinhas para fazer a denúncia, que agora vai responder criminalmente, e por danos morais, tudo para continuar no poder de maneira covarde e leviana, mas a prova está aí, conseguimos registrar a nossa chapa, denunciamos os atos ilegais praticados pela atual gestão no Ministério do Trabalho, Ministério Público Federal e no TCU, sem medo, e todas as denúncias bem fundamentadas, com fortes indícios de irregularidades.

Transparência na gestão da entidade

– Ganhando ou  perdendo as eleições, com certeza não haverá mais retaliações e nunca mais ele vai cassar a palavra de um Presidente, as contas terão que ter transparência, todo presidente de sindicato saberá como estão sendo aplicados os recursos do sistema FAEB/SENAR, a mamadeira vai acabar e os salários dos seus escudeiros com certeza cairá para a realidade do mercado, iremos cobrar constantemente as revitalização dos sindicatos fechados e o repasse correto para os demais Sindicatos.

Gestão e sonho

– Em fim, estou entre os três melhores prefeitos da Bahia, e se meus colegas entenderem que já passou da hora de fazermos a mudança, com certeza, faremos juntos uma administração que vai tirar a FAEB da última colocação comparando com as federações de outros Estados e colocar no lugar que os produtores do nosso estado sonham, entre as mais atuantes do Brasil.

Agradecimento

– Finalizando agradeço a todos os colegas que lutaram pela formação da chapa e aqueles que torceram para termos a opção da alternância.

Sobre Carlos Augusto 9717 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).