Deputado e lideranças LGBT cobram pelo direito à vida e políticas públicas eficazes na Alba

Grupo LBGT e políticos reunidos em evento na Alba.
Grupo LBGT e políticos reunidos em evento na Alba.
Grupo LBGT e políticos reunidos em evento na Alba.
Grupo LBGT e políticos reunidos em evento na Alba.

“Um minuto de aplauso por todas as vítimas de crimes de ódio; o silêncio não nos pertence, a luta sim”. Neste tom, o deputado estadual Bira Corôa abriu a sessão especial Zero Violência Contra LGBT, no Plenário da Alba, nesta sexta-feira (15/05/2015). Estou representando pelo terceiro ano consecutivo os travestis e transexuais, na sessão LGBT, proposta por Bira Corôa. Hoje estou viva, mas e no ano que vem? Com esta explanação reflexiva, Marina Garlen, fez referência aos índices alarmantes de violência contra o segmento que só em 2014 teve 326 gays, lésbicas e travestis mortos no Brasil.

O parlamentar agradeceu a expressiva presença de lideranças LGBT e de autoridades ligadas à temática, e aprofundou: “Mais de 25 anos depois de criminalizar o racismo e quase 10 anos depois de criminalizar a violência doméstica, é hora do Brasil criminalizar a homofobia. Faz-se necessário não só tipificar os crimes de ódio e de intolerância, mas também assegurar a criação de uma cultura de valorização dos direitos humanos”, frisou Bira, inclusive já apontando um encaminhamento pós sessão, que é o do reconhecimento dos nomes sociais da comunidade LGBT na Assembleia Legislativa, o qual será dirigido à mesa diretora da casa, através de requerimento.

Lideranças do segmento somadas a autoridades da Justiça, Educação, Trabalho, Segurança Pública, como Amélia Maraux, Álvaro Gomes, Paulete Furacão e Wilson Dias, fortaleceram a sessão especial, mostrando consenso no que diz respeito a necessidade da implementação e eficácia das políticas públicas voltadas ao segmento no estado.

“Nós viemos aqui para lutar, não estamos aqui a passeio”, frisou o historiador e representante do Fórum LGBT Bahia, Ricardo Santana, sendo seguido pela diretora LGBT da UNE, Larissa Passos:”A Bahia precisa assinar um termo de cooperação com a política nacional LGBT. Precisamos também lutar pela assistência à comunidade LGBT”, pontuou. Ambos ressaltaram que nunca tinham falado no plenário da Alba e que desejam que mais oportunidades como esta sejam garantidas.

Representando o governador Rui Costa, a superintendente de Justiça e Direitos Humanos da Bahia, Anhamona de Brito, destacou que 2015 é um ano estratégico para se avançar nas discussões ligadas aos direitos humanos, ressaltando a importância do Conselho LGBT e do resgate do Centro de Referência LGBT na Bahia. Com a mesma linha de pensamento, o representante da Secretaria de Promoção da Igualdade, Ailton Ferreira, fez questão de lembrar de quando era secretário da Reparação de Salvador e lutou pela incorporação das questões LGBT naquela pasta que era exclusiva ao tratamento das questões raciais.

Já, Elizete França, Representou a Secretaria de Educação e reforçou a luta que segue pela implementação das políticas, dando como exemplo, a busca do reconhecimento dos nomes sociais nas cadernetas escolares. Tenente Lanzelotti, que representou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Anselmo, propôs a criação de um fórum específico na Secretaria de Segurança Pública (SSP) para debater a pauta LGBT. Assim como, o representante da SSP, coronel Jaime Pinto, destacou a importância da denúncia do cidadão contra as formas de opressão.

A abertura ficou a cargo da bela apresentação de Dion Santiago, com o fechamento artístico abrilhantado pela performance de Misael Franko. No fim das explanações, ocorreu a tradicional homenagem às organizações LGBT, e em 2015, as contempladas foram: UNE ( Larissa Passos), Grupo Finas (Vitória da Conquista/Rafaela Souza), ABGLT (Welington Francisco), Enlesbi (Altamira Simões). Além de Dion Santiago, representando a classe artística LGBT de Salvador.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108107 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]