Secretário de Meio Ambiente e diretor de áreas verdes de Feira de Santana emitem nota sobre remoção de árvores para implantação do BRT

Arborização da Avenida Getúlio Vargas em Feira de Santana.Arborização da Avenida Getúlio Vargas em Feira de Santana.


Em nota, com o título ‘A verdade sobre o BRT e as árvores em Feira de Santana’, emitida no sábado (04/04/2015), o Secretário Municipal de Meio Ambiente, Roberto Tourinho; e Deodato Peixinho, Diretor do Departamento de Áreas Verdes de Feira de Santana comentam sobre o processo de remoção das árvores da Avenida Getúlio Vargas para implantar, no lugar, estruturas de concreto e aço concernentes a infraestruturas necessária para o funcionamento do BRT (sigla em inglês para Transporte Rápido por Ônibus).

Os servidores públicos criticam os opositores ao projeto do BRT, afirmando que “os cidadãos verdadeiramente preocupados com o meio ambiente não devem se deixar enganar por quem tem mero interesse político”.

Eles alegam que ocorreu aumento do número de árvores plantadas durante a gestão atual, e prometem que a cidade ganha com a implantação do BRT. “Não existe ameaça de perda de verde na cidade. Ao contrário, teremos um número muito maior de árvores nas nossas ruas e avenidas, com a compensação que está sendo feita. A cidade vai avançar três anos em um, no que diz respeito a sua arborização.”, declaram.

Roberto Tourinho e Deodato Peixinho afirmam que o projeto, também, objetiva melhorar a fluidez do trânsito no centro da cidade.

Protestos

No domingo (05/04), cidadãos promoveram abraço simbólico nas árvores do canteiro central da Avenida Getúlio Vargas. O abraço expressa o protesto de setores da comunidade, contra a retirada das plantas para construção da infraestrutura do BRT.

Confira o teor da nota

A verdade sobre o BRT e as árvores em Feira de Santana

Algumas pessoas, principalmente nas redes sociais, manifestam preocupação com as árvores da avenida Getúlio Vargas, em razão da obra do futuro BRT de Feira de Santana. É importante e democrático que os cidadãos participem desse debate. No entanto, é preciso cautela para não se fazer julgamento equivocado.

Os cidadãos verdadeiramente preocupados com o meio ambiente não devem se deixar enganar por quem tem mero interesse político. Precisam analisar os fatos e os números livres de manipulação para entender a grande obra que será realizada na cidade, capaz de solucionar o problema de congestionamento e de trânsito em geral nas avenidas Getúlio Vargas e Maria Quitéria.

Na realidade, os dados do Departamento de Áreas Verdes do Município e da Secretaria de Meio Ambiente registram que mais de 2.300 árvores foram plantadas em Feira de Santana entre 2013 e 2014. E outras 3 mil árvores, com altura superior a dois metros, estão previstas para este ano.

Para a construção dos túneis nas nossas grandes avenidas, que vão desafogar o tráfego, árvores devem ser retiradas, é verdade, mas todas serão transplantadas em locais indicados pelos técnicos de meio ambiente e de arborização.

O feirense precisa receber a informação correta. Não existe ameaça de perda de verde na cidade. Ao contrário, teremos um número muito maior de árvores nas nossas ruas e avenidas, com a compensação que está sendo feita. A cidade vai avançar três anos em um, no que diz respeito a sua arborização.

Roberto Tourinho, Secretário Municipal de Meio Ambiente

Deodato Peixinho, Diretor do Departamento de Áreas Verdes de Feira de Santana

Feira de Santana, 4 de abril de 2015.

Arborização da Avenida Getúlio Vargas em Feira de Santana.

Arborização da Avenida Getúlio Vargas em Feira de Santana.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).