Feira de Santana: visita do governador Rui Costa gera cenas inusitadas

José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto), Rui Costa, e José Ronaldo durante visita a escola municipal Eli Queiroz de Oliveira. Clima descontraído marcou visita do governador.
José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto), Rui Costa, e José Ronaldo durante visita a escola municipal Eli Queiroz de Oliveira. Clima descontraído marcou visita do governador.
José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto), Rui Costa, e José Ronaldo durante visita a escola municipal Eli Queiroz de Oliveira. Clima descontraído marcou visita do governador.
José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto), Rui Costa, e José Ronaldo durante visita a escola municipal Eli Queiroz de Oliveira. Clima descontraído marcou visita do governador.

É para relaxar. Dentre os inúmeros momentos protagonizados durante visita a Feira de Santana realizada pelo governador Rui Costa, na segunda-feira (16/03/2015), duas cenas merecem destaque. Ambas, situadas entre o hilário e o pitoresco, são referentes aos bastidores da política.

Ato 1

A primeira cena ocorreu momentos antes da chegada do governador à sede do Departamento de Estradas e Rodagens da Bahia (DERBA). Era uma roda de conversa descontraída. Presentes, o prefeito José Ronaldo de Carvalho (DEM), os secretários Paulo Aquino e Mauro Moraes, e o deputado estadual Carlos Geilson (PTN).

Ronaldo pediu R$ 20 emprestado.

Paulo Aquino puxou o forro dos bolsos para fora das calças e gritou, “estou liso!”.

Mauro Moraes olhou para o lado e disse “estou sem dinheiro”, na sequência foi se afastando.

Diante da cena insólita, o jornalista abriu a carteira, pegou a única nota que tinha, por coincidência era uma nota de R$ 20. Neste mesmo instante, Geilson colou a mão no fundo do primeiro bolso da calça e nada tirou. Rapidamente, colocou a mão no segundo bolso, retirou algumas notas de real, e entregou R$ 20 ao prefeito.

O jornalista, aliviado, guardou rapidamente o dinheiro.

Todos deram risadas, e um dos presentes comentou, “foi a verba de gabinete do mês, e gastou todo o recurso com o prefeito”. Risos se seguiram.

Sobre o destino do dinheiro, era para pagar um lanche. Após mais de uma hora de atraso do governador, todos estavam com fome, e apenas água era servida.

Ato 2

A cena ocorreu na escola municipal Eli Queiroz de Oliveira, e envolve o deputado e líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto), Rui Costa, e José Ronaldo.

Ao visitarem as instalações da escola, em uma das salas, a conversa fluiu e todos começaram a sorrir. Neste momento, Rui Costa e José Ronaldo deram um afetuoso abraço. No segundo plano, meio desconcertado, Zé Neto cruza os braços com ar de insatisfação.

Talvez, dentre os inúmeros pensamentos de Zé Neto, naquele instante ele tenha refletido: “de manhã o governador elogia o prefeito. Pela tarde, se abraçam. Se Rui Costa ficar para evento à noite é bem capaz de declarar apoio à reeleição de Ronaldo.”.

Para a felicidade de todos, o governador  deixou Feira de Santana às 17 horas. Após visita as obras de urbanização da Lagoa Grande.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9388 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).