Dia Mundial da Água: Codevasf investe em sistemas de abastecimento e obras de conservação

Codevasf investe na revitalização das bacias.
Codevasf investe na revitalização das bacias.
Codevasf investe na revitalização das bacias.
Codevasf investe na revitalização das bacias.

Neste 22 de março de 2015 celebra-se pela 22ª vez o Dia Mundial da Água. A data foi oficializada pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em 1993, com o objetivo de atrair a atenção do mundo para a importância da conservação, da garantia de acesso e do uso racional dos recursos hídricos. A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) celebra o 22 de março e reconhece a importância desse recurso escasso para o progresso das áreas em que exerce suas atribuições – municípios dos estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Piauí e Maranhão, e também pequenas áreas de Goiás e do Distrito Federal.

Os trabalhos da Companhia voltados para a garantia de acesso a recursos hídricos e para a conservação desses recursos são muitos. Dentre eles estão: instalação de cisternas para captação de água da chuva em benefício de populações desassistidas em áreas rurais; instalação de barragens de pequeno porte para dessedentação de animais; implantação, manutenção e modernização de estruturas para o uso adequado da água em áreas irrigadas; implantação de sistemas de abastecimento de água e realização de obras e projetos de controle de processos erosivos, esgotamento sanitário e gestão de resíduos sólidos. São mais de 1,7 bilhão, desde 2011, em investimentos concluídos ou em execução, pela Codevasf, relacionados a sistemas de abastecimento de água, controle de processos erosivos, esgotamento sanitário e gestão de resíduos sólidos.

“As ações da Codevasf visam não só a prover acesso a água para uma população fortemente afetada pelos efeitos das estiagens prolongadas no semiárido de Minas Gerais e de sete estados do Nordeste, mas também contribuir para a qualidade e a manutenção dos recursos hídricos disponíveis em quatro bacias hidrográficas da região de nossa área de atuação – São Francisco, Parnaíba, Itapecuru e Mearim”, observa o presidente da Codevasf, Elmo Vaz.

De acordo com dados divulgados pela ONU com a campanha deste ano do Dia Mundial da Água, cada dólar investido em água gera retornos de entre cinco e 28 dólares. A Organização das Nações Unidas ressalta o significado desse recurso natural para diferentes aspectos do desenvolvimento humano, como saúde, alimentação, acesso a energia e igualdade de oportunidades. A respeito do último aspecto, o órgão lembra que em nações em desenvolvimento a responsabilidade diária pela coleta de água para a família é desproporcionalmente atribuída a esposas e filhas. Segundo a organização, nessas regiões as mulheres dedicam em média 25% de seus dias à coleta de água para suas famílias – uma grande quantidade de tempo não dedicada a educação, a atenção a crianças e a atividades que podem gerar renda.

Sistemas de acesso a água

Entre as ações realizadas pela Codevasf para a promoção de acesso a água está a implantação de Sistemas de Abastecimento de Água. Com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a empresa investiu até o momento R$ 142,7 milhões na construção desses sistemas em 29 municípios dos estados de Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe.

Em Alagoas foram beneficiadas localidades dos municípios de Igreja Nova, Penedo, Porto Real do Colégio, Belo Monte e Delmiro Gouveia. Na Bahia foram alcançadas com as ações localidades de Malhada, Paratinga, Serra do Ramalho, Sítio do Mato, Bom Jesus da Lapa, Abaré, Curaçá, Glória e Juazeiro. Em Minas Gerais os benefícios chegaram a Morada Nova, Iguatama, Luz e Japaraíba. Em Pernambuco, Tacaratu, Belém do São Francisco, Floresta, Cabrobó, Lagoa Grande, Petrolina e Santa Maria da Boa Vista. Em Sergipe, Amparo do São Francisco, Gararu, Neópolis e Canindé do São Francisco.

Os sistemas são compostos por estruturas de captação, adutoras, estações de tratamento, reservatórios de acumulação, rede de distribuição e ligações domiciliares. Outros R$ 171,7 milhões estão em execução nesses estados na construção de outros sistemas.

Sistemas de esgotamento sanitário

Com a implantação, a ampliação e a melhoria de sistemas de esgotamento sanitário – que protegem e conservam os recursos hídricos –, a Codevasf investiu R$ 598,9 milhões em obras do PAC concluídas nos estados de Alagoas, Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí e Sergipe. Ao todo, 77 municípios foram beneficiados. Os maiores investimentos ocorreram na Bahia (R$ 235,9 milhões), em Minas Gerais (R$ 193,7 milhões) e no Piauí (R$ 59 milhões).

Os sistemas de esgotamento sanitário são compostos por estruturas como redes coletoras, ligações prediais e estações elevatórias e de tratamento. Entre os benefícios advindos dos sistemas destaca-se a minimização de focos de doenças e poluição do subsolo e de corpos hídricos.

Grande parte dos municípios beneficiados com os sistemas encontram-se na calha do rio São Francisco, como Abaré, Barra, Carinhanha, Glória, Ibotirama, Itaguaçu da Bahia, Muquém de São Francisco, Paratinga e Serra do Ramalho, na Bahia; e Arcos, Doresópolis, Ibiaí, Icaraí de Minas e Iguatama, em Minas Gerais.

Outros R$ 647 milhões estão sendo aplicados em obras contratadas e em processo de execução em 55 municípios dos mesmos sete estados. Os maiores investimentos são realizados em Pernambuco (R$ 182,1 milhões), Minas Gerais (R$ 173,9 milhões) e Piauí (R$ 158,4 milhões).

A população beneficiada avalia positivamente as obras que já foram concluídas. Alexandro Brito, que trabalha na cidade baiana de Glória, afirma que o sistema de esgotamento sanitário implantado pela Codevasf trouxe melhorias para a população. “De um a dez, diria que a cidade ficou dez. Hoje a gente não tem mais aquele esgoto no meio da rua. Ficou muito bom. Até as doenças diminuíram”, conta.

Gestão de resíduos sólidos

No âmbito da gestão de resíduos sólidos, a Companhia investiu – em obras concluídas com recursos do PAC em Minas Gerais, Bahia e Pernambuco – mais de R$ 21 milhões. Essas obras incluem intervenções como remediação e encerramento de lixões e implantação de aterros sanitários e unidades de triagem. A remediação e o encerramento dos lixões evita o aumento da poluição, levando a população a fazer a disposição dos resíduos de forma adequada no aterro e reduzindo o trabalho dos catadores.

As ações em Minas Gerais somaram R$ 11,9 milhões e beneficiaram Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Ouro Branco, Janaúba, Nova Porteirinha, Curvelo e Inimutaba. Na Bahia, foram R$ 6,3 milhões e os benefícios alcançaram Irecê e Juazeiro. Em Pernambuco, R$ 3 milhões permitiram a implantação de um aterro sanitário em Ibimirim.

Também está em andamento a elaboração de projetos básico e executivo de engenharia e de estudos de licenciamento ambiental para a implantação de um sistema integrado de resíduos sólidos urbanos na bacia do rio São Francisco, que vai beneficiar municípios de Alagoas, Sergipe e Pernambuco. Os investimentos da Codevasf somam cerca de R$ 1,6 milhão.

Os sistemas integrados de resíduos sólidos urbanos são compostos por estruturas como aterro sanitário, aterro de resíduo de construção e demolição, unidade de compostagem, unidade de triagem, estação de transbordo, central de resíduos e ponto de entrega voluntária de resíduos. Nos municípios já beneficiados com a implantação de aterros sanitários, os moradores percebem a diferença. O motorista Genivaldo Santos, morador do bairro Ipiranga II, em Juazeiro (BA), compara as situações de antes e depois da conclusão da obra de remediação do lixão na cidade. “Antes tinha muita sujeira. O vento ajudava a espalhar o lixo de um lado para outro. Hoje está tudo mudado. Não tem mais aquela imundice. Mudou bastante”, relata.

Controle de processos erosivos

Para promover o controle de processos erosivos a Codevasf investiu cerca de R$ 69 milhões em sua área de atuação com recursos do PAC. As intervenções protegem a água disponível nas localidades em que são realizadas. Outros R$ 133 milhões estão sendo aplicados em obras contratadas e em andamento em Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Piauí, Maranhão e Ceará.

Entre os trabalhos empreendidos pela Companhia estão a criação de sistemas de monitoramento de águas e controle de cheias e de queimadas e a implantação de viveiros, além do apoio à operação de Centros de Referência em Recuperação de Áreas Degradadas – onde são realizadas, dentre outras ações, pesquisas para recuperação de ambientes degradados e alterados da bacia hidrográfica do rio São Francisco – e de Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura – que têm entre suas atribuições repovoar as bacias hidrográficas em que a Codevasf atua com peixes de espécies nativas.

O trabalho de recuperação ambiental e controle de processos erosivos é realizado por diferentes métodos: revegetação; cercamento e proteção de nascentes, matas ciliares e topos de morro; construção de e terraços; readequação de estradas vicinais e estabilização de margens, entre outros. Uma das principais finalidades dessas ações é captar e acumular águas pluviais, aumentando assim sua infiltração no solo e promovendo o abastecimento dos lençóis freáticos; as ações também ajudam a reduzir o escoamento superficial da água, o que evita o arraste de sedimentos, o empobrecimento do solo e o assoreamento dos cursos d’água.

Entre as ações de controle de processos erosivos empreendidas pela Codevasf está a de recuperação de margens do rio São Francisco na região da Ilha da Tapera, nas proximidades do município de Barra (BA). O trabalho foi realizado em parceria com o Exército Brasileiro e resultou em investimentos de mais de R$ 18 milhões.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108004 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]