“Odoiá!”: Dois de fevereiro é dia da rainha do mar

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Festa de Iemanjá 2015.
Festa de Iemanjá 2015.
Festa de Iemanjá 2015.
Festa de Iemanjá 2015.

“Odoiá!” É com essa saudação que os admiradores da “rainha do mar” reverenciam a orixá durante as homenagens, nesta segunda-feira (02/02/2015), na tradicional entrega do presente a Iemanjá, na Festa do Rio Vermelho, em Salvador.Realizada desde 1923, o festejo costuma reunir milhares de turistas e baianos e é considerado um dos mais bonitos e concorridos do calendário de festas populares da Bahia. Com roupas e adereços azuis e brancos, as cores de Iemanjá, o público enfeita as ruas do Rio Vermelho dando um tom especial as belezas naturais de um dos bairros mais boêmios da capital baiana.

Fé, agradecimento, pedidos e promessas, muitos são os motivos que levam os  devotos para a festa de Iemanjá. E nem o sol forte que predomina na capital baiana espantou o público das homenagens a orixá.  Aos 80 anos, a soteropolitana Edna Teixeira contou que desde criança costuma apreciar a entrega do presente no Rio Vermelho e mostrou que a idade não é impedimento. “Sempre venho porque gosto de ver esta movimentação, muita gente alegre e animada. Já dei uma olhada, fiz a minha parte e agora volto para casa”.

De acordo com o major, André Ricardo, da 12° Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Rio Vermelho), a expectativa é de que 200 mil pessoas circulem pelo bairro durante todo o dia. Participando pela primeira vez da festa, a gaúcha Noedi Muller, 63 anos, se mostrou bastante comovida com a manifestação popular. “Eu já tinha ouvido falar, mas ver esta devoção de perto é muito lindo. Já entreguei meus presentes e agora estou aqui, admirando a movimentação do povo”. Para Hozana Amorim, paraense, que já conhece a festa, a homenagem a orixá  reflete bem a cultura de Salvador.

Flores, espelhos, perfumes, joias, pentes, são alguns dos presentes oferecidos pelos devotos. Uns preferem deixar os agrados pessoalmente nas águas do mar, outros fazem questão de pegar a fila para colocar os presentes nos balaios que são levados pelos pescadores para longe da costa. A austríaca, Carina Qappeloayr, 38 anos, pela primeira vez na Bahia, resolveu encarar a extensa fila para deixar sua oferenda. “Mesmo com esse sol forte, estou adorando e achando tudo muito lindo.”

Programação – Os presentes são recebidos até às 15h30 e, por volta de 16h, os pescadores realizam a procissão marítima, que é o ponto alto da festa. Cerca de 700 balaios são transportados em quase 300 embarcações para serem colocados em alto mar. Quando o presente volta para a praia, diz a tradição que Iemanjá rejeitou a oferenda. Mas normalmente, ela aceita todos os agrados. Os presentes são depositados a quatro milhas da costa (cerca de seis quilômetros), no ponto chamado Buraquinho de Iaiá.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113855 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]