Festa D’Ajuda movimenta turismo religioso na região do Recôncavo da Bahia

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Vista aérea de Cachoeira e São Felix.
Vista aérea de Cachoeira e São Felix.
Vista aérea de Cachoeira e São Felix.
Vista aérea de Cachoeira e São Felix.

Cidade que respira história e cultura, o município de Cachoeira, um dos principais destinos do turismo religioso da Bahia, realiza a Festa D’Ajuda a partir de domingo (09/11/2014). O evento, que acontece há mais de 400 anos, atrai devotos católicos, principalmente do Recôncavo, até o dia (25 /11).

Unindo o sagrado e o profano, com tríduo, procissão, missa, fanfarras, terno e samba de roda, a programação será aberta com o Bando Anunciador, às 10h, com um desfile na Praça Maciel, seguido de charangas e caminhões alegóricos. Após uma pausa, a festa é retomada na madrugada do dia 15, com o Terno do Silêncio, que, ao contrário do nome, desfila ao som das fanfarras, acompanhado pelo público, numa alegre algazarra.

O ponto alto é no dia 23, quando a festa chega a reunir cerca de 15 mil visitantes. Nesse dia, no Largo D’Ajuda, acontecem shows de grupos de samba de roda da cidade e apresentação do Terno da Alvorada. A criatividade dos participantes na hora de montar as fantasias – como homens travestidos, ‘cabeçorras’ e pierrôs -, é o que mais chama a atenção dos visitantes.

Ocupação

Uma das figuras mais aguardadas é o mandu, personagem que se apresenta com uma vestimenta formada por um cabo de vassoura atravessado nas costas, um paletó velho, um lençol amarrado da cintura à cabeça, além de anáguas e uma peneira. De acordo com o secretário de Cultura e Turismo de Cachoeira, José Luiz Bernardo, a rede hoteleira da cidade, que conta, em média, com 750 leitos, atinge, 90% de ocupação nesse período.

O secretário estadual de Turismo, Pedro Galvão, destaca a importância da expansão do turismo religioso para a economia. “A Bahia possui grande potencial neste segmento e atrai visitantes para municípios como Cachoeira, Maragojipe e Salvador”, afirma. “A Festa da Ajuda, a do Bonfim e o Santuário da Bem Aventurada Dulce dos Pobres são dos mais relevantes dos nossos festejos”.

Profana

Os embalos, grupos de foliões que saem ao som de fanfarras em direção ao Centro Histórico, nos dias 18 e 21, fazem a alegria da parte profana da festa. A programação reserva ainda a apresentação dos ternos do Acarajé e das Cozinheiras, na quarta-feira (19/11) e quinta-feira (20/11). No encerramento, na terça-feira (25/11), o público confere, às 17h, a apresentação do Terno da Saudade.

Com origem e apelo popular, a Festa D’Ajuda homenageia a padroeira da primeira capela de Cachoeira, a Igreja de Nossa Senhora da Ajuda, criada por senhores de engenho que habitavam a cidade. A comemoração dedicada à santa surgiu como forma de ajudar os trabalhadores na época da abolição da escravatura. A manifestação religiosa é organizada pela Irmandade de Nossa Senhora D’Ajuda.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113543 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]br.