População critica atuação de vereadores no setor de transporte público de Feira de Santana

Vereador José Carneiro Rocha critica população.
Vereador José Carneiro Rocha critica população.
Vereador José Carneiro Rocha critica população.
Vereador José Carneiro Rocha critica população.

Movimento Passe Livre faz reivindicações na Casa da Cidadania  

Integrantes do Movimento Passe Livre estiveram na Câmara de Vereadores de Feira de Santana, na manhã desta segunda-feira (20/10/2014), em busca de apoio dos edis para a aprovação de um projeto de lei que dispõe sobre a gratuidade no transporte coletivo urbano.

De acordo com os manifestantes,  o serviço de transporte ofertado na cidade não condiz com o valor da passagem e, muitas vezes, prejudica o trajeto dos alunos para as instituições educacionais.

De acordo com Henri Jones, um dos integrantes do movimento, os vereadores foram eleitos para defender a população, e não um partido político. “Lembro-me da manifestação que ocorreu em São Paulo, quando os estudantes lutaram pelo passe livre. Na segunda manifestação, foram 1milhão de estudantes para as ruas, mostrando a insatisfação. Nós estamos apenas começando. Os estudantes não estão satisfeitos, pois pegam carroça, que dizem ser transporte público”, disse.

O presidente da Casa do Estudante, Alessandro Falcão, também usou o microfone e pediu que as autoridades da cidade não permitissem mais a prorrogação da licitação para contratação de empresa para operar  o sistema de transporte coletivo urbano. O certame está previsto para fevereiro de 2015.

“É uma vergonha o que estamos passando. A passagem é uma das mais caras do país. Os ônibus são velhos, pegam fogo, soltam as rodas e passam atrasados nos pontos. Isso é vergonhoso. É preciso ver estes estudantes como o futuro desse país”, avaliou.

Alessandro afirmou que os vereadores não buscam valorizar o transporte e que poucos são louváveis na Câmara. “Temos que parar de votar por um saco de cimento ou porque o político dá emprego a um parente. Gostaria de pedir a vocês que lutem pelo passe livre e ajudem os estudantes. Aqui temos representantes e vamos pedir a eles que aprovem nosso projeto de passe livre para os estudantes”, pontuou.

Em seguida, a  estudante Ariádne Ferreira também lamentou o serviço de transporte oferecido pelo município. “Eu acordo às 5h30 da manhã, para conseguir chegar na escola às 7 horas e, às vezes,  não consigo,  porque nem sempre os ônibus passam no horário correto e, algumas vezes,  estou dentro do ônibus, peço licença e algumas pessoas falam: ‘ah! É estudante’. Se estou estudando é porque quero ser alguém na vida”, disse.

José Carneiro tece duras críticas ao presidente da Casa do Estudante

Em pronunciamento na Câmara Municipal, nesta terça-feira (21/10/2014), o edil José Carneiro Rocha (PSL) teceu duras críticas ao presidente da Casa do Estudante, Alessandro Falcão, em virtude das declarações que este deu e o modo como foi organizada a manifestação estudantil, na manhã de ontem, na Casa da Cidadania pelo Movimento Passe Livre (MPL) de Feira de Santana.

“Ontem nós tivemos a oportunidade de ver o quanto é ruim o movimento estudantil praticado nesta cidade. Quando vi estudantes chegarem nesta casa, confesso que me arrepiei, porque imaginei que os estudantes estavam acordando para vida, recomeçando as suas lutas de ruas, em busca de algo melhor, em busca de defender as convicções e melhorias para educação neste país”, disse.

No entanto, José Carneiro afirmou que, para sua surpresa, viu “meia dúzia de ‘gatos pingados’, teleguiados por pessoas que não são verdadeiramente líderes estudantis”.

O vereador indignou-se com a atitude do presidente da Casa do Estudante, que, segundo José Carneiro, taxou todos os vereadores de “merdas”, durante seu pronunciamento na tribuna livre da Câmara. O edil afirmou que o representante não tem respaldo para organizar manifestações estudantis nem ser presidente da referida instituição.

“Alessandro Falcão tem mais de 30 anos, não estuda e, se estuda, é um aluno rude, porque não consegue concluir o segundo grau. Esse rapaz não tem nenhuma proposta de líder estudantil; é não tão fraco que a última proposta dele foi um rolezinho no shopping. Isso é coisa de líder estudantil? Comprovadamente, esse rapaz está exercendo essa função, há muitos anos, na Casa do Estudante falida, que não tem credibilidade com a sociedade, imprensa nem com os estudantes de Feira”, afirmou o edil.

Ele acrescentou: “Alessandro deve até ser um cidadão de bem, mas como dirigente de uma entidade estudantil  é um ‘merda’, porque, verdadeiramente, não representa os anseios da classe estudantil da nossa cidade”.

Na oportunidade, o vereador sugeriu ao prefeito José Ronaldo que tomasse, imediatamente, o imóvel que foi cedido pela Prefeitura à Casa do Estudante, “porque como está a entidade não tem razão para a Prefeitura deixar na mão desses dirigentes, como Alessandro Falcão”, argumentou.

O vereador ressaltou também que, há muitos anos, não acontecem eleições diretas para a diretoria da Casa do Estudante de Feira de Santana. Ele informou que, por duas vezes, foi presidente da instituição e lembrou-se das ações relevantes dos movimentos estudantis de outrora. Também destacou o trabalho de pessoas que administraram com sucesso a entidade, a exemplo do radialista Jair Onofre.

José Carneiro disse que quando ocupou a Presidência da Casa do Estudante, ele conseguiu movimentar 10 mil estudantes nas ruas, de forma ordeira, sem ofender autoridades, para defender bandeiras como meia entrada no cinema, meia passagem ilimitada no transporte coletivo, melhoria nas escolas, preservação do patrimônio público. Inclusive, informou que o movimento estudantil chegou “a fechar o Sincol, sem baderna e, acima de tudo, com respeito”.

Também em seu discurso, o vereador José Carneiro (PSL) fez insinuações de que o movimento estudantil ocorrido na Casa da Cidadania teria sido uma atividade de cunho político partidária.

Em resposta, o edil Beldes Ramos (PT) negou qualquer envolvimento do Partido dos Trabalhadores nesse episódio e, apesar de ser favorável ao Movimento Passe Livre, disse que Alessandro Falcão foi infeliz em suas colocações quando ofendeu os vereadores.

Em seguida, os edis Isaías de Diogo (PPS), Marcos Lima (PRP), Pablo Roberto (PT), Zezito Correia (PTB) e Justiniano França (DEM) também disseram que a Casa da Cidadania foi desrespeitada pelo presidente da Casa do Estudante.

Pablo diz que importância do MPL precisa ser reconhecida

O vereador Pablo Roberto (PT), em discurso na sessão legislativa desta terça-feira (21), disse que a importância do Movimento Passe Livre (MPL) – movimento social brasileiro que defende a adoção da tarifa zero para transporte coletivo – precisa ser reconhecida, apesar de ele não comungar com o comportamento de alguns manifestantes de Feira de Santana, sobretudo do presidente da Casa de Estudante, Alessandro Falcão, que reivindicou o benefício, ontem, na tribuna da Casa da Cidadania, utilizando palavras de baixo calão contra os vereadores.

“O Movimento Passe Livre é um movimento de credibilidade no Brasil, que vem dando significativas contribuições às pautas que são apresentadas. A partir do momento que esse movimento ganhou corpo, ganhou força e foi para as ruas, várias situações foram atendidas, tanto no Governo Federal como nos Governos de vários estados”, declarou o petista, afirmando que a atitude dos manifestantes feirenses não diminui a importância do MPL e o alcance de suas ações no país.

Na oportunidade, Pablo disse que está tramitando no Legislativo feirense um projeto de lei, de sua autoria, que altera a lei 2.397/2003, alterada pela lei 2.794/2007, que estabelece e organiza o serviço de transporte coletivo urbano do município de Feira de Santana.

De acordo com o artigo 42 da proposição, fica o Executivo autorizado a instituir no sistema de transporte coletivo por ônibus “passe livre” para estudantes do ensino fundamental, médio, cursos técnicos e profissionalizantes, pré-vestibular e nível superior, de ida e volta, à respectiva escola ou universidade, dentro dos limites do município.

O edil observa que seu projeto atende a reivindicação do MPL. Pablo aproveitou o ensejo para cobrar da Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final um retorno com relação à matéria, visto que a proposição foi apresentada na Divisão Legislativa da Câmara no mês de junho de 2013 e, até o momento, não entrou em discussão.

Em aparte, o vereador José Carneiro (PSL) disse que em nenhum momento fez qualquer crítica à iniciativa da manifestação do MPL. “A gente apenas criticou e vamos continuar repudiando a atitude impensada do cidadão despreparado, chamado Alessandro Falcão. Então, eu quero deixar bem claro que sou favorável ao movimento. Estudante tem que ser rebelde, tem que ir para rua, tem que defender direitos, tem que protestar. Agora, está faltando líder, está faltando liderança para comandar essa massa que está carente”.

Leia +

Vereador volta a tecer críticas ao transporte coletivo de Feira de Santana e questiona: ônibus ou latas velhas?

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109691 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]