O PIG é um desrespeito à sociedade brasileira

Dilma Rousseff. em campanha em Feira de Santana FOTO: Apeixoto
Dilma Rousseff. em campanha em Feira de Santana FOTO: Apeixoto
Dilma Rousseff. em campanha em Feira de Santana FOTO: Apeixoto
Dilma Rousseff. em campanha em Feira de Santana
FOTO: Apeixoto

O PIG – Partido da Imprensa Golpista – sob o comando da “velha conhecida Rede Globo”, bem que tentou ajudar o Candidato Aécio Neves a se eleger Presidente da República nestas eleições. Foi vergonhoso o que se viu nos dias que antecederam o pleito. Em parceria com a Revista Veja e a Folha, entre outros, espalharam pelo país todo tipo de difamação e calúnia na tentativa desesperada de denegrir a imagem da candidata à reeleição Dilma Rousseff.

Os crimes políticos e o terror disseminado entre os eleitores nesta campanha, ao que tudo indica vão cair no esquecimento em pouco tempo, e nenhuma punição será tomada em relação às publicações da revista Veja e nem a nenhum outro veículo de comunicação que teve as mesmas atitudes, haja vista que até o Supremo teve conduta questionável durante este período.

Os “poderosos” que compõem a elite branca da oposição, na sua grande maioria pessoas bem sucedidas financeiramente, condenam veemente o Bolsa Família, mas estes mesmos aprovam a “Bolsa Bancária” para ajudar aos bancos quando quebram por má gestão ou corrupção. Na realidade o que incomoda os “coxinhas da oposição” é que atualmente a empregada doméstica, servente de pedreiro, motorista de coletivos, porteiros, negros e qualquer pessoa de condição financeira inferior, freqüenta Faculdade e/ou Universidades particulares, podem estudar no exterior graças ao “Ciência sem Fronteiras, PROUNE, entre outros projetos do governo do PT, e também possuem carro, casa própria e passaram a ter uma vida descente.

A vitória do PT, e que foi responsabilizada pelos do sul como culpa dos nordestinos, já é um fato consumado e só resta agora olhar para frente, esquecer as diferenças e como disse a Presidenta Dilma Rousseff, pregar a união em prol de um Brasil mais desenvolvido. Mas para que isso aconteça, é óbvio que deve haver cobranças de forma civilizada e que a oposição tenha uma participação honesta e equilibrada em suas ações.

Sobre Alberto Peixoto 488 Artigos
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.