Governador eleito da Bahia pretende trocar secretários do governo Jaques Wagner

Rui Costa e Jaques Wagner promovem reunião de transição de governo.
Rui Costa e Jaques Wagner promovem reunião de transição de governo.
Rui Costa cria grupo para preparar mudanças na estrutura de governo. Objetivo é otimizar a gestão, poupar recursos e ampliar investimentos em áreas fins.
Rui Costa cria grupo para preparar mudanças na estrutura de governo. Objetivo é otimizar a gestão, poupar recursos e ampliar investimentos em áreas fins.
Rui Costa e Jaques Wagner promovem reunião de transição de governo.
Rui Costa e Jaques Wagner promovem reunião de transição de governo.
Manuel Vitório/Sec da Sefaz, Carlos Palma de Mello/ Sec da Casa Civil, Adriano Chagas/ Chef. de Gab. da Sefaz, Rodrigo Lima/ Chef de Gab. Saeb, Claudio Peixoto/ Super. Orçamento Público da Seplan, Luiz Henrique D'utra/ Coord. Exec. da Casa Civil, Marcelo Nilo/ Presidente da Assembleia Legislativa Dep. Estadual, Rosemberg Pinto/ Dep. Estadual.
Manuel Vitório/Sec da Sefaz, Carlos Palma de Mello/ Sec da Casa Civil, Adriano Chagas/ Chef. de Gab. da Sefaz, Rodrigo Lima/ Chef de Gab. Saeb, Claudio Peixoto/ Super. Orçamento Público da Seplan, Luiz Henrique D’utra/ Coord. Exec. da Casa Civil, Marcelo Nilo/ Presidente da Assembleia Legislativa Dep. Estadual, Rosemberg Pinto/ Dep. Estadual.

Um grupo de trabalho formado por oito servidores técnicos começou a estudar a atual estrutura administrativa do Estado da Bahia para propor ao governador eleito Rui Costa (PT) mudanças no organograma administrativo da máquina estadual. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (29/10/2014), durante entrevista coletiva com o governador Jaques Wagner e Rui Costa, na Governadoria. A pedido de Rui, os técnicos vão passar duas semanas analisando possíveis fusões, cortes e novas composições na estrutura administrativa do Estado.

“A equipe montará cenários com os prós e os contras, em cima das ideias que pedi. Serão estudos aprofundados para montarmos uma nova estrutura do Estado. Isso vai embasar a minha decisão”, disse Rui ao indicar que secretarias e cargos comissionados devem ser cortados. Ele entende que as mudanças precisam ser feitas até dezembro deste ano. Assim, a partir do dia 1º de janeiro, quando inicia o seu mandato, a gestão já começa a funcionar com uma nova estrutura administrativa, “modernizando o Estado e ganhando tempo”, completou.

A partir de hoje, os servidores levantarão dados, inclusive os referentes aos orçamentos do Estado e do governo federal para 2015, tendo o vice-governador eleito, João Leão (PP) como interlocutor em Brasília, além de traçar três ou quatro cenários para a nova administração estadual. Em acordo com o governador Jaques Wagner, ainda no mês de novembro será enviado um projeto de lei à Assembleia Legislativa, propondo as mudanças. A expectativa é que a Casa aprove a nova estrutura até dezembro de 2014. “Já conversei com o presidente Marcelo Nilo e estou certo de que a Assembleia irá aprovar a nova estrutura, que prevê um estado mais moderno, mais ágil e com uma melhor gestão”, disse o recém-eleito.

O atual secretário estadual da Fazenda, Manoel Vitório, foi anunciado como coordenador do grupo. Também são responsáveis pela transição os técnicos Carlos Mello (secretário da Casa Civil), Cláudia Moura (procuradora do Estado), Adriano Chagas (chefe de gabinete da Fazenda), Rodrigo Pimentel (chefe de gabinete da Administração), Cláudio Peixoto (superintendente da secretaria de Planejamento), Luiz Henrique (coordenador executivo da Casa Civil) e Nelma Araújo (superintendente da Administração). O governador eleito lembrou que estes nomes são puramente técnicos e não receberão nenhuma gratificação extra pelo trabalho desempenhado.

O governador Jaques Wagner assinou o decreto que institui o grupo, ao afirmar que está iniciado com muita tranquilidade o processo de transição na Bahia. O decreto será publicado no Diário Oficial do Estado na edição desta quinta-feira (30). Todos os secretários de Rui serão anunciados em um mesmo ato, previsto para acontecer até o dia 10 de dezembro.

Líder do governo avalia

A equipe trabalhará em duas etapas. A primeira será um levantamento com os dados e balanço das ações fazendo uma interlocução com o orçamento para o ano que vem. A segunda etapa é a remodelação de estrutura do Estado que inclui a redução de secretarias e de cargos comissionados.

Para Zé Neto, esse processo de transição acontece de forma muito harmoniosa e dará condições de saber onde foi acertado durante o governo Wagner e o que precisa ser melhorado na próxima gestão. “Eu acredito que haverá um melhoramento e um enxugamento significativo da máquina por um entendimento que vem da própria prática de governo. Manoel Vitório conhece os dois extremos do Estado – onde se gasta, conhecimento adquirido quando foi secretário de administração, e onde o dinheiro entra, como atual secretário da fazenda – o que permite que ele tenha essa ampla visão e dê as condições fundamentais para que Rui possa chegar no novo governo sabendo onde bota o pé.”

“O fato do próprio Rui ter sido secretário de Relação Institucional (Serin), que tem maior foco na política, e depois ter ido para a Casa Civil, voltado mais para a administração executiva, também ajudará nesse processo. Essa radiografia que será feita agora, com certeza, vai melhorar a visão de Estado. Todos nós apostamos que, dando sequência ao que Wagner começou, teremos um ótimo governo pela frente”, concluiu Zé Neto.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115150 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.