Vereadores de Feira de Santana debatem resultado Eleições 2014

David Neto: "Fernando Torres tem independência própria, foi dito pelo PT ontem, através do governador Rui Costa e do senador Otto Alencar. Eu não apoiei o PT, mas isso demonstra a fidelidade do partido com os seus agregados. Então, parabéns ao PT por essa decisão”.
David Neto: "Fernando Torres tem independência própria, foi dito pelo PT ontem, através do governador Rui Costa e do senador Otto Alencar. Eu não apoiei o PT, mas isso demonstra a fidelidade do partido com os seus agregados. Então, parabéns ao PT por essa decisão”.

Em discurso na sessão legislativa nesta terça-feira (07/10/2014), o vereador David Neto (PTN) disse que, ontem à tarde, o deputado federal Fernando Torres (PSD) foi informado, através de uma ligação telefônica, pelo governador eleito Rui Costa (PT) e pelo senador eleito Otto Alencar (PSD) que o Partido dos Trabalhadores irá se articular para que ele possa permanecer no Congresso Nacional. Com 66.215, o parlamentar feirense não conseguiu a reeleição, mas garantiu a primeira suplência através da coligação “Pra Bahia Mudar Mais”.

O edil descartou qualquer possibilidade de Fernando Torres assumir uma Secretaria Estadual. “Secretarias, fora de cogitação, porque o deputado não tem interesse. Se ele for trabalhar, é melhor trabalhar para ele, porque ele tem as empresas dele”.

David acrescentou: “Fernando vai continuar sendo deputado de Feira de Santana e vai ter carta branca no gabinete; não vai ser deputado suplente encabeçado não. O deputado tem independência própria, foi dito pelo PT ontem, através do governador Rui Costa e do senador Otto Alencar. Eu não apoiei o PT, mas isso demonstra a fidelidade do partido com os seus agregados. Então, parabéns ao PT por essa decisão”, disse o vereador, assegurando que o município não ficará órfão de deputado federal.

De acordo com o edil, Rui Costa externou sua alegria por superar em número de votos o candidato Paulo Souto (DEM) no município e garantiu que terá compromisso com Feira de Santana. “Rui afirmou também que o deputado federal Fernando Torres e o deputado estadual Zé Neto (PT) serão os representantes do Governo do Estado no município”.

Irmão Lázaro 

Ainda em seu discurso, David destacou uma nota do Jornal Folha do Estado, da coluna Ponto e Vírgula, do colunista Humberto Cedraz, publicada nesta terça-feira, sob o título “Ingrato”, que informa que o deputado federal eleito Irmão Lázaro, em um programa de rádio local, agradeceu exclusivamente a Deus e aos eleitores a sua formidável votação.

“Ingratidão! Lázaro deveria lembrar de um conselheiro político da cidade que o orientou e até contribuiu com sua candidatura, no apagar das luzes da convenção, no sentido de que abandonasse a intenção de sair candidato a deputado estadual e disputasse a vaga de federal. O conselho serviu para deixar de fora o deputado Fernando Torres e também atrapalhar a vida de Colbert e Zé Chico, que não se elegeram pela falta desses votos”, diz a nota.

Após a leitura do texto, David Neto disse que concorda em parte com a nota. “Mas, Deus é grande, Deus é quem sabe o que é que acontece, Deus é quem sabe o futuro e tudo a Ele pertence”, pontuou.

Vereador sai em defesa de Irmão Lázaro 

O vereador Isaías de Diogo (PPS) ocupou a tribuna da Câmara Municipal, nesta terça-feira (7), para defender o cantor gospel Irmão Lázaro das críticas que vem sofrendo em Feira de Santana, desde que decidiu disputar um cargo eletivo. No último domingo (5), o evangélico foi eleito deputado federal, pelo Partido Social Cristão (PSC), com 161.438 votos.

O edil ressaltou que Irmão Lázaro não saiu candidato com o objetivo de prejudicar os candidatos de Feira de Santana. “Até porque ele teve 25 mil votos na cidade”, disse Isaías, argumentando que a vitória desse mais novo parlamentar foi conquistada em diversos municípios da Bahia.

Ele também fez de salientar que apoiou e votou no candidato Colbert Martins (PMDB). “Mas, não concordo, não aceito que as pessoas venham usar esta tribuna para tentar tirar a vitória de Lázaro. Gente, acabou a política; venceu a decisão do povo. Não sou nem ninguém que vai tirar o querer do povo. O povo quis Lázaro e ele foi bem votado”.

Na sequência, o vereador disse que o político tem que ter posição, fazendo referência ao vereador Edvaldo Lima (PP), que  sinalizou uma aproximação com o senador eleito Otto Alencar.  “A gente não pode estar comendo em dois pratos.  Otto não foi indicado pelo prefeito. Nós precisamos ter posição sim. Não é porque Otto ganhou que agora eu sou Otto”, disse Isaías, afirmando que é fiel ao prefeito José Ronaldo com ou sem vitórias nas eleições.

Em aparte, o edil David Neto (PTN) afirmou que, na campanha deste ano, antes de apoiar Colbert, Isaías já tinha apoiado quatro candidatos.  David garantiu que é fiel ao prefeito José Ronaldo e ao deputado federal Fernando Torres (PSD).

Em seguida, o vereador do PPS se defendeu, reiterando que, nesse pleito, trabalhou para eleger o candidato Tom Araujo, para deputado estadual, e Colbert Martins (PMDB), para deputado federal.

Roque comemora reeleição de Geilson e critica pesquisas de opinião pública 

Na manhã desta terça-feira (7), durante discurso na Câmara Municipal, o vereador Roque Pereira (PTN) destacou a reeleição do deputado estadual Carlos Geilson (PTN) e garantiu que o prefeito José Ronaldo (DEM) não poupou esforços para eleger seus candidatos a deputado federal.

“Quero aqui falar da luta de Carlos Geilson. Ele foi eleito em 2010, comeu muita lama e poeira para sua eleição. Teve também muitos convites para seguir com o governador Jaques Wagner, que queria Geilson em seu governo, mas preferiu ser fiel ao DEM e ao PTN. O povo de Feira deu a ele credibilidade e cresceu sua votação na cidade e na Bahia”, disse.

Na oportunidade, Roque rebateu o vereador Alberto Nery (PT), que classificou o prefeito José Ronaldo como derrotado, por não ter conseguido eleger os candidatos a deputado federal nem o candidato ao Governo do Estado.

“Os candidatos do prefeito foram os dois mais bem votados da cidade e o prefeito não mediu esforços para tentar elegê-los. Mas, temos que lembrar que o prefeito não poderia abandonar a cidade para trabalhar na campanha eleitoral, e ele fez as duas coisas. Durante a semana, ele lançava obras pela manhã e inaugurava à tarde. Já nos finais de semana, José Ronaldo se dedicava à campanha da majoritária”, afirmou.

Para finalizar, Roque  falou sobre os erros dos institutos de pesquisas. “As pesquisas no Brasil não têm credibilidade, principalmente na Bahia. Elas mostraram Aécio em 3º lugar e, hoje, ele disputa o 2º turno. A pesquisa nunca chegou ao interior da Bahia, que tem quatro milhões de eleitores. Isso prova que os institutos de pesquisas atuam apenas nas grandes cidades. O candidato que se basear em pesquisa vai continuar quebrando a cara. O Ibope na Bahia está morto”, observa.

Em aparte, o vereador Beldes Ramos (PT) lembrou que os vereadores da base governista sempre utilizaram os números do Ibope, para “cantar a vitória” do candidato Paulo Souto.

“Vocês acreditaram nas pesquisas o tempo todo e disseram que o PT tinha acabado na Bahia. Acredito que esta Casa está com crise de identidade, porque até poucos dias antes das eleições colocaram Marina como vencedora e, agora, usam a tribuna para defender Aécio Neves. Esta questão de lado e identidade deve ser melhor discutida nesta Casa”.

“A política hoje não está sendo levada a sério”, afirma Beldes 

O vereador Beldes Ramos (PT), em discurso proferido na tribuna da Casa da Cidadania, nesta terça-feira (7), após avaliar os pronunciamentos dos seus pares sobre o desempenho dos candidatos de Feira de Santana no pleito deste ano, ressaltou que o principal protagonista das eleições é o eleitor, que, em pleno exercício da democracia, escolhe seus representantes políticos. Ele também se pronunciou sobre os votos desperdiçados.

“Não podemos esquecer de que o protagonista de todo esse processo eleitoral é o eleitor. Temos os candidatos, eles apresentam suas propostas, mas quem decide a eleição de todos é o eleitor, apesar de todas as campanhas. E o povo fala isso com muita tranquilidade nas urnas. Toda a ladainha que se fala aqui é preciso avaliar. Tivemos uma abstenção de 53% em Feira de Santana, eleitores que não votaram em deputado federal. Aí ficam os questionamentos porque que Zé Chico, Colbert e Fernando não foram eleitos”, disse.

Para o petista, é preciso que haja uma reflexão sobre a atuação dos políticos e a necessidade de uma reforma política. “Isso nos traz uma reflexão do que o eleitor está achando da condução política de Feira de Santana. O que mais é levado em consideração no processo eleitoral é a performance do político em seu mandato. O eleitor não está vendo a correspondência da vontade de mudança acontecer. É preciso acabar com esse sentimento de votar no político menos pior ou em fulano porque ele é amigo. Está se perdendo a essência política”.

Ele acredita que o alto número de abstenção é resultado da obrigatoriedade do voto. “A abstenção ocorre porque o voto é obrigatório; se fosse facultativo, muita gente ficaria em casa e não votaria. A política hoje não está sendo levada a sério. Temos que cobrar daqueles que nos representam mais empenho nas questões de saúde, segurança, esporte e lazer. Falo isso sem representar partidos, falo dos políticos em geral; temos que fazer com que eles entendam isso”.

Beldes disse que, diante dos fatos, as próximas eleições serão uma incógnita. “Não sei como serão as eleições de 2016, porque não sei como estamos sendo vistos lá fora. Estas eleições nos chamam a refletir, enquanto políticos, diante da sociedade”, pontuou.

Em aparte, o vereador Edvaldo Lima (PP) afirmou que a população reclama porque não se sente bem representado pelos políticos que estão no poder. “Fomos eleitos para representar a população e a nós ela faz seus reclames. Tenho certeza que daqui para frente será mudada essa visão política e defendo o mandato de cinco anos para tosos os políticos”.

Também em aparte, o edil Roque Pereira (PTN) disse que, enquanto houver compra de votos, os políticos corruptos sempre permanecerão no poder. “Enquanto houver essa política de cesta básica e voto a R$ 50,00, a política continuará de mal a pior, falo isso em nível de Brasil”, disse.

Eleições 2014: Pablo diz que prevaleceu a interferência do poder aquisitivo 

O vereador Pablo Roberto (PT), após analisar o atual cenário político do Brasil, disse que não ocorreram mudanças significativas no país com as eleições 2014. Ele argumentou que parentes de políticos tradicionais se elegeram e houve também  indícios  de compra de votos.

“Assistindo ao Bom Dia Brasil, hoje pela manhã, percebi que não houve tantas mudanças assim no cenário político. Foram eleitos filhos, netos, sobrinhos de quem já estava no poder. Então, não podemos negar que essa eleição foi a do poder aquisitivo. A reflexão fica, porque ainda não existe um modelo de mudar o que está aí. Renovar mandato ou ser eleito com votação expressiva não significa que sensibilizou o povo. Eu ouvi na Rua Nova que o voto estava valendo R$ 100,00”, denunciou o edil.

Na oportunidade, o petista agradeceu aos eleitores que votaram nos candidatos Yulo Oiticica e Angelo Almeida. “Saímos do processo de cabeça erguida, porque fizemos um bom debate na Bahia e em Feira de Santana. Fica a certeza de que continuaremos fortes. Quero agradecer os 5.548 votos que Yulo teve em Feira de Santana e os 14.512 de Ângelo. Muito obrigado a cada um, e a luta continua”, pontuou.

Eleições 2014: Nery repudia ofensas contra nordestinos 

O vereador Alberto Nery (PT) ocupou a tribuna da Câmara Municipal, na manhã desta terça-feira (7), para externar o seu repúdio em relação ao racismo e preconceito contra os nordestinos, assim que se divulgou os resultados da votação da eleição presidencial, ocorrida no último domingo. Segundo o petista, a vantagem da presidente Dilma Rousseff (PT), no primeiro turno, gerou uma onda de comentários de ódio nas redes sociais contra a região Nordeste.

“Saíram em blogs matérias que discriminam os nordestinos. Não podemos admitir essas atitudes. Não podemos incitar o ódio, porque o Nordeste elegeu Dilma”, disse.

Em aparte, o edil Roque Pereira (PTN) afirmou que o que aconteceu foi uma estratégia do PT para colocar as pessoas do Sul contra as do Nordeste. “Há uma mentalidade de que os nordestinos são preguiçosos e não podemos deixar que isso continue. O Bolsa Família é um programa importante, mas não podemos usar isso como mídia, porque o dia 26 de outubro vai passar e a mágoa entre o Sul e o Nordeste vai ficar”, avaliou.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109971 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]