Vereador feirense denuncia sistema de transporte público e apresenta prova contra empresas

Alberto Nery: "Durante muito tempo trago aqui os problemas do transporte coletivo e nada é feito para resolvê-los. Há 14 meses as empresas não fazem o depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).".
Alberto Nery: "Durante muito tempo trago aqui os problemas do transporte coletivo e nada é feito para resolvê-los. Há 14 meses as empresas não fazem o depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).".
Alberto Nery: "Durante muito tempo trago aqui os problemas do transporte coletivo e nada é feito para resolvê-los.  Há 14 meses as  empresas não fazem o depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).".
Alberto Nery: “Durante muito tempo trago aqui os problemas do transporte coletivo e nada é feito para resolvê-los. Há 14 meses as empresas não fazem o depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).”.
Alberto Nery apresenta documento de empresas de transporte coletivo de Feira de Santana
Alberto Nery apresenta documento de empresas de transporte coletivo de Feira de Santana

O vereador Alberto Nery (PT) apresentou na manhã desta terça-feira (23/09/2014), graves irregularidades cometidas pelas empresas que operam o transporte coletivo público de Feira de Santana. De acordo com Nery, que também é presidente do Sindicato do Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Feira de Santana (Sintrafs), a grande maioria dos carros que circula hoje na cidade é de propriedade de empresas de outros estados. Com os documentos dos veículos em mãos, o edil explicou que a irregularidade foi descoberta porque o sindicato, já visando preservar a garantia dos direitos trabalhistas dos rodoviários em caso de falência da operadoras do sistema, moveu uma ação na Justiça para impedir que as empresas comercializem seus bens. Ao fazer este levantamento, foi constatado que apenas um carro pertence a 18 de setembro.

“Durante muito tempo trago aqui os problemas do transporte coletivo e nada é feito para resolvê-los.  Há 14 meses as  empresas não fazem o depósito do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), além de não pagarem a seguradora dos planos de saúde e dos tickets de alimentação há sessenta dias. Com todos esses problemas, os trabalhadores preocupados com possibilidade de falência da empresa, nos pediram para tomar alguma medida que possa garantir os seus diretos. Sentamos com o jurídico e entramos com uma ação que se chama “arresto dos bens”.

Esse arresto visa impedir que algum patrimônio que exista na empresa seja retirado do município de Feira de Santana e possa, numa possível falência, ser leiloado para garantir os direitos dos trabalhadores. E, para nossa surpresa, apenas um carro pertence a 18 de setembro”, afirmou Nery com a cópia dos documentos veículos. Empresas cujos nomes são “Hera Locadora de Veículos Limitada”,  “Botucatu Limitada” “São Paulo Transporte e Turismo”, “Rápida Vale do Sol Transporte e Turismo”, “Serrana Transporte e Turismo” são as verdadeiras proprietárias dos ônibus.

Nery afirmou ainda, que está aguardando um posicionamento da prefeitura para que sejam tomadas as devidas providências para solucionar a questão e evitar a suspensão do serviço pelos rodoviários. “A situação é preocupante e os trabalhadores estão em desespero. Nós ainda não tomamos uma providência de suspender os serviços em Feira de Santana até termos uma reunião com o prefeito. Como pode a Secretaria de Transporte e Trânsito do Município permitir que os carros de empresas não autorizadas façam o serviço de transporte público na cidade?”, questionou Nery.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 110072 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]