Mais um ônibus pega fogo em Feira de Santana e vereador Edvaldo Lima critica situação

Ônibus da empresa Princesinha pega fogo. Vereador critica situação do transporte público.
Ônibus da empresa Princesinha pega fogo. Vereador critica situação do transporte público.

E mas uma vez, a população feirense sofre com o descaso do transporte coletivo. Na última quinta-feira (30/07/2014) um ônibus do transporte coletivo da empresa Princesinha, que fazia linha para o Bairro Aviário, numero de ordem B61, placa LPL-0130, pegou fogo na Avenida Presidente Dutra, em frente ao Centro de Cultura Amélio Amorim e ficou completamente destruído.

Para o vereador Edvaldo Lima, quando se ouve na mídia que um ônibus pegou fogo, pode se imaginar que é sempre pelos motivos de protestos da sociedade ou entidades de classes organizadas, que lutam por melhoria em algum setor da sua cidade, bairro ou até mesmo da sua categoria. Porem, em Feira de Santana a realidade é bem diferente.  Não precisa disso, pois os ônibus que exploram o serviço de Transporte Coletivo Público pegam fogo sozinho sem precisar nenhum movimento deste feito.

Edvaldo Lima destaca a agilidade do Corpo de Bombeiros, mas ao chegar ao local o ônibus, já estava completamente destruído. O fogo se alastrou muito rápido. Agora estão procurando uma explicação para isto, alguns dizem que os motivos que causaram foram: o fogo começou pelo motor, que foi um curto circuito devido a grande quantidade de água que entrou no veículo ao passar em poças de água.

Edvaldo critica severamente

O edil, que vem lutando por essa causa, expressa a opinião, diante do caso ocorrido.

“Este ônibus pegou fogo por irresponsabilidade da empresa, a qual tem, a plena consciência que estes veículos não tem nenhuma condição de circular pela cidade transportando vidas. Pegou fogo porque as empresas não dão nenhuma manutenção em seus veículos. Pegou fogo porque,  parte de algumas autoridades de nossa cidade não pararam ainda para resolver o problema do transporte público de Feira de Santana. Até quando?”, estiona.

“E não venham me dizer que este foi um fato isolado, pois na quarta-feira (23), outro ônibus do transporte coletivo municipal, pegou fogo, com cerca de 15 passageiros, além do motorista e da cobradora. O veículo da empresa Princesinha fazia linha para o Conjunto João Paulo II. O incêndio começou pelo motor do carro. Impressionante, os ônibus em Feira de Santana começam a pegar fogo pelo motor, daqui a pouco a desculpa é que as empresas que fazem o motor dos ônibus para a empresa de Transporte de Feira de Santana, estão fazendo de proposito. Será? Só falta dar essa desculpa, ou ainda apontar que a culpa é dos motoristas, por não está utilizando de forma correta  os veículos, ou até mesmo proibir todos os veículos   a saírem de casa em dias chuvosos, para evitar que os veículos pegue fogo. Está feio essa situação para nossa cidade. Me faça uma garapa”, avalia o vereador.

“Quando o vereador Edvaldo Lima, apresentou o Projeto de Lei que acabaria com o monopólio no Sistema de Transporte de Feira de Santana, propondo para que mais 5 empresas de ônibus novas pudesse explorar o sistema de Transporte. Teve alguns “políticos” por aí chamando o vereador de maluco”, disse o edil em relação a si próprio.

“Alguns diziam para o Vereador que o mesmo estava doído, porque não era para ele tocar nisso. Será mesmo que devemos deixar do Jeito que esta? Isso porque não analisamos ainda o risco que a nossa população esta passando quando entra nestes transportes, é que graças ao nosso Deus nenhum passageiro foi vítima de morrer queimado nestes veículos”, concluiu Edvaldo Lima.

Sobre Carlos Augusto 9458 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).